Stock Car

Após sexta com volta que “pegou na veia”, Casagrande quer “frio, não chuva” por pole na final em Interlagos

Dono do melhor tempo dos treinos livres de sexta-feira (7), Gabriel Casagrande quer que o tempo em São Paulo fique, neste sábado de classificação, como esteve na última tarde: “meio frio, mas sem chuva”. Aí, ele pensa que pode brigar pela pole na decisão

Warm Up, de São Paulo / FELIPE NORONHA, de Interlagos
Dono do melhor tempo dos treinos livres da última sexta-feira (7) em Interlagos, com 1min36s785 (no TL2), Gabriel Casagrande quer se despedir da Vogel, já que se muda para a Cimed em 2019, lutando por vitória na etapa final da Stock Car desta temporada. Para isso, é daqueles que vai torcer por um tempo 'quase chuvoso'.

Alheio à disputa do título, já com foco entre Felipe Fraga e Daniel Serra, o piloto quer se meter na frente do grid da decisão, já que o carro parece permitir esse sonho.

"Foi um dia bem bacana", disse ele, sobre a sexta, em entrevista ao GRANDE PRÊMIO. "A gente começou com pneus muito ruins, mas sabia disso. Então tivemos que acalmar os ânimos, quando o pessoal começa a se exaltar quando o tempo não vem. A gente sabia que o tempo ia ser bom por causa do retrospecto do carro - mas não achava que seria tão bom assim", resumiu.

"Foi uma volta muito bacana, pegou na veia. Tem uma disparidade com o que vai ser amanhã (este sábado) na classificação, teoricamente. Isso eu deixo para os engenheiros trabalharem. Mas eu acho que o trabalho na pista foi muito bem feito, muito legal. A gente não perdeu tempo, a chuva não colocou em risco nosso carro. Bem contente com o dia e torcer para amanhã termos o mesmo desempenho e largar na frente nessa corrida", seguiu.
Gabriel Casagrande (Foto: Fernanda Freixosa/Stock Car/Vipcomm)
Questionado sobre a melhor situação para que possa disputar a pole, citou a tarde de sexta como dona do tempo ideal: "Quero do jeito que foi agora, meio frio, mas não chovendo, porque foi como a gente virou agora, já temos acerto para isso."

"Mas eu sei que em São Paulo é complicado, começou a chover aqui (na reta), mas lá embaixo estava seco. É uma doideira. Acontece isso aqui, é bom para quem assiste, mas para quem está dentro fica complicado. Só não quero muito mais calor, mas sem chuva", opinou.

Por fim, assumiu: nem só por talento ou de qualidade do carro a classificação vai ser decidida: "Vira um pouco de sorte, porque a hora em que a gente for para a pista tem que torcer para estar seco, caso esteja desse jeito, e se eu for para a pista assim e chover no outro grupo já me ajuda um pouquinho", torce.

A Stock Car volta a acelerar em Interlagos nesta manhã de sábado, a partir de 8h40 (horário de Brasília), com o TL3. O treino classificatório que vai definir o grid de largada está marcado para 12h, com transmissão ao vivo pelo canal SporTV 2.

GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ a etapa decisiva da Stock Car neste fim de semana em Interlagos com Felipe Noronha, Fernando Silva e Rodrigo Berton.