Stock Car

Feliz com crescimento da Blau, Ramos destaca “oportunidade real” na Stock Car e já traça meta: brigar pelo título

César Ramos deixou no passado a época em que precisava buscar patrocínios para dar sequência à carreira na Stock Car. Contratado pela Blau desde 2017, o gaúcho de 28 anos vem evoluindo junto com a nova equipe e prova o crescimento nesta temporada, com direito a um pódio na Corrida de Duplas e bons resultados nesta primeira parte do campeonato. Mas o piloto nascido em Novo Hamburgo não quer parar por aí, almeja estar entre os cinco primeiros em 2018 e mira um passo ainda maior no ano que vem
Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
 César Ramos faz a festa nos boxes da Blau em Santa Cruz do Sul (Foto: Fernanda Freixosa/Vicar/Vipcomm)

César Ramos foi, sem dúvidas, um dos bons nomes da primeira parte da temporada 2018 da Stock Car. Desde o começo do campeonato, no fim de semana da Corrida de Duplas, em Interlagos, o gaúcho de Novo Hamburgo mostrou bom trabalho e, ao lado do talentoso sul-africano Kelvin Van der Linde, lutou pela vitória e finalizou a prova em terceiro lugar. O crescimento do piloto de 28 anos no grid da principal categoria do automobilismo brasileiro se provou com bons resultados na corrida 1 em Curitiba e na rodada dupla de Santa Cruz do Sul e só não foi melhor por conta de uma pane que lhe tirou uma vitória certa na segunda prova na capital paranaense, além da punição sofrida pelo uso irregular do botão de ultrapassagem em São Paulo.
 
Mas a satisfação de Ramos com o trabalho que vem sendo realizado em conjunto com a Blau é nítida. A equipe comandada por Marcelo Hahn emergiu ao grid da Stock Car no ano passado e contratou César como um dos seus pilotos, além do também gaúcho Márcio Campos. Foi um 2017 de transição e aprendizado para o time que, para a atual temporada, manteve Ramos e se reforçou com a experiência de Allam Khodair, que substituiu Campos.
 
E se 2017 foi de transição e aprendizado para a Blau enquanto equipe, o mesmo também se pode dizer de Ramos, que pela primeira vez na Stock Car tem o status de piloto contratado e não precisa, necessariamente, levar patrocínio para correr. Um ano antes, em 2016, César disputou apenas seis corridas pela RZ Motorsport, mas não pode dar sequência na temporada. Faltou o chamado combustível financeiro. Mas a história vem sendo diferente desde o ano passado, e a estabilidade e a chance de se preocupar apenas com a performance na pista vem se convertendo em resultados bastante relevantes.
César Ramos e Kelvin Van Der Linde faturaram o pódio logo na prova de abertura da Stock Car 2018 (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
Ao GRANDE PRÊMIO durante o fim de semana da etapa de Tarumã, Ramos destacou a evolução da equipe neste segundo ano como parte do grid da Stock Car.
 
“Nosso crescimento foi incrível. Uma equipe que nasceu do zero, dentro de um ano, conquistar os resultados que temos conquistado nos treinos, classificação, até mesmo nas corridas... Claro, faltam alguns detalhes: a gente ainda tem um pouco de dificuldade nos pit-stops, mas estamos buscando melhorar cada vez mais. É mesmo questão de procedimento”, explicou.
 
“É que tudo é novidade e mudou o pit-stop do ano passado para esse ano, mas é mesmo questão de procedimento. Estou bem tranquilo de que nós vamos não somente buscar esse gap, mas também nos tornar uma das melhores equipes, tenho certeza”, aposta o dono do carro #30.
 
Entretanto, se engana quem pensa que Ramos entra na pista mais relaxado por ter o status de piloto contratado e não depender de patrocínios para correr na Stock Car.
César Ramos destacou a evolução constante ao lado da Blau desde 2017 (Foto: Fernanda Freixosa/Vicar/Vipcomm)
“A pressão acho que é ainda maior. É uma empresa grande que acreditou em mim, e a equipe agora está em condições de brigar por boas posições... Mas estou acostumado a lidar com isso, gosto dessa pressão, e é importante ter essa oportunidade. Sempre falei que queria ter uma oportunidade real na Stock Car, e agora ela chegou. Ano passado ela chegou, foi um 2017 de desenvolvimento, e agora tive a sorte de ser escolhido para continuar, e junto com o Allam, que é um piloto que só vem a agregar à equipe, um cara consagrado. Claro, é muito diferente chegar nesta posição do que foi em 2016, então estou feliz por estar assim. Estou dando meu melhor, trabalhando duro com a equipe para permanecer aqui por muito tempo”, salientou.
 
Após as nove primeiras corridas do campeonato deste ano, Ramos ocupa a 13ª colocação na tabela e soma 44 pontos. Ainda que Daniel Serra, o líder da temporada, tenha se desgarrado dos demais — a ponto de estar 43 tentos à frente de Marcos Gomes, o vice-líder —, a briga pelas primeiras colocações é ferrenha. Julio Campos, que fecha o top-5, está apenas 45 pontos à frente de César.
 
Questionado sobre seus objetivos para a temporada deste ano, o gaúcho mantém os pés no chão, mas deixa claro que busca chegar na melhor posição possível ao fim do campeonato, em dezembro, após a prova final em Interlagos. E aí, com um conjunto mais sólido e ‘azeitado’, partir para voos ainda maiores a partir de 2019.
 
“Acho que é muito cedo, não costumo traçar metas para um resultado final de ano e sim a curto prazo, etapa por etapa. Mas com uma equipe dessas, com um grande patrocinador por trás, não sonhar com título, aí acho que a gente estaria no lugar errado. Então meu sonho é esse. Sei que não vai ser fácil, talvez ano que vem vamos estar mais prontos para isso. É meu grande objetivo. Ficaria muito feliz de entrar no top-5 no final do ano, e aí entrar numa zona de acertar os detalhes para finalmente brigar pelo título”, encerrou César Ramos.
 
A Stock Car retoma a temporada 2018 no próximo dia 5 de agosto com a disputa da Corrida do Milhão, em Goiânia. O GRANDE PRÊMIO cobre o campeonato ‘in loco’.
LISTRAS LISÉRGICAS

COM CHICANE E CORES POLÊMICAS, PAUL RICARD DIVIDE OPINIÕES