Super Prime do 20º Rali dos Sertões tem zebra, duelo épico e final entre irmãos em São Luís

Cerca de 11 mil pessoas assistiram o Super Prime do Rali dos Sertões, na noite deste sábado (18), com duelos nas seis categorias que integram a prova. A grande surpresa foi a eliminação de Stéphane Peterhansel, ainda nas quartas de final, por Romeu Franciosi

 

Público foi de cerca de 11 mil pessoas no Super Prime (Foto: Theo Ribeiro/FotoArena)

Emoção, surpresas, duelos incríveis e até uma festa em família. Assim foi o Super Prime do 20º Rali dos Sertões, realizado na noite do último sábado (18), em São Luís, capital do Maranhão. Cerca de 11 mil pessoas, distribuídas entre arquibancadas e camarotes de uma arena montada no São Luís Shopping puderam acompanhar o evento, criado justamente para integrar o rali e seus competidores ao público em geral. Público que teve a chance de acompanhar algumas disputas memoráveis e que certamente entrarão para a história do automobilismo brasileiro.

A disputa aconteceu em sistema de mata-mata. Lembrando o que ocorre na famosa Corrida dos Campeões, o Super Prime foi realizado em uma pista dupla, bastante sinuosa e de 550 m em que os competidores duelavam entre si após duas voltas. De acordo com os tempos obtidos no Prólogo, pela manhã, os oito melhores tempos de cada categoria avançaram às finais do Super Prime, exceção feita aos Caminhões, Leves e Pesados, que levaram dois pilotos de cada. Nos ‘brutos’, as finais foram disputadas logo de cara, enquanto quadriciclos, motos, carros e UTVs tiveram quartas de final, semifinal e a gloriosa decisão.

E nesse sistema, ninguém poderia imaginar que Stéphane Peterhansel, mito do rali mundial, fosse eliminado ainda na primeira fase do Super Prime. Correndo ao lado de Jean-Paul Cottret, o decacampeão do Dakar foi batido por Romeu Franciosi, que ao lado do inseparável navegador Rafael Capoani, já ganhou uma vez o Sertões, em 2006. Alguns duelos previstos, como Peterhansel contra Guilherme Spinelli, ou mesmo Felipe Zanol contra Jean Azevedo, vão ficar mesmo para os outros nove dias de disputa de um dos maiores ralis do mundo, que inicia sua viagem pelos sertões do Brasil no domingo (19).

Festa da família Baumgart no Super Prime do Rali dos Sertões (Foto: Theo Ribeiro/Fotoarena)

A primeira final do Super Prime aconteceu logo no início da noite de São Luís, nos Caminhões Leves, envolvendo Rafael Martínez-Conde, que correu ao lado de José Papacena Neto e Leandro Oliveira, contra Carlos Policarpo, que guiou um Ford F4000 4×4. Depois de estar em desvantagem na maior parte da prova, Policarpo tirou a diferença e cruzou a linha de chegada à frente do rival, um dos destaques do Sertões do ano passado.

Nos Caminhões Pesados, Edu Piano, que foi o mais rápido do Prólogo, recebeu uma punição e não pôde participar do Super Prime contra o trio Guido Salvini, Flávio Bisi e Fernando ‘Ventania’ Chwaigert. Melhor para Ulusses Marinzeck Filho, que ao lado de Evandro Bautz e Adriano Silva, herdou a vaga do pentacampeão do Sertões. Mas na hora da disputa, o piloto da Ford Autoliner ficou atolado na terra e perdeu muito tempo, deixando o caminho facilitado para a vitória de Salvini.

Aí depois vieram os quadriciclos e UTVs. Primeiro foram os quadris. Tom Rosa, atual campeão, começou bem sua jornada rumo ao bicampeonato ao bater Marcelo Medeiros em São Luís. Já na final dos UTVs, nova categoria do Rali dos Sertões, a vitória ficou com Sylvio de Barros. Correndo ao lado do navegador Pipo Mirone, o experiente piloto, que é o atual campeão da Porsche Challenge, usou o modelo com o Mach 5 estampado e bateu um dos favoritos ao título, Robert Nahas e seu navegador, o luso Nuno Fojo.

Campeão do Porsche Challenge, Sylvio de Barros venceu o Super Prime nos UTVs, novidade de 2012 (Foto: Theo Ribeiro/Fotoarena)

Aí vieram os duelos mais aguardados da noite: motos e carros, que, inclusive, tiveram transmissão ao vivo pela TV. A maioria das disputas foi marcada pela emoção e pelo equilíbrio. Nas motos, os duelos das quartas de final eram entre Jean Azevedo contra Guilherme Piva, Gregório Castelani versus Ike Klaumann, Felipe Zanol na luta contra Ricardo Martins, além de Guto Klaumann em oposição a Nielsem Bueno.

Jean teve uma vitória tranquila nas quartas de final, facilitada ainda mais pela queda de Piva, que, ainda assim, seguiu até o fim da prova e foi aplaudido pelo povo nas arquibancadas da arena. Depois foi a vez de Castelani, que travou duelo com Ike e venceu de maneira emocionante. Felipe Zanol, por sua vez, dominou sua etapa e bateu Ricardo Martins com certa facilidade. Bem diferente de Guto Klaumann x Nielsem, que bateu o caterinense de Rio Negrinho nos milésimos.

Assim, as semifinais foram disputadas entre Jean contra Gregório e Zanol versus Nielsem. E aí aconteceu a primeira grande surpresa do Rali dos Sertões. Castelani, com uma Honda CRF 450, teve um ótimo rendimento e bateu uma das lendas do Sertões, avançando para uma final improvável. Zanol, por sua vez, também carimbou sua ida à final. O mineiro de Belo Horizonte não teve dificuldades, uma vez que seu oponente sofreu uma queda durante o Super Prime. A final das motos ficou entre Zanol contra Gregório.

Com os finalistas das motos já garantidos, era a vez de definir o duelo final dos carros. Muita gente imaginava que a disputa derradeira aconteceria entre Stéphane Peterhansel e Guilherme Spinelli, os dois pilotos que, de maneira reconhecida até pelos adversários, têm os carros mais rápidos da competição. Mas ninguém imaginaria que dois carros de pinturas idênticas e pilotados por irmãos é que seriam os protagonistas da noite maranhense.

Nas quartas de final, Peterhansel e Jean-Paul Cottret encararam Romeu Franciosi e Deco Muniz. A princípio, o duo francês pareceu que iria confirmar o favoritismo, mas o lendário piloto cometeu dois erros em sua passagem. Franciosi aproveitou, forçou em sua última volta e conseguiu o feito de ser mais rápido que Peterhansel. Na área dos boxes, minutos mais tarde, Deco brincou ao dizer que Franciosi “até poderia voltar para casa”, tamanha era a felicidade de bater o mítico francês.

Mito Peterhansel foi surpreendido por Romeu Franciosi e foi eliminado nas quartas de final do Super Prime (Foto: Theo Ribeiro/Fotoarena)

Após disputa emocionante, Marcos Baumgart e Kleber Cincea derrotaram os irmãos Maurício e Gustavo Bortolanza e avançaram às semifinais. Spinelli e Marcos Moraes, duas lendas do Rali dos Sertões, travaram outro duelo igualmente emocionante, tendo o carioca como o grande vencedor. Faltavam Riamburgo Ximenes e Cristian Baumgart. Correndo com BMW X3 da equipe X-Raid, o experiente cearense cometeu um erro em sua primeira passagem, deixando o caminho livre para a vitória de Cristian.

Os duelos das semifinais dos carros tiveram Franciosi contra Marcos Baumgart e Spinelli versus Cristian. Na primeira contenda, o piloto da XRally venceu de forma até tranquila, garantindo sua vaga na final. Contudo, a disputa entre Spinelli e Cristian Baumgart foi espetacular. Os dois andaram praticamente toda a prova juntos, no mesmo ritmo, e só definiram o vencedor na última curva, quando o carioca cometeu um erro, perdeu a tração do seu Lancer, e deixou caminho para uma vitória histórica de Baumgart, que coroou uma final em família diante dos olhos de São Luís e do Brasil.

Na última disputa nas motos, Felipe Zanol espantou a zebra Gregório e foi um dos favoritos a vencer o Super Prime. Com a novidade no regulamento, que agora permite ao vencedor do Super Prime escolher a posição de largada, Felipe iniciará a prova em quarto.

Felipe Zanol venceu o Super Prime que aconteceu no Shopping São Luís no último sábado (Foto: Theo Ribeiro/Fotoarena)

Nos carros, os irmãos Baumgart travaram um duelo épico. A prova foi emocionante do começo ao fim, mas, no fim das contas, Marcos levou a melhor. No melhor estilo rali, Cristian, Kleber Cincea, Marcos e Beco Andreotti, subiram no carro do campeão do Super Prime. Festa da família Baumgart em São Luís. Como tática da Mercedes, Marcos optou por largar em 3º. Spinelli larga na frente, seguido por Cristian Baumgart e Stéphane Peterhansel.

Depois da festa diante do público de São Luís, é chegada a hora de cair na estrada. A partir de domingo, serão percorridos quase 5 mil km pelos sertões do Brasil. Às 7h55, as motos iniciam ‘pra valer’ o 20º Rali dos Sertões na Avenida Litorânea, rumo a Barreirinhas, sendo seguidas por quadris e UTVs. O primeiro carro, de Guilherme Spinelli, parte às 10h30, com os caminhões vindo logo depois para fechar a rota do primeiro dia de especiais.

Confira os detalhes da primeira etapa do Rali dos Sertões 2012:

19/08: 1ª Etapa (Largada)
São Luís (MA) – Barreirinhas (MA)
Deslocamento Inicial: 134 km
Trecho de Especial: 176 km
Deslocamento Final: 55 km
Percurso total: 365 km

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube