Sainz admite que Rali Dakar 2018 pode marcar fim da carreira, mas insiste: “Só vou pensar no futuro após a prova”

O espanhol Carlos Sainz reconheceu que a edição do próximo ano do Rali Dakar pode ser a última de sua carreira. Ainda assim, o vencedor da prova em 2010 insistiu que só vai pensar no futuro após o fim da competição. A largada do maior rali do mundo acontece no dia 6 de janeiro, em Lima, no Peru

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Carlos Sainz admitiu que a edição 2018 do Rali Dakar pode marcar o fim de sua carreira profissional no automobilismo, mas insistiu em dizer que não vai pensar sobre o futuro até depois do evento, que acontece no próximo mês na América do Sul.

 
A equipe Peugeot vai encerrar o programa cross-country após a disputa do maior rali do mundo em janeiro, porque vai passar a priorizar o Campeonato Mundial de Ralicross. E o vencedor do Dakar em 2010 revelou também que não tem nenhuma proposta de futuro diante da decisão de sua equipe.
 
"Espero dar a Peugeot a vitória em seu último Dakar. E agora não penso em outras coisas a não ser no início da competição em 6 de janeiro", afirmou o espanhol. "Tenho 55 anos e estou perto de parar de correr, mas, neste momento, estou apenas pensando no Dakar", completou.
Carlos Sainz não esconde que Dakar 2018 pode ser o último da carreira (Foto: Red Bull Content Pool)
"Realmente, não estou pensando que este será o meu último rali, estou pensando em vencer apenas. Depois, vou ter tempo para pensar sobre o futuro. Não sei quais serão as minhas opções após janeiro. Até agora, não há nenhuma fabricante que tenha demonstrado interesse em entrar no Dakar. Há apenas a Mini, mas não tivemos nenhum contato", acrescentou o bicampeão do Mundial de Rali.
 
Nos últimos anos, Sainz vem enfrentando dificuldades no Dakar e colecionando abandonos. Em 2015, sofreu um forte acidente e, em 2016, teve uma quebra de câmbio enquanto liderava a prova. No ano passado, também se envolveu em um incidente. "Eu sempre tento vencer. Talvez desta vez tenhamos de ter mais paciência", disse o piloto.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

"O ano em que vencemos foi o ano em que ganhamos menos estágios. Quando você vence uma especial, no dia seguinte tem de abrir a disputa, e isso é ruim. A estratégia é importante, especialmente neste ano. Nós devemos ser mais pacientes, o que, para mim, é sempre complicado", emendou o pai de Carlos Sainz.
 
Para a competição deste ano, o espanhol terá companheiros de Peugeot os franceses Stéphane Peterhansel, Sébastien Loeb e Cyril Despres. O Rali Dakar acontece de 6 a 20 de janeiro, atravessando o Peru, a Bolívia e a Argentina. Ao todo, serão 14 especiais em mais de 9 mil km de competição. Essa será a 40ª edição do maior rali do planeta.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube