Primeiro campeão dos UTVs no Sertões, Sperancini exalta projeto e fala sobre estreia no Dakar

Bruno Sperancini e Thiago Vargas entraram para a história do Rali dos Sertões como os primeiros a conquistarem o título dos UTVs, categoria que foi disputada pela primeira vez neste ano, em caráter experimental. O objetivo da dupla agora é a disputa do Rali Dakar, em janeiro

Pela primeira vez na história do Rali dos Sertões, a categoria UTV — veículo que é derivado do quadriciclo, mas que conta com uma gaiola e espaço para o banco de piloto e navegador —, fez parte do cronograma de competições da prova. E depois de dez dias de dura competição, muitas dificuldades, três veículos incendiados, quase 5 mil km de muito desafio para 11 duplas, venceu quem conseguiu casar um projeto ambicioso com um UTV que quase não apresentou problemas. Bruno Sperancini e Thiago Vargas conquistaram o título da mais nova categoria do Rali dos Sertões na última terça-feira, em Fortaleza.

Parafraseando Vanderlei Luxemburgo, Sperancini exaltou o projeto desenvolvido visando o Sertões e a disputa dos UTVs no Dakar em janeiro de 2013. Empresário do ramo de mineiração e metais em Minas Gerais, o novo campeão do Sertões disse ao Grande Prêmio que, mesmo com os problemas de uma categoria experimental, a sua avaliação a respeito da primeira competição dos UTVs foi muito boa.

“É uma análise muito positiva. Em primeiro lugar, pela CBM [Confederação Brasileira de Motociclismo], entrando como facilitadora, abrindo o espaço para os pilotos e colocando as opções para os pilotos competirem, tanto como rali baja ou cross-country”, disse o mineiro.

As UTVs fizeram a estreia no Rali dos Sertões neste ano (Foto: Theo Ribeiro/Fotoarena)

“Em segundo plano, o rali em si foi maravilhoso. Foi um desafio, mas um desafio gostoso de ser vencido. Nada de muito sofrimento. Cada etapa que você termina, você quer a próxima, a próxima, e por aí vai”, afirmou o novo campeão do Rali dos Sertões na última terça-feira, em Fortaleza.

Antes de trilhar a rampa da vitória na capital cearense, Sperencini e Vargas viveram dramas dentro e fora da pista. Primeiro, dez dias antes do início do Sertões, o protótipo da dupla, importado pela montadora francesa Xtreme Plus, demorou para ser liberado pela alfândega brasileira. E depois de resolverem os trâmites burocráticos, os competidores enfrentaram adversários de respeito na luta pelo título, mas conseguiam reagir, resistiram os quase 5 mil km, suportaram problemas de aquecimento e não tiveram ocorrência de incêndios para garantir uma vitória histórica.

“Nós começamos muito mal, com 1h30min atrás de um forte adversário, que é o Heronaldo, um grande piloto, e tivemos de nos recuperar a cada dia, etapa após etapa. E até o Jalapão, tudo foi muito difícil para a gente. Então, chegar ao final com dez horas de vantagem, e bem, com um projeto que nós montamos para o Sertões, que nós começamos em março, isso é gratificante demais, estou muito feliz”, vibrou Sperancini.

Sperancini venceu e já mira o Dakar na próxima temporada (Foto: Theo Ribeiro/Fotoarena)

Depois do seu maior desafio correndo de UTV, Sperancini vai, ao lado do navegador Vargas, se preparar para um objetivo ainda maior.

“Agora é descansar uns 15 dias, colocar as coisas em ordem na empresa e vamos viver em função do Dakar”, revelou.

“Como em tudo na vida, no rali, se você quiser se dar bem, é preciso ser profissional, é preciso se preparar. Então, a partir de outubro, começa uma temporada de treinos aqui no Ceará, depois no Maranhão, talvez faremos um rali no Atacama, e ficar pronto para largar em 5 de janeiro, em Lima”, concluiu o campeão dos UTVs.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube