Rali

Peterhansel esboça reação e vence sétima etapa, mas Al-Attiyah sustenta liderança confortável no Dakar

Depois dos problemas sofridos nas especiais de sexta-feira e domingo, Stéphane Peterhansel terminou na frente a etapa em laço em San Juan de Marcona. Ao lado do navegador David Castera, o ‘Monsieur Dakar’ foi seguido por Nani Roma e Carlos Sainz. Nasser Al-Attiyah segue na liderança geral dos carros com vantagem confortável para Peterhansel

Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
Etapa em laço
7ª etapa – San Juan de Marcona – San Juan de Marcona
Trecho de especial: 323 km
Deslocamentos: 64 km
Trecho total: 387 km
 
Enquanto houver chance, há esperança. Mesmo bem distante de Nasser Al-Attiyah na classificação geral da disputa dos carros, Stéphane Peterhansel não desiste de conquistar seu 14º título do Rali Dakar. Depois de ter de lidar com problemas nas duas últimas etapas, o ‘Monsieur Dakar’ praticamente dominou a especial em laço em San Juan de Marcona, nesta segunda-feira (14), e levou o Mini John Cooper Works Buggy da equipe X-Raid à ponta ao lado do navegador David Castera. Nasser, no entanto, usou e abusou da experiência e escapou dos erros para manter uma vantagem confortável na liderança da prova, de 29min16s.
 
Quem abriu a especial desta segunda-feira foi o vencedor da sexta especial, Sébastien Loeb. Mas o eneacampeão mundial de rali não levou muita sorte. Logo no começo da etapa, no km 47, o Peugeot 3008 DKR da equipe privada PH Sport apresentou problemas elétricos, decretando o fim de qualquer chance de bom resultado em San Juan de Marcona.
Stéphane Peterhansel ainda luta para vencer seu 14º Rali Dakar (Foto: Marcelo Maragni/Red Bull Content Pool)
Daí em diante, a luta pela vitória ficou entre dois nomes históricos do Dakar: Peterhansel e Nani Roma, os dois defendendo a Mini X-Raid, mas com carros diferentes. O espanhol chegou a liderar a especial no segundo waypoint, mas o dono de 13 títulos do Rali Dakar (seis nas motos e sete nos carros) exerceu forte ritmo e conseguiu abrir vantagem na sequência da etapa para confirmar sua segunda vitória em especiais na edição 2019, a 76ª da carreira no maior rali do mundo.
 
Ao lado do navegador Alex Haro, o bicampeão, que vai fazendo um Dakar muito seguro, repetiu o resultado da segunda etapa e confirmou seu melhor resultado até agora na prova, fechando a etapa 4min33s atrás de Peterhansel. O top-3 em San Juan de Marcona ficou com outro espanhol representante da Mini X-Raid: Carlos Sainz, ao lado do compatriota Lucas Cruz, com 9min28s de atraso para os vencedores do dia.
 
Com o navegador Mathieu Baumel, Al-Attiyah completou a especial na quarta posição com seu Toyota Hilux #301, 11min58s atrás de Peterhansel, conseguindo assim manter uma vantagem confortável restando três etapas para o fim do Dakar.
 
Giniel de Villiers, fora da luta por vitória depois do vazamento de óleo na terceira etapa — na qual finalizou em 68º lugar —, teve seu melhor desempenho desde então para completar a sétima especial na quinta posição com seu Toyota Hilux ao lado do navegador Dirk Von Zitzewitz, companheiro de tripulação do sul-africano desde 2007. Cyril Despres, que compete ao lado do histórico navegador de Stéphane Peterhansel, Jean-Paul Cottret, colocou o Mini Buggy em sexto.
Nasser Al-Attiyah segue firme na briga para conquistar o Dakar pela terceira vez (Foto: Marcelo Maragni/Red Bull Content Pool)
E Loeb, depois de tantas dificuldades no início da prova, quando chegou a passar em 60º no waypoint 1, empreendeu uma reação impressionante para se colocar na 11º. A grande surpresa foi a presença do chinês Wei Han na sétima posição com o Buggy SMG Geely, obtendo o melhor resultado no seu Dakar de estreia.

O asiático, que largou na especial em 18º, completou à frente do Mini John Cooper Works do polonês Jakub 'Kuba' Przygonski, do Ford Raptor do tcheco Martin Prokop — seu contemporâneo dos tempos de WRC — e do Toyota Hilux do holandês Bernhard Ten Brinke, que fechou o top-10.
 
Com três etapas ainda pela frente no Rali Dakar, Al-Attiyah tem tempo total de 25h13min30s e uma dianteira de 29min16s para Peterhansel, com o veterano superando Loeb para retomar a vice-liderança da prova. O francês da Peugeot ainda amargou a perda do terceiro lugar, que agora é de Roma, com o espanhol ficando a 37min59s de Nasser.

Loeb caiu de segundo para quarto, com 54min12s de atraso para o líder, e Despres completa o top-5 da competição dos carros no momento.

De Rooy volta a vencer com Iveco e Nikolaev sustenta ponta nos caminhões
 
Gerard de Rooy não desiste de conquistar seu terceiro Rali Dakar nos caminhões. O holandês, campeão em 2012 e 2016, venceu a segunda especial consecutiva da edeição 2019 nesta segunda-feira, na etapa em laço em San Juan de Marcona. De Rooy vai empreendendo ampla reação depois de ficar praticamente fora da briga ao terminar a terceira etapa em 12º, caindo para sétimo no geral.
 
E foi uma derrota contundente sofrida por Eduard Nikolaev, que completou a especial na terceira posição, 34min35s atrás do holandês. Entre o Iveco de De Rooy e o Kamaz de Nikolaev completou o caminhão Mas, do bielorrusso Siarhei Viazovich, que completou a especial de 323 km com 30min55s de atraso para o líder. Facundo ‘Coyote’ Villagra, argentino que também corre pela Iveco, foi o quarto, com 43min02s de desvantagem para De Rooy.
Gerard de Rooy coloca pressão em Eduard Nikolaev na disputa dos caminhões (Foto: José Mário Dias/Fotop/ASO)
O grande derrotado na disputa dos caminhões nesta segunda-feira foi o russo Dmitry Sotnikov, que ocupava a vice-liderança da classificação geral com 1h50min03s de tempo total atrás de Nikolaev. Mas o dono do caminhão #514 da Kamaz completou a especial apenas em sexto na soma dos resultados provisórios, finalizando atrás do Iveco guiado pelo holandês Maurik Van Den Heuvel, que fez sua melhor etapa no Dakar 2019.
 
Com três etapas ainda pela frente, a disputa do Dakar nos caminhões segue tendo Nikolaev como grande favorito. Na busca pelo seu quinto título do maior rali do mundo — o quarto como piloto —, o russo de 34 anos sustenta vantagem relativamente confortável, de 1h15min28s para De Rooy, o novo vice-líder da prova.