Stock Car

Flagrado em exame antidoping e sem divulgação de substância, Matos recebe suspensão de dois anos

Raphael Matos, flagrado em exame antidoping após a etapa de Curitiba da Stock Car, vai enfrentar sérias consequências. O piloto da Carlos Alves recebeu uma suspensão de dois anos, consequência do uso de uma substância irregular que ainda não foi divulgada

Warm Up / VITOR FAZIO, de Porto Alegre / GABRIEL CURTY, de São Paulo
Raphael Matos vai ver sua carreira no automobilismo parada por um tempo após ser flagrado em exame antidoping na etapa de Curitiba da Stock Car. O piloto da Carlos Alves, que já havia perdido a etapa de Interlagos da categoria, foi julgado e suspenso por dois anos, segundo informação divulgada pela CBA nesta quinta-feira (17), já contando os 30 dias de afastamento provisório.
 
O GRANDE PRÊMIO entrou em contato com a assessoria da CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo), que confirmou a rigorosa punição. Todavia, ao ser questionada sobre a substância encontrada no doping, a CBA informou ao GP que esta não foi divulgada e que "só o advogado e a empresa de dopagem" podem informar.

A suspeita é de que se trate do tetrahidrocanabinol (THC), princípio ativo da maconha.
Raphael Matos recebeu uma suspensão de dois anos (Foto: Vicar)
Tanto Matos quanto Lucas Foresti foram pegos no exame antidoping após a etapa de Curitiba. Logo após a divulgação da irregularidade, o GP entrou em contato com a assessoria da Raphael, que preferiu não se aprofundar no assunto, apenas se dizendo confiante de que nada de errado aconteceu.
 
A situação de Foresti, por sua vez, ainda não é clara. O piloto, que tentou um efeito suspensivo para disputar a etapa de Interlagos da Stock Car, abriu um inquérito policial contra a farmácia de manipulação que produziu o remédio tido como irregular pela Stock Car.