Rali

Walkner triunfa em oitava etapa, Price assume liderança e Quintanilla sobe para segundo no Dakar

A luta pelo título das motos continua pra lá de imprevisível. Mattias Walkner venceu a oitava especial do Rali Dakar com a KTM, entre San Juan de Marcona e Pisco, seguido pelo chileno Pablo Quintanilla, da Husqvarna, e por Toby Price, novo líder da classificação geral, mas com Quintanilla bem próximo, apenas 1min03s atrás. Ricky Brabec foi a grande baixa do dia
Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
8ª etapa – San Juan de Marcona – Pisco
Trecho de especial: 360 km
Deslocamentos: 215 km
Trecho total: 575 km
 
O Rali Dakar 2019 chegou nesta terça-feira (15) ao fim do seu antepenúltimo dia com um novo líder na classificação geral das motos. Campeão em 2016, Toby Price fez sua parte, terminou em terceiro a oitava especial da prova, entre San Juan de Marcona e Pisco, no Peru, ficando atrás apenas de Matthias Walkner, o grande vencedor da etapa, e Pablo Quintanilla, sendo superado apenas nos quilômetros finais antes da zona de meta. O australiano ainda contou com o duro revés de Ricky Brabec, que viu o motor da sua moto Honda quebrar e abandonou o maior rali do mundo
 
Só que a luta pelo título da prova segue indefinida e, por isso mesmo, emocionante. Price colocou a KTM na liderança do Dakar com dois dias para o fim do rali, mas está a apenas 1min03s à frente de Quintanilla, piloto que vem exercendo forte ritmo, mas que sofre com a irregularidade. 
 
Na sequência, aparecem outras duas KTM: Walkner, o atual campeão, em terceiro lugar, e Sam Sunderland. Adrien Van Beveren desperdiçou grande chance de ficar mais perto da vitória, caiu de segundo para quinto, mas ainda tem suas chances. O francês da Yamaha tem 9min54s de atraso para o novo líder geral do Dakar nas motos.
Matthias Walkner honrou o #1 e venceu a difícil oitava especial do Dakar (Foto: Marcelo Maragni/Red Bull Content Pool)
Restam apenas duas etapas pela frente no Rali Dakar 2019: a especial em laço, realizada em Pisco, e no retorno da prova a Lima, na próxima quinta-feira.
 
Price abriu a especial rumo a Pisco na terceira colocação, atrás de Brabec e da Yamaha do francês Adrien Van Beveren. Sam Sunderland, da KTM, e Pablo Quintanilla, da Husqvarna, completavam o top-5 com os cinco separados por menos de dez minutos. Mas todo o desenrolar da etapa desta terça-feira foi favorável não apenas a Price, mas à KTM como um todo, sobretudo com o abandono de Brabec no início da especial.
 
A marca austríaca colocou dois pilotos entre os três primeiros na chegada a Pisco, com Walkner vencendo a etapa e o e Price fechando em terceiro lugar. Quintanilla, que ainda sonha em quebrar a incrível série de 17 anos da KTM como vitoriosa no Dakar, largou em 14º, se recuperou de um dia ruim e partiu para o tudo ou nada, finalizando o dia em segundo, somente 45s atrás do vencedor.

 
O chileno foi seguido por duas KTM: a de Price e do britânico Sam Sunderland. Andrew Short, norte-americano que faz com a Husqvarna seu segundo Dakar, obteve seu melhor desempenho em especiais neste ano ao terminar na boa quinta colocação. 
 
Na grande chance que teve de assumir a liderança da classificação geral, Van Beveren não correspondeu e perdeu 11min48s em relação ao vencedor da etapa e ficou mais distante da ponta com o triunfo de Walkner em Pisco ao completar a especial em sexto.
 
Luciano Benavides, da KTM, garantiu o sétimo tempo da etapa, seguido pelas Honda do chileno José Ignácio ‘Nacho’ Cornejo Florimo e do argentino Kevin Benavides, enquanto o francês Xavier de Soultrait, da Yamaha, completou o top-10 do dia.

Outra grande baixa da prova foi a do eslovaco Stefan Svitko. O experiente piloto, que fazia seu décimo Dakar — tendo terminado a edição de 2016 em segundo — foi vítima de uma queda no início da especial, que resultou em um traumatismo craniano. Svitko, que começou o dia como oitavo colocado na classificação geral, foi levado para avaliação médica.


Cavigliasso tem vitória tranquila e encaminha título nos quadriciclos
 
A disputa do Rali Dakar 2019 nos quadriciclos tem nome e sobrenome: Nicolas Cavigliasso. O argentino venceu a sétima de oito etapas da prova com uma exibição praticamente perfeita nesta terça-feira, passando em primeiro em todos os waypoints e com vantagem confortável perante os adversários mais diretos.
 
O piloto de 27 anos, que faz seu segundo Dakar, liderou uma nova trinca argentina ao completar a especial com tempo total de 5h18min53s, a 9min10s de vantagem para o segundo colocado, o compatriota Gustavo Gallego, que deixou para trás Jeremias González Ferioli por apenas 6s. 
Nicolas Cavigliasso (Foto: Vinícius Branca/Fotop/ASO)
Novamente, o europeu melhor colocado foi o francês Alexandre Giroud, que ficou a 9min53s do tempo de Cavigliasso, enquanto Manuel Andujar, também argentino, finalizou na quinta posição.
 
Cavigliasso tem duas etapas para administrar uma vantagem confortável de 1h24min52s na classificação geral para González Ferioli, enquanto Gallego completa o top-3 todo argentino nos quadriciclos, com 1h47min49s de desvantagem.