Gomes pode deixar Tarumã como campeão da Stock Car, mas oito pilotos ainda sonham em adiar decisão para Interlagos

Restam três corridas para o desfecho da temporada 2015 e 87 pontos em disputa. Marcos Gomes pode até ser campeão neste domingo (8) se fechar a rodada dupla de Tarumã com 48 pontos de vantagem para o segundo colocado. Cacá Bueno é quem mais tem possibilidades de continuar na briga e postergar a decisão do título, mas até Julio Campos, nono colocado, tem chances matemáticas

A temporada 2015 da Stock Car caminha para seu período de definição. Foram 18 corridas entre março e outubro antes da última rodada dupla do campeonato, a ser disputada neste domingo (8), em Tarumã. E o desafiador circuito gaúcho poderá ver novamente a Stock Car coroar seu campeão. Marcos Gomes, dono de um desempenho digno de sonhos neste ano, tem tudo para fazer história. Aos 31 anos, Marquinhos pode ser o primeiro filho de campeão a ser campeão na categoria. Seu pai é o lendário Paulão Gomes, tetracampeão da Stock Car.
 
É bem verdade que Gomes vive um ano iluminado e jamais esteve tão próximo de voltar a ser campeão. A última vez em que soltou o grito da garganta foi em 2006, quando foi campeão da Stock Car Light. Na classe principal a partir de 2007, Marquinhos viveu anos muito bons, como na própria estreia, quando ganhou corrida, em 2008, quando terminou como vice-campeão ou em 2011, terceiro colocado. Mas depois de um ano muito complicado em 2014 na Carlos Alves, o piloto nascido em Ribeirão Preto deu a volta por cima em grande estilo.
 
Contratado como piloto da ascendente Voxx Racing, Marquinhos formou uma das melhores duplas do Brasil ao fazer parceria com o jovem Felipe Fraga. A equipe cresceu, e o melhor de Gomes apareceu. Em 18 provas até o momento em 2015, o piloto tem números superlativos: três vitórias (Santa Cruz do Sul, Curitiba e Campo Grande), sete pódios, cinco poles e três voltas mais rápidas. Além, obviamente, da liderança do campeonato com ampla margem.
Gomes pode ser o primeiro filho de campeão a ser campeão na Stock Car (Foto: Carsten Horst/Hyset/RF1)
Em meio a um grid de altíssimo nível técnico e dotado de pilotos de grande valor, o desempenho de Gomes é excepcional. A ponto de chegar à penúltima etapa, em Tarumã, com condições reais de confirmar o título. Marquinhos precisa abrir 48 pontos de vantagem para o segundo colocado ao fim da rodada dupla deste fim de semana para chegar a Interlagos já como grande campeão.
 
Sua missão está longe de ser impossível, mas o próprio Gomes reconhece que terá uma batalha difícil pela frente para conquistar o título por antecipação. Afinal, o paulista tem pela frente oito oponentes de muita qualidade e que ainda alimentam chances, ainda que matemáticas, em alguns casos, de engrossar as coisas para o carro #80.
 
Em Tarumã, o GRANDE PRÊMIO falou com cada um dos nove postulantes ao título da temporada. Para Marquinhos, é hora de tentar controlar a ansiedade, mais do que nunca. Cacá Bueno, Thiago Camilo, Max Wilson, Allam Khodair, Rubens Barrichello, Allam Khodair, Daniel Serra e Julio Campos tratam de forma distinta a fase final da temporada. Enquanto alguns ainda sonham com o improvável, outros preferem abordar uma corrida de cada vez, sem alimentar de fato o sonho com o título.
 
A seguir, confira o retrospecto dos candidatos ao título ao longo da temporada e suas respectivas impressões a respeito da luta pela cobiçada taça de campeão da Stock Car.
 
 
9º lugar: Julio Campos – 1 vitória (Curitiba), 146 pontos 
 
De saída para a C2, Julio Campos faz suas últimas corridas pela Mico’s sabendo que tem uma missão espinhosa em caso de título. Neste momento, antes do início da rodada dupla de Tarumã, o paranaense está 74 pontos atrás de Gomes. Assim, Julio teria de reduzir em, pelo menos, 27 pontos a vantagem que o separa de Marquinhos para chegar a Interlagos ainda na briga.
Julio Campos chegou a ocupar a liderança da temporada, mas teve problemas na segunda parte de 2015 (Foto: Vanderley Soares)
“Tivemos uma primeira metade de temporada muito boa. Acabou que, a partir de Santa Cruz do Sul, comecei a zerar. Ali furou meu pneu e deixei de marcar aquela média de quase 30 pontos que vínhamos marcando nas últimas provas. Em Cascavel, tivemos problemas na tomada de tempos e na corrida, na terceira volta, quebrou o motor, e não houve tempo para reparo. Zeramos também. Tivemos três corridas em que zeramos por problemas e saímos da disputa do título, eu acho. É muito difícil tirar toda essa vantagem que o Marquinhos tem na frente. É contar com um tropeço dele em Tarumã para eu poder fazer os pontos necessários e chegar na disputa do título lá em São Paulo. Mas é muito complicado.”
 
“Nosso foco agora é fazer a maior pontuação possível e ver onde vamos terminar. A nossa ideia era ganhar o título, de modo que ser vice ou terceiro não muda muita coisa. Acho que esse ano é mesmo do Marquinhos.”
 
 
8º lugar, Daniel Serra — 2 vitórias (Velopark e Curitiba), 156 pontos

A situação de Daniel Serra não difere muito, na prática, em relação a Thiago Camilo, terceiro colocado. A diferença entre o piloto da Red Bull #29 e o tri-vencedor da Corrida do Milhão é de meros nove pontos. Daniel precisaria somar 18 pontos a mais do que Gomes na rodada dupla em Tarumã para correr em casa como postulante ao título. Diante disso, seu foco está muito mais em fechar bem o ano do que uma briga genuína pela taça.

Na prática, Serra prefere não pensar em título para 2015 (Duda Bairros/Vicar)
“É muito difícil. Matematicamente, a gente tá na briga. Mas para sair daqui ainda com chances, eu teria de descontar 18 pontos para ele. Então é muito difícil. Só se ele tiver algum problema, o que pode acontecer. Mas estou pensando em corrida após corrida, tentar ganhar essas três que nós temos pela frente, fechar bem o ano e voltar mais forte em 2016.”
 
 
7º lugar, Ricardo Maurício — 1 vitória (Goiânia, corrida de duplas), 159 pontos
 
Bicampeão da Stock Car, Ricardo Maurício é reconhecido como um dos pilotos mais fortes do grid. E também é dos mais regulares, uma vez que quase sempre está brigando entre os ponteiros. Mas foi justamente a regularidade, ou melhor, a falta dela, que praticamente lhe tirou a chance de sonhar com o tri da Stock Car. Quando venceu — no caso, a corrida de duplas, ao lado de Néstor 'Bebu' Girolami —, o triunfo lhe valeu apenas a metade dos pontos. Ricardinho precisa somar 14 pontos a mais que Gomes para ainda manter viva a esperança de título. Embora não seja algo impossível, o piloto da RC prefere ser realista.
 
“Esse foi um ano brilhante para o Marquinhos. Até a última etapa, quase nada aconteceu com ele. Além de ter sido muito regular, ele foi extremamente rápido ao longo da temporada inteira, com poles, vitórias… Tem sido muito difícil batê-lo esse ano, mas sabemos que neste formato de campeonato, o importante é somar o máximo possível de pontos nas duas corridas. A gente teve bons desempenhos o ano inteiro, mesmo onde nós zeramos."
Realista, Ricardo Maurício reconhece a melhor forma de Gomes na temporada (Foto: Vanderley Soares)
“Furou pneu comigo onde muito provavelmente chegaria em terceiro, furou outro pneu quando estava em segundo; fomos desclassificados quando tínhamos somados 26 pontos, e só esses 26 pontos nos colocariam em segundo; teve a Corrida do Milhão, também. Zerar em sete corridas não ajuda, mas mostrou que fomos competitivos, muito rápidos durante as corridas. No fim das contas, tivemos um carro bom. É difícil lutar pelo título. Seria interessante chegar a São Paulo com uma pequena chance, mas é complicado.”
 
“Em corrida tudo pode acontecer. A gente não vai desistir nunca, mas somos realistas quanto às dificuldades em luta pelo título. Quem sabe a gente consiga terminar o ano entre os cinco do campeonato. Ser competitivo numa categoria forte como essa é importante. Estou feliz com a temporada. Mesmo com as sete corridas zeradas, estou feliz com a equipe, com o que conseguimos desempenhar. Espero que consigamos ter bons resultados até o fim da temporada.”
 
 
6º lugar, Rubens Barrichello — 2 pódios, 160 pontos
 
Aos 43 anos, Rubens Barrichello ainda não venceu em 2015 na temporada. Mas o atual campeão da Stock Car, na maior parte da temporada, esteve ali sempre no rol dos mais competitivos do grid. O que, numa categoria de nível técnico tão alto, é sempre importante. Muito por isso, o piloto da Full Time ainda mantém chances matemáticas de chegar ao bi. Para isso, precisa alcançar 13 pontos além do que fizer Gomes neste domingo.
Barrichello destacou a força e o nível dos pilotos do grid da Stock Car (Foto: Miguel da Costa Jr./Medley)
“Nós temos Tarumã para tentar descontar os pontos que matematicamente nos colocariam com chance de luta para Interlagos, então essa é a motivação. Tarumã foi muito legal com a gente no ano passado, então a esperança é que seja assim para esse ano também. O nível da Stock Car é muito forte, o Marquinhos veio muito bem com a equipe e cresceu muito, e o legal daqui é que você não sabe quem vai ganhar até o domingo após a bandeirada. Algo competitivo e muito legal.”
 
 
5º lugar, Allam Khodair — 6 pódios, 160 pontos
 
Companheiro de equipe de Barrichello na Full Time, o ‘Japonês Voador’ é igual ao parceiro até nos números. A pontuação é idêntica. Mas embora seja um dos pilotos com mais pódios no ano, Khodair zerou em quatro corridas. Reconhecidamente um dos mais rápidos da Stock Car, Allam acabou perdendo contato com os líderes por conta da falta de regularidade. Mas é ele quem mais tem chances de, ao menos na teoria, conseguir somar mais pontos que Gomes em Tarumã. Khodair larga na pole-position no Sul, lado a lado com Marquinhos.
 
“A gente vem de uma recuperação na segunda parte do campeonato. O Marquinhos está muito forte, com uma vantagem expressiva, então não dependo somente dos meus resultados, tenho de tirar pelo menos 13 pontos dele nesta corrida para chegar com chances matemáticas lá. Não que seja complicado tirar 13 pontos, mas, na forma como ele está, é complicado, já que ele vem sempre somando 25, 28 pontos… então é tentar fazer o maior número possível de pontos para tentar chegar a São Paulo com chances. Logicamente não com 47 pontos de diferença, mas o menor número possível.”
Khodair quer levar decisão para corrida "em que tudo pode acontecer" (Foto: Duda Bairros/Vicar)
“Sabemos que em São Paulo é uma corrida só e tudo pode acontecer, ainda mais quando envolve 33 carros competitivos. Ainda temos chances de título, certamente, mas o foco é diminuir a diferença ao menor possível. Esse é o foco, 100%. Neste ano ele realmente está com a estrela, as coisas estão acontecendo, mas o jogo pode virar numa corrida. Não que seja torcer contra ele, mas em nosso favor. Se der certo, ótimo; se não der certo, é tentar ao máximo chegar aos três primeiros do campeonato.”
 
 
4º lugar, Max Wilson — 2 vitórias (Velopark e Curitiba), 161 pontos
 
Max Wilson conquistou sua segunda vitória na temporada em Curitiba, no desfecho da última etapa do campeonato até então, em outubro. Curioso é que a mesma Curitiba que lhe deu motivos para sorrir recentemente foi onde o campeão de 2009 teve seu maior revés. Ao zerar em toda a primeira rodada dupla no Paraná neste ano, Wilson ficou para trás em relação aos líderes da Stock Car. E Max também está para trás no grid da etapa de Tarumã. Ele vai largar em 20º na primeira corrida e terá uma missão difícil para descontar os 12 pontos que precisa para Gomes se quiser se manter na briga pelo título.
 
“O meu objetivo no fim de semana é sair daqui com menos de 48 pontos para o Marquinhos, e aí a gente chega a Interlagos com alguma pequena chance de título. Obviamente, vamos precisar contar com a sorte, ou com a falta de sorte dele. Porque ele vem se mostrando não só rápido, mas muito consistente, e foi isso que deu essa liderança maior para ele. Todos nós que estamos lutando com ele tivemos alguns problemas, ficamos algumas provas sem pontuar. Além do mérito dele e da sua equipe, a velocidade e consistência têm sido o ponto forte deles. 
Enquanto tiver chances, Max Wilson garante: não vai desistir (Foto: Duda Bairros/Vicar)
“Quem sabe, nessas últimas corridas, ele tenha um pouco de falta de sorte, como nós tivemos. Seria interessante chegarmos ao fim do campeonato com alguns pilotos na disputa. Mas vamos ver. Temos de tirar o chapéu para a temporada que ele está fazendo. E se for campeão, ao que tudo indica que ele venha a ser, será campeão com todos os méritos. Mas enquanto tivermos chances, não vamos desistir.”
 
 
3º lugar, Thiago Camilo — 2 vitórias (Corrida do Milhão e Cascavel), 165 pontos
 
Thiago Camilo só deixou de pontuar uma vez em todas as provas que disputou na temporada. Justamente na corrida em que sofreu o grave acidente em Curitiba. Curiosamente, depois deste enorme susto, o experiente piloto da RCM obteve seus melhores resultados: venceu a Corrida do Milhão e, duas provas depois, triunfou em Cascavel. Na sequência, vieram mais dois pódios, um em Campo Grande e outro em Curitiba. Assim, o paulista de 31 anos chega a Tarumã em um sólido terceiro lugar e precisando somar oito pontos a mais que Marcos Gomes para chegar a Interlagos, onde já venceu corrida, com esperanças de chegar ao tão sonhado primeiro título da Stock Car. Camilo abre o domingo de rodada dupla em Tarumã em quinto lugar no grid.
Camilo vem de uma segunda parte da temporada em ascensão (Foto: Duda Bairros/Vicar)
“Depois do acidente de Curitiba, onde perdemos pontos preciosos, estamos tratando cada corrida separadamente. Acho que não vai ser diferente aqui. Ainda estou numa pontuação considerável atrás do Marcos, 55 pontos, e a corrida de São Paulo vale 48. Então, precisaria chegar a Interlagos com 47 pontos, no máximo, atrás dele.”
 
“Porém, não estou pensando nisso. Estamos trabalhando pelo melhor em Tarumã. E o melhor, obviamente, é buscar a vitória, ter um carro mais competitivo e somar o máximo de pontos. A gente não tem como controlar o carro do adversário. Vamos fazer o nosso, como estamos fazendo desde Curitiba, e emendando bons resultados.”
 
 
2º lugar, Cacá Bueno — 1 vitória (Ribeirão Preto), 183 pontos
 
Por mais que Marcos Gomes esteja de fato perto do seu primeiro título na Stock Car, não se pode descartar nenhum dos pilotos acima mencionados e, muito menos, o maior campeão em atividade na categoria. Mesmo lidando com a suspensão pra lá de injusta da rodada dupla de agosto em Curitiba, Cacá jamais deixou de fazer parte dos ponteiros. Ao longo da temporada, sem contar o abandono na corrida 2 em Ribeirão Preto, seu pior resultado tinha sido o décimo posto em Campo Grande. Só que a última etapa, em Curitiba, fez com que Cacá ficasse mais longe de Marquinhos em termos de título.
 
De todos os desafiantes de Gomes na briga pelo título, Cacá é o único que pode levar a decisão para São Paulo se mantiver a diferença para o piloto da Voxx Racing. Mas o pentacampeão terá uma tarefa das mais difíceis mesmo assim. Marcos larga na pole, enquanto Cacá vai largar apenas em 11º. Ou seja: em Tarumã, será tudo ou nada para o piloto da Red Bull.
Suspensão da etapa de Curitiba, em agosto, comprometeu luta de Cacá pelo título (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
“Eu mesmo já fui campeão antecipado em Tarumã. Acontece. Mas nossa missão é justamente evitar que isso aconteça. Quero diminuir essa diferença para chegar em São Paulo com chances, mas sem precisar de uma combinação de resultado tão impossível e distante da realidade. Esse é nosso primeiro objetivo. Em alguns momentos tive grandes oportunidades para diminuir a liderança. Curitiba foi uma oportunidade de ouro, mas faltou muita sorte para nós lá, e sobrou para ele.”
 
“No fundo, ele tem uma chance de ouro, mas a gente está vivo. Já ganhei campeonato por um ponto, já perdi campeonato por um ponto. Sei o quanto é difícil ganhar um campeonato de Stock Car; o Marquinhos já correu nas melhores equipes da Stock Car, e este, sem dúvida, é o melhor momento da carreira dele. Vou tentar usar minha experiência para que, dentro da estratégia possível, tentar reverter esse quadro. Está muito difícil, mas dá para reverter.”
 
 
1º, Marcos Gomes — 3 vitórias (Sta. Cruz do Sul, Curitiba e Campo Grande), 220 pontos
 
A estrela de Marcos Gomes brilha como nunca antes brilhou na Stock Car. A velocidade sempre esteve lá, mas o fato é que o piloto de Ribeirão Preto está colocando na pista sua maturidade adquirida ao longo dos seus 31 anos de idade. E, de fato, tem sido uma temporada com poucos erros, sorte de campeão, sim, mas muita competência e regularidade, somando pontos em todas as etapas do certame. 
Eis o homem a ser batido na Stock Car: Marcos Gomes (Foto: Rafael Gagliano/Hyset)
Num casamento perfeito entre piloto e equipe, a parceria Gomes-Voxx Racing pode fazer com que ambos alcancem um novo patamar na Stock Car e no próprio automobilismo brasileiro. Patamar este que pode ser atingido já a partir deste fim de semana. Considerando todo o contexto e também a boa segunda posição no grid de largada da corrida 1 em Tarumã, Marquinhos abre a corrida com possibilidades reais de fechar o fim de semana como campeão da Stock Car em 2015.
 
“A gente não esconde que tem possibilidades de chegar ao título nesta etapa, mas o trabalho não vai mudar. O negócio é segurar a ansiedade e trabalhar da mesma forma que estamos trabalhando o ano inteiro. Pensando em corrida após corrida e tentar fazer o melhor trabalho possível. Tentar largar na frente, faturar um pódio ou, quem sabe, uma vitória em uma das etapas. Talvez dê para conquistar o título, dependo de um resultado médio do Cacá. Mas vai ser difícil, então vamos pensar em manter essa diferença ou tentar abrir um pouquinho… E lá em Interlagos, aí sim, nós vamos tentar o tão sonhado título.”

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube