Stock Car

Batida de Serra reabre polêmica sobre barreira de pneus na curva do Bacião. CBA vê pista segura

Quando Daniel Serra, líder do campeonato, perdeu o controle de seu carro e bateu na chamada curva do 'Bacião' do circuito de Cascavel, também reabriu polêmica que havia se iniciado no briefing dos pilotos: uma barreira de pneus é necessária naquele trecho da pista paranaense? Para a CBA, não é o caso - a confederação enxerga as soluções já implantadas como suficientes
Warm Up, de Cascavel / FELIPE NORONHA, de Cascavel
 Daniel Serra (Foto: Duda Bairros/Vicar)
O sábado em Cascavel foi aberto com um forte acidente no terceiro treino livre: Daniel Serra perdeu o controle de seu carro e acertou o guard-rail da chamada curva do Bacião. A batida acabou reabrindo uma polêmica iniciada no briefing obrigatórios dos pilotos: o pedido por uma barreira de pneus naquele local da pista.

Em Goiânia, na Corrida do Milhão, a montagem errada do guard-rail no circuito do anel externo atrasou a programação da sexta-feira da etapa. Agora, novamente uma pista do principal campeonato do automobilismo brasileiro se tornou alvo de discussão.

O primeiro a reclamar publicamente foi Antonio Pizzonia, durante a transmissão oficial do treino livre. Para o piloto da Prati Donaduzzi, "a CBA não faz nada" em termos de segurança.

Em contato com o GRANDE PRÊMIO, Max Wilson confirmou que foi o piloto que abordou o assunto no briefing. E explicou por quais motivos: "Onde tem pneu ali são os pontos em que normalmente não se bate. E a parte que é mais suscetível a alguém escapar e bater, que é onde o Daniel bateu hoje, na parte final do Bacião, não tem pneu."

"No caso do Daniel, por exemplo, se tem pneu ali o estrago seria muito menor. Não sei se não tiveram material de quinta-feira para cá para fazer alguma coisa", completou.
Daniel Serra (Foto: Duda Bairros/Vicar)
Ao GP, a confederação explicou a opção pela não utilização da barreira. Luiz Ernesto Morales, presidente da Comissão Nacional de Circuitos, afirmou que a segurança da curva do Bacião está garantida com a escolha pelo uso apenas do guard-rail.

"A Comissão de Circuitos vistoriou e analisou as condições de segurança do Autódromo de Cascavel e solicitou mudanças obrigatórias para manutenção da homologação da pista. Dentre elas, o aumento da área de escape na reta dos boxes, com a retirada de defensas existentes no local e reconfiguração da entrada e saída da reta, ajustes em pontos de resgate, alinhamento de defensas, nivelamento de áreas atrás de bordos de lavadeiras e incremento de barreiras de pneus na primeira perna do 'S'", afirmou Morales.

"O trecho em questão não demanda obrigatoriamente uma barreira de pneus pela posição intermediária da curva, velocidade de contorno projetada, da área de escape disponível, pelo fato de estar asfaltada e por ter um primeiro elemento de proteção flexível (e não um muro de concreto ou barranco de terra). Essa flexibilidade das defensas absorve e dissipa a energia da maneira necessária", completou.

Desta forma, a corrida 1 da Stock Car em Cascavel larga às 12h deste domingo (9). GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ o fim de semana da oitava etapa da temporada com Felipe Noronha, Fernando Silva e Rodrigo Berton.