Stock Car

Com Zonta perto da pole e Átila no top-10 em Goiânia, Shell V-Power destaca: “O resultado final foi bom”

A equipe chefiada por Thiago Meneghel conseguiu evoluir ao longo deste sábado que marcou a definição do grid de largada da corrida 1 da etapa de Goiânia. Ricardo Zonta avançou ao Q3 e vai largar em terceiro, só atrás de Daniel Serra e Felipe Fraga. E Átila Abreu vai partir em décimo
Warm Up, de Goiânia / FERNANDO SILVA, de Goiânia
 Ricardo Zonta (Foto: José Mário Dias/Shell Racing)
A chuva foi a grande protagonista deste sábado (3) de treino classificatório da etapa de Goiânia, a 11ª e penúltima da temporada 2018 da Stock Car. O temporal desabou de vez nos minutos finais do Q1 para os pilotos do segundo grupo. Ricardo Zonta e Átila Abreu, os pilotos da Shell V-Power, conseguiram avançar para a segunda fase do tempo. O sorocabano chegou a entrar no grupo dos seis primeiros que disputaram a pole, mas acabou tendo seu tempo superado no fim em sessão emocionante e vai largar em décimo. Zonta passou para o Q3, lutou e ficou perto da pole. O paranaense parte da terceira posição, na segunda fila, atrás apenas dos dois pilotos que lutam diretamente pelo título: Daniel Serra, o pole, e Felipe Fraga, segundo colocado.
 
Para Zonta, há o fato de que tanto Serra como Fraga estarem brigando pelo título. Desta forma, o paranaense, fora da luta para conquistar a taça neste ano, sabe que não há nada a perder. Por isso, a expectativa é uma só: lutar pela vitória na corrida 1 em Goiânia.
 
O dono do carro #10 destacou a melhora em ritmo de classificação, algo que já estava destacado na etapa de Londrina, onde Zonta largou em sexto, logo à frente de Átila. Ricardo também ressaltou a boa performance tanto no seco como também com pista molhada como trunfo para buscar o melhor resultado possível neste domingo.
Ricardo Zonta ficou perto da pole em Goiânia neste sábado de muita chuva (Foto: José Mário Dias/Shell Racing)
“Todos sabem que estamos trabalhando para melhorar cada dia mais na classificação, e isso já melhorou em Londrina, já entramos entre os seis primeiros, e faltou um pouquinho para largar em quarto. Na corrida tive chances de disputar o primeiro lugar até ter um problema no carro. Aqui no seco já estávamos melhorando ainda mais o carro, e a chuva mostra que tanto no seco como no molhado são positivas para nós”, disse Zonta, que marcou 1min32s112 como melhor tempo no Q3, 0s386 do tempo da pole de Serra.
 
“Nosso carro promete muito amanhã na corrida e estou confiante. Meu carro está classificando bem, e isso é bom para a Shell V-Power. Posso arriscar 100%, enquanto eles [Serra e Fraga] devem ser mais cautelosos, e vou para cima. Minha meta é disputar a vitória nessa primeira corrida”, comentou.
 
Átila, por sua vez, deixou claro que esperava estar um pouco mais à frente no grid, mas mostra confiança em novamente obter bons resultados. O sorocabano, que está entre os elegíveis da votação do Fan Push, busca ser agraciado com um botão de ultrapassagem extra para, quem sabe, faturar a quarta vitória consecutiva em etapas na temporada.
Átila Abreu vai fechar a quinta fila do grid (Foto: José Mário Dias/Shell Racing)
“No seco tentamos buscar um algo a mais, iríamos passar para o Q2, mas estávamos no limite. A chuva veio como uma oportunidade porque seria algo inesperado para todo mundo, e daria para ter passado para o Q3. Na hora que foi todo mundo saindo, os tempos foram melhorando porque os pilotos tiraram água da pista”, contou.
 
“Pulei para terceiro, mas tive de tirar o pé porque cheguei no César Ramos e o spray começou a me atrapalhar. Quando fui abrir a última volta, o Allam Khodair tirou o pé na minha frente e perdi o timing, o Diego Nunes jogou spray, e não consegui achar a volta boa. No último setor, tentei achar algo a mais, mas não consegui melhorar o meu tempo. Então foi todo mundo melhorando, e não melhorei”, descreveu Átila.
 
“Dava para ter brigado para largar entre os quatro, fico chateado, mas é algo que acontece. Temos de pensar amanhã na corrida e parabenizar o Átila pelo belo trabalho. Vamos nos posicionar para a corrida, que é o que vale ponto. Não estou na posição que eu gostaria, mas largando ali fizemos boas corridas e vamos trabalhar para isso”, finalizou o sorocabano.
 
Thiago Meneghel, chefe da Shell V-Power, ressaltou que não vinha sendo um fim de semana dos mais fáceis, mas que a equipe conseguiu mostrar evolução para obter um ritmo de classificação decente tanto no seco como no molhado. Não à toa, o engenheiro que comanda a equipe baseada em Americana vai ver seus dois pilotos largando entre os dez primeiros do grid.
 
“O resultado final foi bom. De manhã, estávamos com dificuldades. Conseguimos evoluir um pouco o carro para a classificação e já teríamos condições de largar entre os dez no seco. Na chuva, no Q2, achei que o Átila começou melhor que o Zonta, mas ele pegou um pouco de spray e não encaixou uma volta. Na sua última, o Zonta acabou virando um bom tempo, e o Átila não conseguiu fechar”, recordou o engenheiro.
Ao lado de Átila, Thiago Meneghel aposta em domingo positivo para a Shell V-Power (Foto: José Mário Dias/Shell Racing)
“Depois o Zonta foi para o Q3 e fez uma boa volta, é uma posição na qual ele não tem muito a perder, enquanto os dois da frente vão estar cautelosos pensando no campeonato. E a posição do Átila também é boa: dá para pensar em marcar muitos pontos nas duas corridas e evoluir no campeonato. Tem caras que estão na frente dele no campeonato que estão largando atrás. Olhando por esse aspecto, é positivo”, complementou Meneghel.
 
A largada da corrida 1 está marcada para 13h (horário brasileiro de verão), enquanto a última prova do fim de semana tem largada prevista para 14h10. O GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ a etapa de Goiânia da Stock Car neste fim de semana com o repórter Fernando Silva.