Rali

Varela e Gugelmin reagem e levam nona etapa nos UTVs. López fica perto de vencer Dakar pela 1ª vez

Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin se recuperaram do duro revés sofrido na última terça-feira e venceram quase de ponta a ponta a nona e penúltima especial do Dakar 2019, ao redor de Pisco. Francisco ‘Chaleco’ López, que faz seu primeiro Dakar nos UTVs, está a um dia de levar o Chile ao topo do pódio
Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
Etapa em laço
9ª etapa – Pisco – Pisco
Trecho de especial: 313 km
Deslocamentos: 96 km
Trecho total: 409 km
 
Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin, atuais campeões do Rali Dakar nos UTVs (ou SXS), voltaram a sentir o gosto de vencer uma etapa da edição 2019. Na nona e penúltima especial da prova, com percurso em laço disputada ao redor de Pisco nesta quarta-feira (16), a dupla brasileira, que acelera um Can-Am Maverick X3, mostrou que tinha ritmo de sobra para lutar pelo bicampeonato se não fosse pelo duro revés sofrido na especial da última terça-feira. Responsável pela pilotagem, Reinaldo Varela completou a etapa de 313 km em 4h20min02s, colocando 3min03s de frente para Gerrard Farrés Guell e 11min26s de vantagem para o chileno Francisco ‘Chaleco’ López, muito perto de vencer seu primeiro Dakar na carreira.
 
Na oitava e antepenúltima etapa, Varela e Gugelmin chegaram à zona de meta apenas com o 15º melhor tempo e 1min26min58s de atraso para ‘Chaleco’, que tem ao seu lado como navegador o compatriota Álvaro Quintanilla. A dupla caiu de primeiro para quarto na classificação geral, a 1h22min55s da liderança.
Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin voltaram a vencer no Dakar 2019 (Foto: Marcelo Machado de Melo/photosdakar.com)
Varela e Gugelmin passaram por um grande buraco no km 96 da especial de terça-feira. O trecho acabou por danificar a suspensão do UTV. A dupla ficou parada por cerca de uma hora e meia até esperar a chegada de Bruno Varela e Maykel Justo, que tinham uma peça reserva para substituição. Só então o conjunto campeão do Dakar 2018 pode seguir em frente para completar a especial.
 
Desta vez, contudo, não houve nenhum grande problema, e o Can-Am #340 comemorou mais uma vitória na edição 2019 do Rali Dakar. 
 
Cristian Baumgart, que conquistou seu melhor resultado na prova na última terça-feira ao finalizar a oitava especial em segundo lugar ao lado do navegador Beco Andreotti, passou por todos os waypoints entre os cinco primeiros, variando entre o segundo lugar, no início da etapa, e a quarta posição, já nos quilômetros finais. Contudo, uma quebra levou a tripulação do Can-Am X3 #398 da equipe X Rally a perder todo o bom tempo de prova ao longo da etapa.
 
Assim, o quarto lugar provisório ficou com os chilenos Hernán Garces e Juan Pablo Latrach, enquanto norte-americano Casey Currie, que forma dupla com o espanhol Rafael Córdoba, completou o top-5 de momento da classificação dos UTVs na quinta-feira.
 
Com apenas uma curta especial de 112 km a ser disputada entre Pisco e Lima, ‘Chaleco’ López tem uma vantagem confortável de 59min49s para Farrés Guell. Oriundo das motos no Dakar — assim como Farrés —, ‘Chaleco’, que já foi terceiro colocado em 2010 e 2013, está a apenas um dia de confirmar a inédita conquista do Rali Dakar, mantendo assim a hegemonia sul-americana nos UTVs.