Campeão com uma vitória, Maurício exalta importância da regularidade: “Tenho que marcar pontos em todas”

Ricardo Maurício destacou a importância de sempre se chegar ao fim da prova marcando bons pontos em um campeonato em que a pontuação das corridas é alta e recuperar uma desvantagem é complicado

A regularidade é a característica mais marcante de Ricardo Maurício, recém-coroado bicampeão da Stock Car. Das 12 provas disputadas em 2013, o piloto venceu apenas uma, nas ruas de Salvador, mas terminou 11 vezes entre os dez primeiros – a única exceção foi a segunda etapa de Cascavel, quando um pneu furado na última volta custou o top-10.

Não que não goste de vencer, mas Maurício acredita que, em um campeonato como o da Stock Car, em que a pontuação das corridas é alta e a diferença entre as posições é pequena, ficar sempre nos pontos é importantíssimo. Recuperar-se de três ou quatro resultados adversos dentro de tal formato e de uma temporada relativamente curta é missão praticamente impossível.

O mesmo vale para o outro certame em que ele se sagrou bicampeão em 2013, o Brasileiro de Marcas. Foi o segundo título consecutivo no campeonato. No ano passado, foi campeão sem vitória em nenhuma das provas disputadas. Neste ano, foram quatro triunfos.

O campeão da temporada 2013, Ricardo Maurício (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

“Eu não vou me desesperar porque o carro não está bem naquela corrida X. Eu tenho que marcar pontos em todas as corridas. É um campeonato em que você tem uma pontuação altíssima e tem que marcar pontos. A gente não tem descarte, precisa terminar a corrida”, falou Maurício após a Corrida do Milhão.

Parte disso passa pelo modo como se encara todas as provas: pensando somente em si. Na disputa deste domingo (15), Maurício não se preocupou em marcar Thiago Camilo ou Daniel Serra. “A gente fez um estudo e fez aquilo lá que acreditava que ia dar certo para a nossa situação e para o carro que a gente tinha”, explicou.

Um bom exemplo disso na Corrida do Milhão foi a decisão de trocar os dois pneus do lado direito no pit-stop obrigatório, enquanto Camilo trocou os dois pneus traseiros e outros substituíram apenas um pneu, como determinava a regra. Ambos tinham um bom rendimento nas voltas finais, mas a tática permitiu a Maurício freiar um pouco mais tarde nas disputas por posição. Dessa maneira, o piloto esperava poder aproveitar melhor as oportunidades que eventualmente surgiriam. O resultado é de conhecimento geral: recebeu a bandeirada em segundo e com a vantagem que precisava após a quebra do câmbio de Camilo, que terminaria em sexto.

O paulista deixou claro que quer buscar mais títulos na principal categoria do país, mas destacou as dificuldades que existem para isso. “De 2008 para 2013, demorou para ganhar de novo. A gente tem sido competitivo, mas a gente sabe que é muito importante para o piloto chegar na última etapa com chances reais de título. Aí, muita coisa pode acontecer. Tudo tem que se encaixar, tem que usar a estratégia. E desde que eu fui campeão em 2008, estive em todas elas disputando o título”, falou.

Certamente, Maurício não vai querer mudar essa aproximação na próxima temporada.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube