Rali

Pela primeira vez em um único país, Rali Dakar vai ao Peru com etapas mais curtas e muita areia

Pela primeira vez na história, o Rali Dakar será inteiramente disputado dentro de um único país: o Peru. Na edição 2019, os 339 veículos participantes vão encarar cerca de 3 mil km de especiais ao longo de dez estágios
Warm Up / JULIANA TESSER, de São Paulo
 Peru vai receber sozinho a edição 2019 do Rali Dakar (Foto: Florent Gooden/DPPI)
O ano mal começou, mas a temporada 2019 do esporte a motor já abre os trabalhos nesta segunda-feira (7). Tradicional ‘abre-alas’ do calendário, o Rali Dakar chega à sua 41ª edição com um marco inédito: pela primeira vez, a maior e mais dura prova off-road do planeta será disputada em um único país, o Peru.
 
Independente da Espanha em 1821, o Peru estreou no Dakar em 2012 e, depois de duas edições, ficou fora da programação por cinco anos antes de retornar no ano passado. Agora, porém, o território que faz fronteira com Equador, Colômbia, Brasil, Bolívia e Chile e é banhado pelo Oceano Pacífico volta ao rali como estrela solitária. 
As dunas peruanas serão um destaque de 2019 (Foto: Andre Lavadinho/@World)
Tradicional casa do Dakar na América do Sul, a Argentina fechou suas portas à disputa promovida pela ASO por conta de uma grave recessão econômica. O Chile chegou a negociar para voltar ao roteiro, mas desistiu em razão dos altos custos envolvidos. A Bolívia, que recebia a prova desde 2014, tampouco conseguiu um acordo com a organização. O próprio Peru chegou a titubear, mas, no fim, conseguiu resolver o impasse financeiro para ‘salvar’ a prova de 2019. 
 
Os custos envolvidos no Dakar não são nada baixos. Só para a promotora do rali, o pagamento gira em torno de US$ 6 milhões (cerca de R$ 22 milhões). Mas, além disso, são necessários outros cerca de US$ 25 milhões (aproximadamente R$ 94 milhões) para gastos de infraestrutura, segurança e logística. O Peru só manteve o envolvimento por entender que se trata de um “evento de interesse nacional”.
 
Com um único país para se aventurar, o Dakar teve de se adaptar a geografia local. O roteiro foi desenvolvido em sua maior parte na região costeira, na área sul do Peru. No total, seis cidades vão abrigar o rali: Lima, Pisco, San Juan de Marcona, Arequipa, Moquegua e Tacna. 
 
A marca da edição 2019, porém, não será a água do Oceano Pacífico, mas a areia. A maior parte da costa abriga o deserto costeiro peruano, uma região de clima subtropical muito árido que, junto com o deserto costeiro do Chile, compõe o deserto do Pacífico.
 
Num cenário como tal, as dunas serão um ponto de destaque e um desafio extra na navegação. 70% dos cerca de 3 mil km de especiais serão feitos em dunas.
 
Diretor-geral do Rali Dakar, Étienne Lavigne acredita que o Peru leva o Dakar de volta às suas origens.
Rali Dakar vai contar com mais de 330 veículos em 2019 (Foto: Florent Gooden/DPPI)
“Vamos atravessar uma única zona geográfica, que é o sul do Peru, muito desértica, entre a cordilheira e o Pacífico”, explicou Lavigne em entrevista ao jornal espanhol ‘Marca’. “É uma parte muito dura e intensa. As etapas serão mais curtas do que o habitual em termos de quilometragem, mas serão de mais horas, de navegação, de esforço físico... me parece que estamos no coração da modalidade do Dakar com este deserto peruano. As dunas e a areia estão no DNA do Dakar”, frisou.
 
O tamanho do desafio, no entanto, não afastou os participantes. De acordo com números da ASO, são 534 pilotos e copilotos, totalizando 334 veículos participantes: 167 motos e quadriciclos, 126 carros, incluindo 30 na categoria UTVs e 41 caminhões. A lista de novatos é bastante robusta, com 135 pilotos e copilotos em 97 veículos estreando no Dakar em 2019. No outro extremo, são 42 ‘Lendas’, pilotos com mais de dez participações na prova.
 
Além disso, são 17 mulheres inscritas, o maior número desde 2009, ano da mudança para a América do Sul. Aliás, serão dois times formados 100% por mulheres.
 
Serão 11 os brasileiros na disputa: Antonio Lincoln Berrocal e Marcos Colvero vão participar da prova nas motos, com os campeões vigentes Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin voltando para defender o título dos UTVs ao lado do também campeão Lourival Roldan, que, desta vez, vai navegar para o português Miguel Jordão. Bruno Varela e Maykel Justo formam mais uma dupla nos UTVs, assim como Cristian Baumgart e Alberto Andreotti e Marcos Baumgart e Kleber Cincea. 
O cenário peruano vai se destacar no Dakar (Foto: ASO/@World/A.Lavadinho)
Ás vésperas do início da competição, a lista de favoritos passa por nomes já conhecidos. No caso das motos, os titulares da KTM são sempre os primeiros nesta relação: Matthias Walkner volta para defender o título ao lado de Toby Price e Sam Sunderland, vencedores de edições anteriores, mas sempre pressionados pela Honda de Kevin Benavides, Paulo Gonçalves e Joan Barreda. Destaque no ano passado, Adrien van Beveren também merece atenção a bordo da Yamaha.
 
No caso dos carros, a Peugeot abandonou a disputa, mas alguns de seus astros migraram para a Mini, como é o caso de Carlos Sainz, Stéphane Peterhansel e Cyril Despres, que vão formar um time com Jakub Przygonsky e Orlando Terranova. Sébastien Loeb também está de volta, mas agora com um Peugeot privado da PH Sport. Do lado da Toyota, a rivalidade vem de Nasser Al Attiyah, Gerard De Villiers e Bernhard Ten Brinke.
 
Nos caminhões, a Kamaz vem representada por Eduard Nicolaev e Airat Mardeev, mas a pressão de Gerard De Rooy. Nos quadriciclos, Ignacio Casale mudou de categoria, deixando Jeremias Ferioli e Nelson Sanabria Galeado entre os protagonistas.
 
Nos UTVs, Varela e Gugelmin vão defender o título, mas agora com mais concorrência, já que a categoria teve um aumento no número de participantes.
 
Rali Dakar 2019, Roteiro:
 
      MOTOS/ QUADS CARROS/ UTVS CAMINHÕES
DATA ESTÁGIO TRECHO ENTRE ESPECIAL TOTAL ESPECIAL TOTAL ESPECIAL TOTAL
07/jan 1 Lima
Pisco
84 km 331 km 84 km 331 km 84 km 331 km
08/jan 2 Pisco
San Juan de Marcona
342 km 554 km 342 km 554 km 342 km 554 km
09/jan 3 San Juan de Marcona
Arequipa
331 km 799 km 331 km 799 km 331 km 799 km
10/jan 4 M Arequipa -
Moquegua
Tacna
352 km 511 km 352 km 664 km 352 km 664 km
11/jan 5 M Moquegua -
Tacna
Arequipa
345 km 776 km 452 km 714 km 452 km 714 km
12/jan Dia de descanso - Arequipa
13/jan 6 Arequipa
San Juan de Marcona
317 km 839 km 291 km 810 km 291 km 810 km
14/jan 7 San Juan de Marcona
San Juan de Marcona
323 km 387 km 323 km 387 km 323 km 387 km
15/jan 8 San Juan de Marcona
Pisco
361 km 576 km 361 km 576 km 361 km 576 km
16/jan 9 Pisco
Pisco
313 km 410 km 313 km 410 km 311 km 408 km
17/jan 10 Pisco
Lima
112 km 358 km 112 km 358 km 112 km 358 km
TOTAL 2889 km 5541 km 2961 km 5603 km 2959 km 5601 km