Rali

Loeb vence com sobras oitava etapa, mas Al-Attiyah amplia vantagem e fica perto do tri do Rali Dakar

Nasser Al-Attiyah está muito perto de dar à Toyota seu primeiro Dakar. O catariano fez uma boa oitava especial e só foi superado por Sébastien Loeb, com grande performance com seu Peugeot 3008 DKR. Stéphane Peterhansel viveu outro dia difícil e praticamente deu adeus às chances de vencer o maior rali do mundo pela 14ª vez. E a disputa nos caminhões tem novo líder: Dmitry Sotnikov
Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
8ª etapa – San Juan de Marcona – Pisco
Trecho de especial: 360 km
Deslocamentos: 215 km
Trecho total: 575 km
 
Com uma exibição digna de quem ostenta nove títulos do Mundial de Rali, Sébastien Loeb faturou sua quarta vitória em especiais do Rali Dakar 2019 ao triunfar na etapa entre San Juan de Marcona e Pisco, nesta quinta-feira (15). O francês, que corre ao lado do inseparável navegador Daniel Elena no Peugeot 3008 DKR da equipe privada PH Sport, deu a volta por cima depois de uma segunda-feira complicada, quando terminou a etapa em laço em San Juan de Marcona apenas em 11º para voltar a vencer no Dakar. 
 
Mas não foi apenas Loeb quem teve motivos para sorrir nesta tarde. Nasser Al-Attiyah também impôs forte ritmo e ainda viu o revés de quem era seu adversário mais próximo na classificação geral, Stéphane Peterhansel, finalizando a etapa em segundo, 7min27s atrás de Loeb. 
Sébastien Loeb brilhou na antepenúltima etapa do Dakar 2019 no Peru (Foto: Flavien Duhamel/Red Bull Content Pool)
Assim, o catariano, que corre ao lado do navegador francês Mathieu Baumel, está muito perto de vencer o Dakar pela terceira vez, além de levar a Toyota para a primeira conquista do maior rali do mundo. O que seria mais um grande feito para a marca japonesa, que em junho do ano passado conquistou sua primeira vitória nas 24 Horas de Le Mans pelas mãos de Fernando Alonso, Sébastien Loeb e Kazuki Nakajima.
 
A terceira posição da especial ficou com o polonês Jakub ‘Kuba’ Przygonski, que levou o Mini John Cooper Works Rally #303 à zona de meta com 15mnin15s de atraso para o tempo conquistado por Loeb. Giniel de Villiers, campeão do Dakar de 2009 e companheiro de equipe de Al-Attiyah na Toyota, garantiu o quarto tempo, 40s atrás de Przygonski. E Nani Roma, bicampeão da prova, ficou a apenas 2s da marca de De Villiers para completar o top-5, formado por um carro da Peugeot, dois Mini e duas Toyota Hilux.
 
O dia foi bastante complicado para as três tripulações da Mini X-Raid que correm com Buggy no Dakar. Antes, destaque para o tcheco Martin Prokop, dono de grande experiência no Mundial de Rali, que finalizou a especial em quinto lugar com um Ford Raptor, seguido pelo Mini X-Raid Rally do saudita Yazeed Al-Rajhi. 
 
Só então, em sétimo, finalizou Peterhansel, com 31min41s de atraso para o tempo de Loeb, o que praticamente encerra todas as chances de o ‘Monsieur Dakar’ faturar seu 14º título. Já os companheiros de equipe de Peterhansel, Cyril Despres e Carlos Sainz, terminaram acima da 15ª colocação. O espanhol chegou a ficar atolado em um barranco e contou com a ajuda de vários fãs para conseguir voltar a acelerar. O francês Pierre Lachaume, que guia um modelo antigo Peugeot 2008 DKR da PH Sport, foi o nono, enquanto o compatriota Ronan Chabot, veterano que faz seu 20º Dakar, completou a etapa no top-10.

 
Com duas etapas para o fim do Dakar 2019, Al-Attiyah tem um tempo total de 29h15min50s e está agora a 46min29s de vantagem para o novo vice-líder, Nani Roma. 
 
Loeb, com a vitória obtida nesta terça-feira, também passou Peterhansel e subiu para terceiro, ainda com chances, embora remotas. Seb está a apenas 16s do tempo de Roma, enquanto o ‘Monsieur Dakar’ agora tem 53min30s de desvantagem para Nasser. Despres completa a relação dos cinco primeiros, porém bem distante do título, com atraso de 2h15min27s para Al-Attiyah.


Nikolaev perde tempo atolado na areia e vê Sotnikov como novo líder nos ‘brutos’
 
O que parecia impensável aconteceu na disputa dos caminhões do Rali Dakar 2019. Eduard Nikolaev, que caminhava firme para conquistar seu quinto título do maior rali do mundo, sofreu um grande revés na oitava especial da prova e foi um competidores a atolar em um banco de areia, assim como aconteceu com Sainz, Despres e Bernhard Ten Brinke na competição dos carros.
 
Com o tempo perdido por Nikolaev, outro russo, Dmitry Sotnikov, aproveitou não apenas para vencer a etapa, mas também para assumir a liderança geral do Dakar nos ‘brutos’. Aos 33 anos, o piloto da Kamaz, que tem ao seu lado os compatriotas Dmitrii Nikitin e Ilnur Mustafin na tripulação do caminhão #514, chegou a andar em nono no início da etapa, mas cresceu na fase final da prova para vencer pela segunda vez nesta edição.
Dmitry Sotnikov assume a liderança do Dakar no momento decisivo da prova (Foto: Flavien Duhamel/Red Bull Content Pool)
Um dos bons nomes da etapa foi o argentino Federico ‘Coyote’ Villagra, que completou o dia em segundo lugar pela Iveco, tendo ao seu lado Adrián Yacopini e Ricardo Torlaschi. A tripulação do #505 ficou a 27min06s do tempo do caminhão vencedor, enquanto o bielorrusso Siarhei Viazovich, que tem como companheiros de equipe Pavel Haranin e Andrei Zhyhulin, completou o top-3 da etapa com o caminhão Maz, finalizando à frente de Gerard de Rooy, vencedor da etapa de segunda-feira ao lado de Darek Rodewald e Moisés Torrallardona com o Iveco #503.
 
Nikolaev terminou a etapa com 59min43s de atraso perante Sotnikov, passando no sexto waypoint apenas na nona colocação. O tempo perdido atolado na duna foi determinante para a perda da liderança geral para seu companheiro de equipe na Kamaz.
 
Agora, com duas etapas para o fim do Dakar, Sotnikov tem tempo total de 35h01min35s. Sua vantagem perante Nikolaev é de 26min49s, enquanto De Rooy aparece mais atrás, com 1h07min43s de atraso. Villagra, que surge em quarto na classificação provisória, está bem mais distante da luta pela vitória, com 4h09min27s de atraso para o novo líder do maior rali do mundo.