Rodrigo Varela/Dums vence início da Maratona nos UTVs e assume ponta do Sertões

Dupla formada por Rodrigo Varela e Gunnar Dums ganhou a segunda especial do Sertões 2020 e passou a liderar a classificação geral dos UTVs

Leia no GRANDE PREMIUM
Como Sertões almeja superar Dakar e ser o maior rali do mundo
A galeria com todos os campeões e as lendas do Sertões

Etapa 2: Bolha 1/DF a Bolha 2/GO – 1ª parte etapa Maratona ‘Renê Melo’
2 de novembro, segunda-feira
Deslocamento inicial: 166 km
Trecho cronometrado: 353 km
Deslocamento final: 0 km
Total: 519 km

A segunda especial da edição 2020 do Sertões já ofereceu aos competidores um dos momentos mais dramáticos a quem pretende cumprir as provas até o final. Nesta segunda-feira (2), na Maratona, momento em que o auxílio externo das equipes é bloqueado, os UTVs largaram às 8h25 (de Brasília) para que percorressem o caminho entre Brasília e a cidade de Minaçu, no interior de Goiás, e passando pelo Parque Nacional da Chapada dos Viadeiros. A vitória ficou com Rodrigo Varela e Gunnar Dums.

Leia também: Motul une forças com Sertões, traz expertise de lubrificantes e batiza categoria dos fortes

A dupla que venceu a primeira parte da Maratona no Sertões estava a bordo de um UTV Can-Am Maverick X3 XRS da equipe Varela Can-Am Monster Energy, que já vencera a especial de abertura com outra dupla: a de Bruno Varela e Gustavo Bortolanza.

Varela/Dums completaram a etapa do dia em 5h34min14s, chegando ao ponto final, em Minaçu, às 14h05. Rodrigo, aliás, também é filho de Reinaldo Varela, vencedor dos UTVs no Rali Dakar 2018 ao lado de Gustavo Gugelmin. A dupla está no Sertões, mas completou a Maratona 15min15s atrás e na 14ª posição.

A segunda colocação da especial coube a Denisio Casarini e Ivo Renato Mayer, da Casarini Racing, que completou o estágio em 5h36min11s. Apenas 1min56s, portanto, mais lento que os vencedores da maratona.

Leia também: De Mogi Guaçu a Barreirinhas e etapa Maratona no início: o roteiro do Sertões 2020
Da luta contra morte ao renascimento: Helena Soares coroa história de um milagre no Sertões

Na realidade, as seis duplas mais rápidas conseguiram chegar num espaço de 5min. Rodrigo Luppi e Maykel Justo, da Território Motorsport, finalizaram 1min58s atrás, ao passo que Denisio do Nascimento e Idali Bosse, da Bompack Racing, fecharam 2min11 atrás.

Bruno Varela e Bortolanza, vencedores da etapa de debute, chegaram em quinto e 3min48s mais lentos que os donos do UTV irmão. Cristiano Batista e Robledo Nicoletti completaram 3min53s depois dos líderes.

Após duas especiais, Varela/Dums lidera o Sertões 2020 entre os UTVs: tem 9h23min15s de cronometragem total. Do Nascimento/Bosse estão 1min24s atrás, ao passo que Varela/Bortolanza tem defasagem de 2min56s. Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin estão na 12ª posição, 18min55s atrás da liderança.

BRUNO VARELA; SERTÕES; ETAPA 1;
Bruno Varela agora é o terceiro na disputa geral (Foto: Victor Eleutério/Mídias Sertões)

Como foi a segunda especial

A especial teve um início rápido, mas vai se tornou mais exigente com uma subida de serra em trial. No alto, os competidores seguiram pelo topo da serra, permeado por lajes de pedra até a fazenda. Na segunda parte da especial, já na saída da fazenda, as velocidades foram maiores, mas o trecho compreendeu a presença de fesh fesh, aquela areia fina como um talco.

Houve ainda uma travessia por um rio até chegar a uma pista de característica travada e estreita. Nos últimos 50 km, a velocidade voltou a subir até uma zona de radar, culminando no parque de apoio que marca o fim da especial. Desta vez, a chegada à Bolha 2 foi o desfecho da etapa, uma vez que não houve deslocamento final ao longo de um percurso total de 519 km.

Na terça-feira, a terceira especial será a da segunda parte da Maratona. Começando e terminando dentro do território goiano, o trecho terá muitas alterações de velocidade e subida bastante íngreme em serra com direito a pedras, depressões, pontos-cegos e abismos dos dois lados da estrada.

Sertões 2020, classificação após etapa 2, UTVs:

1RODRIGO VARELA
GUNNAR DUMS
CAN-AM MAVERICK X3 XRS 9:23:15 
2DENÍSIO DO NASCIMENTO
IDALI BOSSE
CAN-AM MAVERICK X3 XRS 9:24:390:01:24
3BRUNO VARELA
GUSTAVO BORTOLANZA
CAN-AM MAVERICK X3 XRS 9:26:120:02:57
4DENÍSIO CASARINI
IVO RENATO MAYER
CAN-AM MAVERICK X3 9:26:190:03:04
5CRISTIANO BATISTA
ROBLEDO NICOLETTI
CAN-AM MAVERICK X3 XRS 9:26:580:03:43
6RODRIGO LUPPI
MAYKEL JUSTO
CAN-AM MAVERICK X3 XRC 9:26:580:03:43
7GABRIEL VARELA
EDUARDO SHIGA
CAN-AM MAVERICK X3 XRS 9:34:580:11:43
8RICHARD FLITER
ANDRÉ MUNHOZ
CAN-AM MAVERICK X3 9:37:490:14:34
9CRISTIAN MAI DOMECG
JOÃO LUIS STAL
CAN-AM MAVERICK X3 XRC TURBO R 9:39:430:16:28
10GABRIEL CESTARI
JHONATAN ARDIGO
CAN-AM MAVERICK X3 XRS 9:40:260:17:11

Da luta contra morte ao renascimento: Helena Soares coroa história de um milagre no Sertões

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube