Kubica faz mistério, não descarta permanência no WRC, mas fala em fazer “algo diferente” em 2016

Robert Kubica indicou que, depois de três anos consecutivos disputando provas do Mundial de Rali, tem o desejo de voltar ao automobilismo de pista. O polonês, que corre por equipe própria nesta temporada, disse que ainda não definiu seu futuro para o ano que vem, mas salientou: “Tenho algo em mente”

Aos 30 anos, Robert Kubica planeja trilhar novos caminhos em sua carreira na temporada 2016. Ex-piloto de F1 das equipes BMW Sauber e Renault, o polonês sofreu um terrível acidente no Rali Ronde di Andora, na Itália, em fevereiro de 2011, e levou um longo tempo para se recuperar. Com movimentos comprometidos da mão e braço direitos, o piloto só voltou a correr em 2012, em provas de rali na Europa. Nos três anos seguintes, Kubica ganhou mais notoriedade pelos acidentes sofridos do que propriamente pela performance em pista. Para 2016, porém, o piloto planeja fazer algo diferente.
 
Robert disputa neste fim de semana o Rali da Catalunha, penúltima etapa da temporada 2015 do Mundial de Rali, sem saber ao certo o que fará no ano que vem. Questionado se já tinha alguma novidade a respeito da sua programação para 2016, Kubica preferiu fazer mistério: “Sim e não”.
No Mundial de Rali desde 2013, Kubica agora mostra desejo de voltar às pistas no ano que vem (Foto: Citroën Racing)
Por outro lado, indicou que deve mudar os rumos da sua carreira no automobilismo. “Não sei exatamente o que vou fazer. Tenho algo em minha mente. Ficaria surpreso se fizesse toda a temporada do WRC. Haverá uma mudança. Não sei se farei todo o WRC ou não, mas com certeza haverá algo diferente”, comentou o polonês.
 
As palavras de Kubica indicam um desejo de retorno aos circuitos em breve. “Mudei um pouco minha mentalidade. Há três anos, eu voltava depois do acidente e estava à procura de um novo desafio, e os ralis foram um desafio muito grande.”
 
“Mas no ano que vem é o momento de ter algo diferente, então provavelmente vou acabar fazendo algumas coisas diferentes, e talvez o rali também”, concluiu Kubica, que durante sua recuperação chegou a testar um carro de DTM da Mercedes, mas acabou optando por dar sequência à sua carreira nas trilhas de asfalto e de terra ao redor do mundo.
 
Campeão da segunda divisão do Mundial de Rali em 2013, Kubica ascendeu à classe principal do WRC nos anos seguintes: em 2014, correu com um Ford Fiesta da equipe britânica M-Sport e teve como melhor resultado o sexto lugar no Rali da Argentina. Neste ano, já com um Fiesta de equipe própria, Kubica garantiu sua melhor performance em casa, sendo oitavo lugar na Polônia. Porém, seu melhor resultado na carreira foi o quinto lugar no Rali da Alemanha, em 2013.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube