‘Mr. Dakar’, Peterhansel mostra insatisfação com planilha de navegação: “Confiávamos mais antes”

Maior vencedor da história do Rali Dakar, Stéphane Peterhansel não se mostrou muito feliz com as planilhas de navegação da edição deste ano. O francês, que lidera a prova entre os carros depois da primeira metade da disputa de 2017, entende que a planilha foi escrita de modo diferente, o que prejudica os trabalhos de navegação, chefiados na sua tripulação por Jean-Paul Cottret

 

Dono de nada menos que 12 títulos do Rali Dakar, sendo seis na disputa das motos — quando a prova ainda era disputada originalmente na África — e outros seis nos carros, Stéphane Peterhansel é o maior nome da história da principal competição off-road do planeta. Contudo, mesmo tendo um histórico irrepreensível na prova, o ‘Mr. Dakar’ tem suas dificuldades. Na edição de 2017, que está sendo disputada neste mês de janeiro entre Paraguai, Bolívia e Argentina, Peterhansel vem se tornando um crítico de um elemento fundamental do rali: a planilha de navegação.

 
A planilha, ou ‘road book’, é usada pelos navegadores — que têm função específica entre os competidores de carros, UTVs e caminhões — e pelos próprios pilotos de motos e quadriciclos, que fazem dupla função. É o elemento que guia a tripulação durante uma especial. Qualquer falha ou distorção na informação contida na planilha pode colocar tudo a perder.
Stéphane Peterhansel não está muito contente com a planilha de navegação do Dakar (Foto: Marcelo Maragni/Red Bull Content Pool)
Peterhansel, que ao lado do seu navegador, Jean-Paul Cottret, lidera o Rali Dakar depois de seis dias de prova, mas com vantagem mínima de 1min09s para Sébastien Loeb e Daniel Elena, seus companheiros de equipe na Peugeot. Mas apesar da posição rumo a mais um título do Dakar, o lendário piloto francês não está muito satisfeito.
 
“Vejo que a principal diferença com a navegação é que o pessoal que fez a planilha não é o mesmo de antes. Portanto, não é o mesmo estilo de escrever. Antes, meu navegador e eu confiávamos na planilha, mas neste amo tivemos alguns problemas com ela”, relatou o ‘Mr. Dakar’ em entrevista veiculada pelo site norte-americano ‘Motorsport.com’.
 
Com experiência de sobra no Dakar, Peterhansel não se ilude com a liderança momentânea da prova. O piloto considera o posto apenas simbólico, afinal a prova vai se desenrolar até sábado, quando vai chegar à meta final, Buenos Aires. 
 
Até lá, Peterhansel coloca nada menos que três pilotos em grandes condições de faturar o título na disputa dos carros. “No começo da prova, havia oito pilotos com chances de vencer, agora só há quatro: Nani Roma, Sébastien Loeb, Cyril Despres e eu. Mikko Hirvonen está um pouco atrasado, e acho que agora isso está mais claro na classificação. É 25% de chances para todos”, declarou o multicampeão.
 
Despres, que chegou a ocupar a liderança do Dakar na quarta especial, também concorda com a palavra do veterano e também seu companheiro de equipe na Peugeot. “Acho que vai ser assim. Me dei conta que não me lembro de ter visto uma classificação ao fim do dia de descanso com quatro pilotos separados por menos de seis minutos. Isso não é algo comum. Se o ‘Mr. Dakar’ diz isso, é porque ele conta comigo, é uma boa notícia”, disse o francês, que persegue seu primeiro título do Dakar nos carros.
 
fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube