Barrichello diz que “tomou pancada” desde a largada e brinca: “Vou correr com colete à prova de bala”

Rubens Barrichello começou a etapa de Brasília da Stock Car na oitava colocação. Contudo, o piloto da Full Time reclamou os toques recebidos dos carros dos concorrentes: “Achei que, largando na frente, estaria isento dessas coisas”. Contudo, o veterano fez um balanço positivo do seu segundo fim de semana na categoria

► As gatas da Stock Car em Brasília na Galeria GP

► Confira as melhores imagens da etapa de Brasília da Stock Car

Rubens Barrichello encerrou o fim de semana da sua segunda participação na Stock Car, em Brasília, com sentimentos distintos. Depois de um sábado surpreendente, em que o veterano de 40 anos conquistou o oitavo lugar no grid de largada, a corrida deste domingo (11) no anel externo da capital federal foi bastante conturbada e resultou no fim precoce de sua participação.

Acostumado com um estilo de pilotagem mais conservador, próprio dos monopostos, onde a incidência de contatos com os adversários é bem menor, Rubens enfrentou dificuldades desde o início da prova e recebeu muitos toques dos seus oponentes, que adotam um estilo mais agressivo, comum às categorias de turismo.  Por conta de um problema na suspensão, Barrichello teve de abandonar a corrida em Brasília.

Mesmo com abandono, Barrichello fez avaliação positiva do seu fim de semana em Brasília (Foto: Miguel Costa Jr./MF2)

As câmeras da transmissão da Rede Globo evidenciaram a insatisfação de Rubens com a conduta dos seus adversários em Brasília. Depois de poucas voltas, quando despencou de oitavo para 26º, o piloto esbravejou. “Falta de respeito”, bradou Barrichello em conversa com os engenheiros da sua equipe. Mais tranquilo depois do fim da corrida, o dono do carro de número 17 procurou amenizar o abandono e até brincou. “Na próxima vou correr com colete à prova de bala”.

Apesar de não ter chegado ao fim da prova, Barrichello fez um balanço positivo do fim de semana na capital federal. “Foi um fim de semana muito legal, no qual melhorei minha posição de largada. A corrida foi muito movimentada, mas não tenho de levar para o lado negativo das situações que aconteceram”, disse.

<A data-cke-saved-href="http://video.br.msn.com/?mkt=pt-br&vid=ca47ef9e-dca4-4f46-a8eb-fd9dd490199c&from=shareembed-syndication&src=v5:embed:syndication:&from=dest_pt-br" href="http://video.br.msn.com/?mkt=pt-br&vid=ca47ef9e-dca4-4f46-a8eb-fd9dd490199c&from=shareembed-syndication&src=v5:embed:syndication:&from=dest_pt-br" target="_new" title="Stock Car 2012: Barrichello diz que “tomou pancada” desde a largada, mas faz balanço positivo de Brasília">Vídeo: Stock Car 2012: Barrichello diz que “tomou pancada” desde a largada, mas faz balanço positivo de Brasília</A>

Contudo, Rubens colocou os toques recebidos pelos rivais como fator determinante para o fim prematuro da sua corrida em Brasília. “Mas fui indo para trás devido às pancadas. Foi uma situação difícil porque o pessoal estava agitado e a minha suspensão quebrou porque se fragilizou de tantas batidas. É uma pena porque foi minha segunda corrida aqui”, lastimou Barrichello, deixando claro que precisa mudar seu estilo de pilotagem para se adaptar melhor à Stock Car.

“Melhorei, mas ainda vou ter de entender como é esse ritmo de corrida. Tentar desviar, porque tem alguns que dão mais trabalho que os outros em termos de pancada, e procurar melhorar em São Paulo”, comentou. “Em duas voltas perdi acho que dez posições por causa das pancadas. Mas quero olhar isso como uma coisa da natureza dessas corridas. Aprender a deixar o carro intacto, porque essas pancadas têm quebrado muito o carro. Na corrida passada fechou o escapamento, nessa a suspensão quebrou com tudo”, encerrou Barrichello.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube