Stock Car
22/01/2013 18:43

Feldmann tem pena reduzida e volta à Stock Car como companheiro de Barrichello na Full Time

Com a suspensão que recebeu por doping reduzida de dois anos para nove meses, Alceu Feldmann estará apto, em 3 de março, a disputar a etapa de abertura da temporada de 2013 da Stock Car
Warm Up / RENAN DO COUTO, de São Paulo
 (Foto: Duda Bairros/ Vicar)

6 de fevereiro. É neste dia que a suspensão por doping de Alceu Feldmann – reduzida de dois anos para nove meses – expirará e o piloto poderá voltar a competir no automobilismo brasileiro. Sua nova casa será a equipe Full Time, onde será companheiro de Rubens Barrichello, o Grande Prêmio pode confirmar.

O acordo de um ano foi fechado antes mesmo da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA) e o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) divulgarem o resultado do julgamento do último recurso interpolado por Feldmann, que aconteceu em 13 de dezembro, há um mês e nove dias. Desde então que a reportagem do GP procura um posicionamento oficial das entidades –que veio nesta terça-feira (22), por parte do STJD.

Feldmann vai cumprir, na prática, pouco mais de um terço da pena inicial (Foto: Fernanda Freixosa/ Vicar)

Feldmann foi suspenso por dois anos por ter se recusado a fazer o exame antidoping na etapa do Velopark da Stock Car, em 6 de maio de 2012. A pena determinada pela Comissão Disciplinar, primeira instância, e mantida pelo STJD, segunda instância, é o determinado pela WADA (Agência Mundial Antidoping) para casos como o do ex-piloto da WA Mattheis – a recusa em se submeter aos procedimentos obrigatórios. O documento foi vistoriado pela secretaria no dia 18 de janeiro.

Alceu disse não aos fiscais do doping naquele dia 6 de maio porque ainda aguardava por uma isenção para uso terapêutico (TUE, na sigla em inglês) e alegou que possuía uma autorização do diretor-médico da CBA, Dino Altmann, para competir. Em entrevista à Revista Warm Up de junho, Altmann confirmou que havia conversado com Feldmann sobre o tema e que realmente o defenderia caso ele não passasse no exame, mas que não poderia fazê-lo diante da recusa do piloto, o que é considerado um atestado de culpa.

Contudo, como apurou o GP em dezembro, Feldmann decidiu recorrer novamente ao ver o desfecho de outro caso de doping que marcou 2012, o de Marcos Gomes. Então piloto da Full Time, Gomes foi flagrado no antidoping, na mesma etapa do Velopark, com três substâncias proibidas no organismo – maconha era uma delas. Suspenso inicialmente por um ano, o filho de Paulo Gomes teve sua pena reduzida para seis meses e voltou a competir ainda em 2012, na etapa de Curitiba do Brasileiro de Marcas, inclusive subindo ao pódio na segunda corrida da rodada dupla.

Este “atenuante relevante”, como é tratado juridicamente e está previsto no Artigo 112 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, foi acatado pela auditora relatora do processo 09/2012, Andrea Cecília Kerr Byk Contrucci, que revisou a penalidade aplicada a Feldmann e a reduziu para um ano. Desta maneira, o piloto estaria apto a competir novamente somente em 6 de maio. Contudo, a auditora relatora ainda autorizou a conversão de um quarto da pena de um ano em serviços comunitários: duas palestras mensais em escolas de segundo grau sobre segurança no trânsito.

Com relação ao acordo com a Full Time, Feldmann não terá o patrocínio da Medley, que há alguns anos estampava os dois carros da equipe. Como o Grande Prêmio publicou em dezembro, apenas Rubens Barrichello contará com o apoio da farmacêutica.

A primeira etapa da temporada de 2013 da Stock Car está marcada para o dia 3 de maio, em Interlagos. A última prova que Feldmann disputou na Stock Car foi a etapa do Rio de Janeiro, a sexta de 2012, em 15 de julho