Pega no exame antidoping, Nifontova recebe licença especial da FIM para um evento e disputa Rali Dakar

A motociclista russa Anastasyia Nifontova, flagrada no exame antidoping em outubro com traços de meldonium no organismo e desde então suspensa preventivamente, recebeu a Licença Internacional para Um Evento expedida pela FIM para disputar o Rali Dakar de 2016. Em comunicado oficial, o órgão máximo do motociclismo justificou a permissão com "novos fatos que surgiram na investigação"

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Último dia do ano, este sábado (31) serviu para um comunicado oficial da FIM confirmando uma permissão especial de uma competição para Anastasiya Nifontova participar do Rali Dakar que começa na próxima semana. Nifontova estava suspensa preventivamente desde 14 de novembro, quando foi pega num exame antidoping com traços de meldonium em sua urina.

 

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
Segundo o comunicado da FIM, o órgão aceitou o pedido expedido pela Federação de Motociclismo da Rússia, a MFR, por uma licença de um evento para Nifontova por conta de "novos fatos" que surgiram na investigação. Assim, a motociclista poderia ser prejudicada "de forma irreversível" se ficasse fora do Dakar.

 
"Após um balanço cuidadoso dos muitos interesses em jogo, a FIM considerou que não dar à MFR a Licença Internacional para Um Evento para o Rali Dakar 2017 para a Sra. Anastasiya Nifontova – assim impedindo sua participação – poderia causar a atleta danos irreparáveis", afirmou pelo comunicado.
 
Na sequência, a FIM afirmou que, segundo o código mundial antidopagem e seu próprio código antidopagem, não poderia divulgar publicamente detalhes específicos do caso. "Ficamos assim proibidos de dar outras informações neste momento", disse o comunicado oficial.
Anastasyia Nifontova está no Paraguai para a largada de segunda-feira (Foto: Reprodução/Facebook)
Nifontova foi pega no antidoping após um teste de urina realizado no final do Campeonato Mundial de Rali Cross Country, em outubro, no Marrocos.
 
A ingestão de meldonium, substância pela qual Nifontova foi pega e punida, é proibida desde setembro de 2015 e passível de punição desde janeiro de 2016. Substância anti-isquêmica e usada no tratamento de diabetes, o meldonium aumenta o aporte de oxigênio às células do corpo, inclusive as musculares, então passou a ser vista como uma droga de melhora de performance. Na Rússia, onde o meldonium é usado há bastante tempo como um suplemento alimentar, vários atletas de destaque têm sido flagrados em exames antidoping. Dentre eles a tenista Maria Sharapova e o boxeador Alexander Povetkin.
 
O Dakar começa na segunda-feira, dia 2 de janeiro, com largada no Paraguai pela primeira vez.
fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube