Stock Car

Em tarde de muita chuva no Velopark, Shell Racing garante top-10 do grid com Di Mauro e Zonta

Gaetano di Mauro foi um dos grandes nomes do treino classificatório marcado por muita chuva na tarde deste sábado (6) no Velopark. O paulista levou o carro #11 da Shell Helix Ultra à fase final da sessão e vai largar em sexto lugar na corrida 500 da história da Stock Car. Ricardo Zonta também foi ao top-10, enquanto Átila Abreu parte em 14º e Galid Osman em 18º. O sorocabano sofreu um forte acidente durante o Q2

Grande Prêmio, do Velopark / Redação GP, de Sumaré
O treino classificatório da etapa de abertura da temporada 2019 da Stock Car foi de sentimentos bem distintos para a Shell no Velopark. Neste sábado (6), Gaetano di Mauro, que faz sua estreia como titular na principal categoria do automobilismo brasileiro neste fim de semana, brilhou em todos os segmentos da classificação, disputada debaixo de chuva crescente, e conseguiu avançar para o grupo dos seis primeiros que disputaram a pole. Di Mauro vai largar na sexta colocação em Nova Santa Rita. 
 
Ricardo Zonta por pouco não avançou ao Q3 e vai largar na oitava posição, enquanto Galid Osman vai partir do 18º lugar. O grande susto do dia ficou por conta do acidente sofrido por Átila Abreu. O sorocabano foi um dos primeiros a sair dos boxes para fazer sua volta rápida no Q2 e depois da primeira volta perdeu o controle do carro após a suspensão traseira esquerda quebrar numa zebra, batendo muito forte na barreira de pneus. 
 
O acidente levou a direção de prova a acionar a bandeira vermelha, interrompendo a sessão.

Gaetano di Mauro foi um dos grandes nomes deste sábado (Foto: José Mário Dias/Shell)
Com dores nas costas, Átila desceu do carro antes de ser resgatado pelo corpo médico da Stock Car. O piloto foi removido para o centro médico do autódromo, onde nada grave foi constatado, e depois encaminhado para o hospital de referência para a realização dos exames médicos protocolares.
 
Na retomada da classificação, Di Mauro conseguiu fazer uma grande volta e se colocou na sexta colocação justamente no momento em que a chuva apertava. Com 1min02s191, Di Mauro passou para a fase final. Zonta por pouco também não avançou, com o paranaense ficando em oitavo no grid ao aferir 1min02s335 como melhor tempo.
 
Por ter sido o sexto colocado no Q2, Gaetano foi o primeiro a fazer sua volta rápida no Q3, anotando 1min04s199. Em seguida, a chuva tornou-se mais branda, de forma que os pilotos que vieram na sequência — Marcos Gomes, Nelsinho Piquet, Rubens Barrichello, Daniel Serra e Thiago Camilo conseguiram superá-lo. Mesmo assim, passar para a fase final da classificação logo na estreia como titular foi motivo de comemoração para o jovem Di Mauro.
 
“Estou muito feliz com o resultado. Sempre trabalhamos o máximo que dá. Tivemos um pouco de dificuldade no último segmento da classificação por causa do pneu mais baixo, mas mesmo assim estou muito contente”, vibrou o piloto.
Ricardo Zonta ficou perto de ir ao Q3 (Foto: José Mário Dias/Shell)
Por sua vez, Zonta se mostrou otimista para a corrida depois de encarar uma classificação onde era muito fácil errar por conta das condições da pista.
 
“Era difícil de achar o limite, havia trechos secos e outros pedaços molhados na pista. Era um pouco uma loteria. No Q1, quando cheguei ao segundo trecho, meu pneu já tinha superaquecido porque no primeiro trecho estava seco. No Q2, o carro melhorou bastante, mas teve a bandeira vermelha, o que atrapalhou, poderia ter entrado entre os seis”, disse.
 
“Como meu ritmo era mais rápido do que alguns carros, dava para brigar para ficar entre os três. A perspectiva para a corrida é boa, não sei como estará a condição da pista, está uma loteria esse tempo. Para nós, independentemente de estar seco ou molhado, as condições são muito boas largando de oitavo”, salientou o experiente Zonta.
Galid Osman vai largar em 18º no Velopark (Foto: José Mário Dias/Shell)
Galid, por sua vez, lamentou pela falta de sorte ao ter ido para a pista no Q3 em um momento em que a chuva apareceu de forma mais intensa. “Foi uma pena. Fui no grupo em que a chuva caía com mais força, o terceiro no meu grupo, havia muito potencial. Faltou pouco mais de 0s1 para chegar ao Q2, e a história teria sido totalmente diferente. Amanhã tentaremos fazer o maior número possível de pontos. É uma corrida longa e espero ir para a frente”, disse o companheiro de Di Mauro na Shell Helix Ultra.
 
A largada da corrida 500 da Stock Car está marcada para 11h (horário de Brasília) deste domingo, com transmissão ao vivo pelo canal por assinatura SporTV 2, com duração de 45 minutos e mais uma volta. Cada piloto vai ter um total de 12 acionamentos do botão de ultrapassagem, além do Fan Push, com todos os competidores sendo elegíveis por meio do site oficial da Stock Car.
Átila Abreu sofreu forte acidente no Velopark (Foto: José Mário Dias/Shell)
Outro fator distinto nesta corrida no Velopark é que há a obrigatoriedade da troca de pelo menos dois pneus, com o reabastecimento sendo facultativo.
 
O GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ a etapa de abertura da temporada 2019 da Stock Car, no Velopark, com o repórter Felipe Noronha.