Com “foco total” na Stock Car, Barrichello se prepara para “voltar às origens” em turnê pelo Brasil

Em 2013, Rubens Barrichello vai conhecer novos autódromos pelo Brasil e rever alguns, como Goiânia, onde correu no longínquo ano de 1989

Rubens Barrichello fez, neste domingo (3), sua quarta corrida na Stock Car. Até o momento, passou apenas por grandes centros: São Paulo, Curitiba e Brasília. Depois de passar novamente por Curitiba, no próximo dia 17, o mais experiente piloto da história da F1 vai iniciar uma turnê por lugares que não visita há algum tempo e onde lidará com um público diferente. Com foco total na categoria nacional, Barrichello falou que 2013 será um ano para “voltar às origens”.

“Sou um amante do Brasil, sou apaixonado pelo Brasil”, exaltou o piloto de 40 anos em entrevista a jornalistas no paddock de Interlagos, no último fim de semana. Rubens concluiu a primeira etapa do ano na 25ª posição, mais uma vez, fora da zona de pontuação – ele não terminou nenhuma corrida que fez na Stock Car entre os 20 melhores.

Rubens Barrichello fará uma turnê pelo Brasil em 2013 (Foto: Felipe Tesser/ Grande Prêmio)

Barrichello falou que as viagens que fará para disputar as provas da Stock em 2013 serão “uma chance de conhecer um pouquinho, voltar a algumas origens”. Um de seus desejos é correr em Goiânia, prova que está marcada para 10 de novembro, mas que ainda carece de confirmação. “Corri lá em 1989 de F-Ford”, lembrou.

“Para mim, está sendo uma alegria muito grande estar no Brasil. Estou dedicado por fazer uma coisa que amo demais, mas um pouquinho mais perto da minha família”, celebrou. Outra viagem constante será até a cidade de Vinhedo, no interior paulista, para onde se mudou a equipe Full Time. “Vinhedo parece bonito, vou conhecer Vinhedo também”, elogiou Rubens.

Após a prova paranaense do dia 17, a Stock Car vai passar por Tarumã, Salvador, Brasília (duas vezes), Cascavel, Ribeirão Preto, Velopark, além da já citada Goiânia e de correr novamente em Curitiba e São Paulo.

Perguntado pelo Grande Prêmio se ainda pensa em correr em outras categorias, Barrichello disse que não, “é foco total na Stock”. Ele creditou a vinda ao automobilismo brasileiro à situação econômica mundial: “Na primeira vez que me perguntaram sobre a Stock, eu deixei mais pro lado da Indy, mas como as coisas começaram a ficar difíceis, eu vi que a coisa não ia acontecer e a Stock sempre foi uma paixão. Estava ali, pronta para mim, e acho que era a hora certa de pegar. Peguei e estou completamente focado nisso agora”.

Um eventual convite para disputar nas 24 Horas de Le Mans ou Daytona, por exemplo, não seria tratado com desdém. “Le Mans, pô, legal. Daytona foi muito legal, quero voltar lá para tentar fazer uma coisa mais competitiva. O grande barato é chegar aos 40 anos e curtir muito o que eu faço”, finalizou Barrichello.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube