Zanol vibra com “primeira de muitas” vitórias no Sertões e volta foco para disputa do Dakar 2013

Multicampeão no enduro no Brasil e em Portugal, Felipe Zanol admitiu que, após o título do Sertões, pretende se dedicar cada vez mais ao rali e agora está focado na preparação visando o Dakar, onde correrá pela equipe oficial da Honda, a HRC

A vitória de Felipe Zanol no Rali dos Sertões bateu na trave duas vezes, mas veio, de forma dominante, em 2012. O mineiro pode ser considerado, na atualidade, como o principal piloto brasileiro de rali cross-country. Sua evolução desde quando fez seu primeiro Sertões, em 2010, foi absurda. Vice naquele ano, ficando só atrás do lendário Marc Coma, repetindo o resultado no ano passado, sendo batido pelo polêmico Cyril Després. Mas tudo foi diferente em 2012.

A começar com a sua estreia no Dakar. Depois de 15 dias cruzando as savanas argentinas e o temido deserto do Atacama rumo a Lima, capital do Peru, Zanol, ainda correndo pela KTM, foi o melhor piloto das Américas nas motos e terminou em décimo, resultado ótimo para quem disputou o maior rali cross-country do mundo pela primeira vez. Meses depois, Felipe, de 30 anos, foi confirmado como piloto oficial da Honda, visando o Dakar 2013. Mas antes veio o Sertões, prova dominada por Zanol do início ao fim.

Foram cinco vitórias em dez especiais disputadas entre São Luís, no Maranhão, e Fortaleza, palco da chegada do 20º Rali dos Sertões. Para deixar a festa ainda mais completa, Zanol dividiu o ‘pódio’ na rampa da vitória com seus dois companheiros de equipe na Honda, que recebe o apoio da Brasil Moto Tour, chefiada pelo experiente Dimas Mattos, quinto colocado no geral: Dário Júlio Souza, em segundo, e Nielsen Bueno, que surpreendeu e terminou em terceiro lugar em seu primeiro rali ‘pra valer’, já que, em 2009, ele participou apenas como ‘mochileiro’, sendo o piloto responsável por largar mais pesado e oferecer suporte aos companheiros de equipe.

Zanol venceu sua primeira edição do Rali dos Sertões (Foto: Theo Ribeiro/Fotoarena)

Na entrevista coletiva concedida logo após receber a medalha da vitória, a “primeira de muitas e a mais importante e marcante de sua carreira”, na última terça-feira (28), Zanol revelou que pretende voltar o foco da sua carreira para o rali. Natural de Belo Horizonte, Felipe já foi bicampeão português de enduro e heptacampeão brasileiro, além de colecionar títulos na Copa Pacato. Mas com a sua ascensão meteórica no cross-country, o vencedor do Sertões acredita que é hora de mudar a direção da sua carreira. “Cada vez mais o foco será o rali.”

Zanol contou que, em seus dois primeiros anos de Sertões, aprendeu muito ao duelar com duas lendas vivas do esporte: Marc Coma e Cyril Després; principalmente com o francês, tetracampeão do Dakar e bicampeão do Rali dos Sertões, tendo vencido seu último título no Brasil no ano passado.

“São nas derrotas que a gente aprende os detalhes para as vitórias. Acho que no primeiro ano, não tanto, até porque foi a minha estreia, o máximo que eu queria era terminar, mesmo. Mas ano passado sim, com o Cyril ainda fazendo parte da equipe [KTM] em que eu estava”, comentou Felipe, que foi mais maduro para seu terceiro Sertões, ainda mais por ter disputado antes um bom Dakar. “Aprendi muito, amadureci muito com a disputa do ano passado, e principalmente com a disputa do Dakar deste ano. Acho que tudo isso me ajudou muito nessa vitória no Sertões”, disse.

Ao comentar sobre a sua conquista mais importante, como ele mesmo definiu, Zanol, assim como a maioria dos pilotos, considerou os primeiros dias, ainda no Maranhão, os mais duros do Rali dos Sertões, que mudou um pouco a dinâmica deste ano e teve a maior parte do seu percurso composta de piso de areia.

Zanol já foca os esforços para disputar o Dakar no início de 2013 (Foto: Theo Ribeiro/Fotoarena)

“Foi uma edição dura. Acho que os dois primeiros dias, na areia, assustou um pouco o pessoal. Foi um Sertões diferente, com muita areia, um Jalapão bem puxado, com quase 500 km. Fiquei feliz e satisfeito por ter conquistado uma vitória com esta, em uma edição de 20 anos. Para mim esse título é muito importante, para os meus patrocinadores, para a Honda, para todo mundo”, comemorou.

Ainda em clima de comemoração pela vitória no Rali dos Sertões, Zanol já está com o foco voltado para o Dakar, que vai de 5 a 20 de janeiro, entre Lima, no Peru, e Santiago, capital do Chile, cruzando também boa parte da Argentina. E para chegar à competição bem preparado, Felipe vai viajar o mundo para testar com a Honda, sua nova equipe.

“Agora é mudar o foco para o Dakar. Vou para o Japão no mês que vem, depois vou ao Marrocos treinar com a nova moto, sempre pensando no Dakar. Não tenho outro pensamento que não seja melhorar a minha colocação”, disse o décimo colocado na prova deste ano.

“Mas antes de melhorar essa colocação, é chegar ao final do Dakar e adquirir experiência. Para quem sonha em conquistar bons resultados, é preciso acumular experiência. Já peguei um pouco neste ano, vou pegar ainda mais no ano que vem”, encerrou o vencedor nas motos do 20º Rali dos Sertões.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube