Stock Car

Fraga abraça equipe Cimed e prega foco para encostar em Serra em Goiânia: “Se ele vacilar, estou na cola”

Felipe Fraga já deixou para trás a frustração vivida em Londrina. Lado a lado com a equipe que o ajudou a ser o mais jovem campeão da história da Stock Car, o piloto está focado em reduzir novamente a vantagem para Daniel Serra e chegar em condições de lutar pelo bi em Interlagos
Warm Up, de Goiânia / FERNANDO SILVA, de Goiânia
 Felipe Fraga (Foto: Duda Bairros/Stock Car)
Felipe Fraga chega a Goiânia com ânimo renovado. Dias depois de vencer a etapa de Laguna Seca do Intercontinental GT Challenge, em Laguna Seca, o piloto da Cimed acelera neste fim de semana com o objetivo de reduzir a diferença de 34 pontos que o separa de Daniel Serra para chegar a Interlagos, em 9 de dezembro, com boas chances de conquistar o bicampeonato. Antes mesmo de começar os trabalhos do fim de semana, Fraga fez questão de abraçar, literalmente, a equipe Cimed, deixando para trás a frustração vivida em Londrina, há duas semanas.
 
No Autódromo Internacional Ayrton Senna, Fraga tinha chances reais de vencer as duas corridas e liderava quando foi aos boxes fazer o pit-stop obrigatório. Mas a demora no encaixe da roda traseira direita impediu Felipe de triunfar, o que, de certa forma, ajudou Serra a ampliar sua vantagem. Mas o piloto da Cimed defendeu a equipe, no lema “ganhamos juntos, perdemos juntos”, e lembrou das conquistas alcançadas pelo time chefiado por William Lube.
 
“Antes de começar os treinos, falei para todo mundo que tudo o que ganhei na Stock Car foi com essa equipe, então não vou julgá-los por causa de um erro em Londrina. Também errei várias vezes. Não tem o que fazer, é ir para a próxima. E o carro está rápido por causa do trabalho deles também, então é torcer para dar tudo certo agora em Goiânia”, comentou Fraga em entrevista ao GRANDE PRÊMIO em Goiânia.
Felipe Fraga abraçou a equipe Cimed após o revés em Londrina no mês passado (Foto: Duda Bairros/Vicar/Vipcomm)
O dono do carro #88 acredita que é possível dar a volta por cima e reduzir a vantagem para seu maior adversário na luta pelo título. Sua confiança está baseada não apenas no seu potencial, mas também no trabalho realizado pela equipe Cimed.
 
“O Daniel teve um fim de semana com problemas, em Cascavel, e a gente aproveitou muito bem. Aqui na Stock Car é tudo muito no limite sempre. A gente está muito rápido, todo mundo na equipe, eu, o Marcos [Gomes], o Cacá [Bueno]... o Lucas está sempre ali, falta dar uma encaixada para todos terem um bom fim de semana. Mas, se ele vacilar, estou ali na cola. É esperar que ele dê um vacilo para estar na cola dele, recuperar e chegar a Interlagos com mais chances”, disse.
 
Fraga chegou a estar apenas oito pontos atrás de Serra quando venceu a corrida 1 da etapa do Velo Città, em setembro. O piloto da Cimed veio de um grande crescimento ao longo do campeonato. Antes da etapa de Santa Cruz do Sul, por exemplo, Felipe estava em sexto e com 64 tentos de déficit para Serra. A reação no segundo semestre mostra a Fraga que é possível encurtar novamente a diferença para seu oponente.
 
“Quando cheguei ao Velo Città estava muito feliz. Mesmo quando foi para 17 pontos, estava ok. Com 34 pontos [após a etapa 2 de Londrina], deu uma desanimada, mas é aquela coisa: se tirei 30 pontos em Cascavel, por que não tirar 30 aqui em Goiânia? Então é ir fazendo corrida por corrida e esperar Interlagos para ver o que vai acontecer. O que a gente sabe é que o carro está bom. É torcer para continuar fazendo boas classificações. Uma hora a gente pode acertar e ele, não, e aí encosto de novo”, complementou.
 
Por fim, Fraga se mostrou tranquilo quanto à previsão de chuva neste fim de semana e lembrou que já andou bem no molhado em Goiânia. Na última sexta-feira, Fraga fechou em terceiro lugar no segundo treino livre, antes de a chuva dar as caras no Planalto Central.
 
“Vamos ver. Gosto de andar na chuva, fui segundo aqui em 2016 andando na chuva. O carro sempre anda bem na chuva, no seco foi bom também [nos treinos]. E pelo menos os grupos, na classificação, são juntos. Se estiver chovendo para o Daniel, vai estar para mim; se estiver no seco para ele, vai estar no seco para mim também. Então é o que mais importa”, finalizou.
 
O GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ a etapa de Goiânia da Stock Car neste fim de semana com o repórter Fernando Silva.