22° no PR, Barrichello define estreia como ótima e exalta experiência: "Foi muito, muito válido"

Rubens Barrichello completou a estreia na Stock Car na 22ª posição neste domingo (21) em Curitiba. O piloto de 40 anos exaltou a experiência e aprovou seu desempenho

Mesmo diante de problemas mecânicos e falta de experiência com o carro da Stock Car, Rubens Barrichello considerou positiva sua estreia na categoria nacional neste domingo, na pista de Curitiba, que viu a vitória de Átila Abreu de ponta a ponta na décima etapa da temporada. Barrichello foi capaz de minimizar os danos do impacto que sofreu ainda na confusão da largada, disputou posições no bloco intermediário, mas um pneu furado na parte final da corrida o fez cair par ao fundo pelotão. Rubens completou a corrida paranaense em 22°. 

“Hoje, como fã da Stock Car, quando sentei a primeira vez no carro, vi a real diferença que é para um monoposto e as dificuldades de largada e tudo mais. Quer dizer, a experiência do dia de hoje foi muito, muito válida. E pelas dificuldades no toque no carro, acho que o pessoal que batalhou hoje pelos dez primeiros lugares fez um grandíssimo trabalho”, disse o veterano, durante entrevista coletiva após a corrida.

Rubens Barrichello cruza em 22° na estreia na Stock Car em Curitiba (Foto: Miguel Costa Jr./MF2)

“A minha experiência hoje foi ótima”, celebrou, em seguida. “Eu estava esperançoso de fazer uma boa prova porque meu carro estava bom com pneus velhos. E fiz até uma boa largada. Não sei quanta gente eu passei, mas fiz uma boa largada. Eu me posicionei muito bem por fora, mas na hora em que fui entrar [na primeira curva], ficou parecendo naquela coisa de shopping center: em que fica batendo na frente e atrás para sair da vaga”, explicou Rubens sobre a largada, acrescentou que ainda perdeu o rádio logo depois que se livrou dos contratempos da primeira volta.

“Eu estava encostando no (Antonio) Pizzonia um pouquinho, mas tomei uma pancada atrás logo depois e daí alguém rodou. E quando aconteceu isso, fechou tudo e foi só batida para tudo que é lado. Até o volante saiu da minha mão uma hora. E quando entrei na reta, já bem para trás, vi o volante torto. Foi aí que disse para a equipe que o carro estava torto, mas que ia continuar assim mesmo. Depois disso, na segunda volta, perdi o rádio”, revelou o veterano. 

“E perder o rádio na estreia é fogo. Mas eu sabia algumas coisas que estavam acontecendo, como a saída do safety-car. Mas você perde muito com esse problema. Quando o pneu furou, não tive como dizer à equipe que eu queria a troca dos quatro pneus. Como trocaram um só, o carro ficou desequilibrado, ficou muito traseiro, e eu só pensei em não atrapalhar ninguém. Mas quis continuar assim mesmo. Aquela pancada no início, fechou o meu escapamento e eu perdia muito potência também. Mesmo assim, eu queria essa experiência. E valeu”, completou. 

Por fim, Barrichello, assim como acontecera na Indy, exalta que ainda tem muito que aprender. “Hoje foi muito bom para aprender. Fiquei muito feliz. E já estou sentindo falta. Foi tudo muito, muito válido. Por tudo, acho que foi uma boa estreia”, falou. 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube