Shell

Com Vitor e Felipe Baptista, Academia Shell Racing espera desafio na Porsche Cup no Velo Città: é “difícil passar”

O Velo Città traz um novo tipo de corrida para a Academia Shell Racing, representada pelos irmãos Vitor e Felipe Baptista. A dupla relata preparação intensa, usando também simulador, para chegar afiada ao autódromo paulista

Grande Prêmio / Redação GP, de Berlim
O Velo Città, casa da Porsche Cup no próximo fim de semana, reserva novos desafios para a Academia Shell Racing. Os pilotos da equipe, os irmãos Vitor e Felipe Baptista, partem para o autódromo do inteiro paulista já com algo em mente: não importa o tamanho da experiência e as horas no simulador, já que a pista não vai favorecer muito quem precisar de ultrapassagens.
 
Mesmo assim, Vitor Baptista tem motivos para se alegrar. O bom começo de ano do jovem piloto permitiu a liderança na classe 4.0, condição que agora precisa ser defendida.
 
“Estou superfeliz com meu desempenho nas duas primeiras etapas”, disse Vitor. “Começamos esse ano com o pé direito, estamos fazendo um trabalho praticamente perfeito. Temos que manter o foco. O Velo Città é uma pista muito interessante, temos que classificar na frente para conseguir pontuar bem, pois é uma pista de difícil ultrapassagem. Eu venci uma das corridas aqui no ano passado e isso me da mais confiança, conheço bem a pista. É isso aí”, seguiu.
 
“Vamos para cima, torcer para dar tudo certo e fazer um bom trabalho com a equipe e com meu irmão. Vamos com tudo. Vamos tentar fazer a Academia Shell vencer tanto na 4.0 quanto na 3.8”, destacou.
Vitor e Felipe Baptista, da Academia Shell Racing (Foto: Luca Bassani/Divulgação)
Felipe, que também vive bom de 2019, vê Velo Città como uma espécie de desafio diferente. É hora de comprovar rápida adaptação, apoiada pelo trabalho de simulador.
 
“Minha expectativa é bem alta. Acho que vamos conseguir andar bem lá, pois é uma pista que eu já conheço e consegui ir rápido sem conhecer o carro”, comentou Felipe, atualmente com 16 anos e na busca pelo título da classe 3.8. “Tenho tudo para ir melhor agora, já que conhece bem o carro e tenho a ajuda do Vitor e do [Fábio] Carbone. Quero melhorar os resultados da última corrida, quando cometi um erro e deixei escapar a vitória na primeira corrida. Quero manter o ritmo no Velo Città e tentar fazer mais uma pole e conseguir mais uma vitória. Estou treinando bastante na Pilotech, tanto no simulador quanto a parte física, já que é uma pista que tem um desgaste físico maior. É isso. Vamos com tudo”, encerrou.