Stock Car

Com brinde da sorte, Átila conquista corrida 2 recheada de emoção e incidentes em Cascavel

O desfecho da rodada dupla de Cascavel foi incrível e eletrizante. Átila Abreu contou com a sorte na entrada do terceiro safety-car, fez o pit-stop na hora certa e partiu para vencer a corrida. Júlio Campos e Rafael Suzuki completaram o pódio
Warm Up, de Cascavel / FERNANDO SILVA, de Cascavel
 Átila Abreu nos braços do povo para comemorar a vitória em Cascavel neste domingo (Foto: Fernanda Freixosa/Vicar/Vipcomm)
Velocidade, emoção, incidentes e um desfecho improvável. A corrida 2 da rodada dupla da Stock Car em Cascavel, na quente tarde deste domingo (9), coroou Átila Abreu como o grande vencedor. O piloto da Shell V-Power estava no lugar certo e na hora certa na hora do seu pit-stop, que aconteceu pouco antes da terceira intervenção do safety-car. O sorocabano, que largou em 23º, alcançou uma vitória improvável e na base da sorte em uma prova que teve Rafael Suzuki como o grande protagonista.
 
O piloto da Hot Car liderou a maior parte da corrida e acabou sendo superado por Júlio Campos na última volta para terminar em terceiro lugar, logo atrás do paranaense da Prati-Donaduzzi. Thiago Camilo despontou com chances de vitória, mas sofreu um problema no fim e perdeu as posições para Campos e Suzuki, mas conseguiu passar Cacá Bueno para terminar em quarto, à frente do pentacampeão.
 
Max Wilson foi o sexto, seguido por Felipe Fraga e Antonio Pizzonia. Ricardo Zonta, companheiro de equipe de Átila, foi o nono, enquanto Esteban Guerrieri, no seu fim de semana de estreia na Stock Car, terminou em décimo.
 
O campeonato ficou ainda mais empolgante depois da rodada dupla deste fim de semana. Porque Daniel Serra zerou nas duas corridas e se manteve com 191 pontos, mas Felipe Fraga teve uma jornada vencedora e agora está com 179 tentos, apenas 12 atrás do atual campeão e líder do campeonato.
 
A nona etapa da temporada 2018 da Stock Car acontece em 15 dias e vai ter lugar no autódromo Velo Città, em Mogi Guaçu, interior de São Paulo. O GRANDE PRÊMIO cobre tudo ‘in loco’. 
Átila Abreu viu sua estrela brilhar muito na tarde deste domingo em Cascavel (Foto: Fábio Davini/Shell V-Power)
Saiba como foi a corrida 2 da Stock Car em Cascavel

Antes da largada, a Vicar, empresa que promove e organiza a Stock Car, anunciou os vencedores do Fan Push para a corrida 2: Júlio Campos, Bia Figueiredo, Rubens Barrichello, Bruno Baptista, Esteban Guerrieri e o vencedor da primeira prova, Lucas Di Grassi.
 
Décimo colocado na primeira corrida, Rafael Suzuki partiu da primeira posição na batalha derradeira do fim de semana. E o piloto da Hot Car começou fazendo ótimo trabalho e manteve a liderança, seguido de perto por Thiago Camilo, que conseguiu passar Lucas Foresti. Di Grassi abandonou ainda na primeira volta.
 
O safety-car foi acionado durante a segunda volta quando Denis Navarro e Gabriel Casagrande se chocaram na entrada da curva do Bacião. Os dois perderam o controle dos respectivos carros e bateram forte no guard-rail. Casagrande levou a pior e foi removido de maca para o hospital São Lucas com dores nas costas e foi submetido a exames de precaução.
 
A relargada foi dada na volta 5, e Suzuki buscava logo abrir alguma vantagem para Camilo e o restante do primeiro pelotão, com Foresti em terceiro, Cacá Bueno em quarto e Campos em quinto. Fraga vinha na sexta posição e tinha chances de reduzir ainda mais a diferença para Serra, que estava mais atrás, em 18º.
Rafael Suzuki puxa o pelotão na corrida 2 em Cascavel (Foto: Fernanda Freixosa/Vicar/Vipcomm)
O safety-car entrou de novo na pista em razão do incidente entre Ricardo Zonta, Antonio Pizzonia e Diego Nunes resultou na batida do piloto do carro #70 da Full Time no meio da reta. Diego criticou a postura de Pizzonia depois de sair do carro e afirmou: “Era corrida para terminar entre os seis primeiros”.
 
Nova relargada, na volta 12, e novamente Suzuki acelerava para se livrar de Camilo e Cacá, que aparecia em terceiro lugar. O piloto da Hot Car fazia uma corrida muito competente, com direito à melhor volta da corrida. Todo o esforço valia a pena em busca da sua primeira vitória na Stock Car.
 
Enquanto Suzuki conseguia abrir uma dianteira razoável para o restante do pelotão, Cacá lutava pelo segundo lugar e usava o botão de ultrapassagem para se aproximar bem de Camilo, enquanto Júlio Campos passava Foresti e assumia o quarto lugar. Na volta 14, Cacá fez ultrapassagem sensacional e arrojada sobre Camilo, tirando tinta do muro da reta dos boxes.
 
Suzuki conseguiu abrir 3s4 de frente para Cacá, enquanto Camilo lutava com Júlio Campos pelo terceiro lugar. Felipe Lapenna fazia grande prova, assim como o xará Felipe Fraga.
 
A janela de pit-stops foi aberta na volta 19. Suzuki foi o primeiro a parar. A Hot Car fez um trabalho muito bom e colocou seu piloto na frente de Camilo e Julio Campos, que superaram Cacá Bueno nos boxes. Fraga ficou uma volta a mais na pista e acelerou para ganhar vantagem e posições após sua parada, que ocorreu no giro seguinte.
 
Camilo conseguiu dar o bote pra cima de Suzuki e fez a ultrapassagem que, mais tarde, em teoria, valeria a liderança da corrida depois que Barrichello e Átila Abreu fizeram seu pit-stop na volta 23. Campos batalhava com Suzuki pelo segundo lugar ao mesmo tempo em que Bia Figueiredo bateu na reta dos boxes, causando a terceira intervenção do safety-car.
 
Átila e Barrichello entraram nos boxes pouco antes da intervenção do safety-car. Rubens teve problemas com o pit-stop, enquanto o piloto da Shell V-Power se deu bem e assumiu a liderança, confirmada após a direção de prova realinhar os carros ainda durante o período de bandeira amarela.
Festa de Rafael Suzuki no pódio da etapa de Cascavel da Stock Car (Foto: Duda Bairros/Vicar/Vipcomm)
Na terceira relargada, Átila acelerou na frente, seguido por Camilo e Suzuki em terceiro lugar. Mas na abertura da penúltima volta, Thiago ficou lento na pista e foi superado por Suzuki e Campos, os dois logo atrás de Abreu para a dramática última volta em Cascavel. Camilo ainda conseguiu ficar em quinto e pressionava Cacá Bueno para fazer a ultrapassagem em seguida.
 
Ainda na última volta, Campos conseguiu fazer a ultrapassagem sobre Suzuki que lhe valeu o segundo lugar. Mas foi a Shell V-Power, na base da competência e também da sorte, quem comemorou no fim com mais um triunfo na temporada, agora com Átila Abreu. Fraga foi o sétimo colocado, enquanto Serra cruzou a linha de chegada em 13º.

Stock Car 2018, Cascavel, corrida 2, final:

1 A ABREU Shell 42:05.782 31 voltas
2 J CAMPOS Prati Donaduzzi +0.610  
3 R SUZUKI Hot Car Bardahl +0.887  
4 T CAMILO A. Mattheis/Ipiranga +2.870  
5 C BUENO Cimed +3.175  
6 M WILSON RC Eurofarma +3.515  
7 F FRAGA Cimed +3.751  
8 A PIZZONIA Prati Donaduzzi +4.642  
9 R ZONTA Shell +5.192  
10 E GUERRIERI Hero +6.409  
11 M GOMES Cimed +7.363  
12 V GENZ Carlos Alves Eisenbahn +7.557  
13 D SERRA RC Eurofarma +8.098  
14 R BARRICHELLO Full Time +8.917  
15 R MAURÍCIO Full Time +8.972  
16 B BAPTISTA Hero +10.134  
17 L FORESTI Cimed +11.065  
18 F LAPENNA Cavaleiro +11.865  
19 B FIGUEIREDO A. Mattheis/Ipiranga +9 voltas  
20 N PIQUET Full Time +11 voltas  
21 G LIMA Vogel +11 voltas  
22 V BRITO Carlos Alves Eisenbahn +15 voltas  
23 N GIROLAMI Hot Car Bardahl +18 voltas  
24 D NUNES Full Time +23 voltas  
25 G CASAGRANDE Vogel +29 voltas  
26 D NAVARRO Cavaleiro +29 voltas  
27 L DI GRASSI Hero +31 voltas  
28 G OSMAN Cavaleiro não largou  
29 A KHODAIR Blau não largou  
30 C RAMOS Blau não largou