Stock Car

Convidado da Cimed na Stock Car, Canapino vira piloto da Williams nos eSports: “Muito louco”

Agustín Canapino já é um piloto consagrado na Argentina. Hexacampeão do Top Race V6, ‘El Titán de Arrecifes’ disputou a Corrida do Milhão da Stock Car como convidado. Em julho, Canapino foi anunciado como novo piloto da Williams. Mas para correr em casa
Warm Up, de Goiânia / FERNANDO SILVA, de Goiânia
 Agustín Canapino tem uma carreira vencedora nas pistas reais e virtuais (Foto: Bruno Terena/RF1)
Agustín Canapino é o novo piloto da Williams. Mas o argentino de 28 anos não vai ocupar uma das vagas de titular na equipe da F1 ou mesmo atuar como piloto reserva ou de desenvolvimento. ‘El Titán de Arrecifes’, como é conhecido, é um dos competidores contratados pela equipe de eSports da escuderia britânica, da qual faz parte, também, o brasileiro Igor Fraga, que competiu recentemente na F3 Brasil e já participou da final do Mundial de eSports da F1, em Abu Dhabi.
 
Canapino compete há muitos anos nos simuladores, sobretudo na plataforma iRacing, uma das mais prestigiadas pelos pilotos virtuais. Mas seu êxito nas pistas de verdade é notório, e seu currículo evidencia seu sucesso: hexacampeão do Top Race V6, além de ser dono dos títulos da principal categoria argentina da atualidade, o Súper TC 2000, e do tradicional Turismo Carretera, onde defende a Chevrolet.
 
O piloto participou, no último fim de semana, como convidado da Cimed na Corrida do Milhão da Stock Car. Canapino falou sobre a chance de defender a Williams e comemorou a oportunidade, que veio de forma inesperada.
Canapino disputou a Corrida do Milhão como convidado da Cimed Chevrolet (Foto: Bruno Terena/RF1)
“Para mim foi algo muito louco. Porque tenho contrato assinado com a Williams, mas não pelo que faço na pista de verdade e sim pelo que faço na minha casa nas minhas horas vagas [risos]”, comentou o argentino em entrevista ao GRANDE PRÊMIO em Goiânia.
 
“Eles entraram em contato comigo por e-mail por conta dos resultados que obtive nos últimos tempos na iRacing, que é a plataforma [de corridas virtuais] que eu uso”, explicou.
 
Ao todo, a Williams conta com uma equipe de eSports formada por 19 pilotos, que vão competir nas mais variadas plataformas e competições. Canapino, em princípio, não deve fazer parte do time que vai disputar as provas do Mundial de F1 nos eSports, dedicando-se a corridas de longa duração e GT, como o brasileiro Fraga.

 
“O objetivo é correr em campeonatos em nível mundial, além de vários outros campeonatos em nível nacional e também na Espanha. Vamos ver. Ainda não há nada definido [sobre quais competições disputar], mas sou piloto da Williams para os eSports, tanto simulador quanto para a iRacing”, contou.
 
“Vou fazer GT e Endurance, já que o Mundial de F1 se corre aos sábados e aí bate com as datas das minhas corridas de verdade. Talvez possa fazer algumas corridas, mas quando não puder, aí vão entrar outros pilotos da equipe”, complementou Canapino, vencedor nas pistas de verdade e nas virtuais.