GP in loco: Stock Car confirma Di Grassi como novo ‘player’ e indica que está ainda mais equilibrada em 2018

A primeira rodada dupla da temporada 2018 foi empolgante e trouxe vários destaques. Além das vitórias de Felipe Fraga e Lucas Di Grassi, Cacá Bueno, César Ramos e Rafael Suzuki apareceram bem, assim como Daniel Serra. Sinais que indicam uma Stock Car ainda mais imprevisível e emocionante

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Curitiba sempre rende boas corridas na Stock Car. E não foi diferente com a rodada dupla deste domingo (8), a primeira da temporada 2018. Felipe Fraga venceu na esteira de um grande trabalho de estratégia no pit-stop e desbancou Daniel Serra, com Max Wilson completando o pódio. Na corrida 2, César Ramos despontava como principal candidato à vitória, mas viu a grande chance ir pelo ralo em razão de uma falha no carro. Lucas Di Grassi aproveitou a chance e triunfou logo na sua primeira etapa solo na categoria, com Cacá Bueno em segundo e Gabriel Casagrande, um dos donos da casa, em terceiro.

 
Na Corrida de Duplas em Interlagos, há quase um mês, os titulares Serra, Rubens Barrichello e Ricardo Maurício ficaram nas posições de pódio. Ou seja, em três corridas, apenas o atual campeão repetiu um top-3 na temporada e mostra que ainda é o homem a ser batido. Não à toa, é o líder do campeonato.
 
Mas Di Grassi, ainda que seja difícil brigar pelo título — o piloto, assim como Nelsinho Piquet, vai perder a etapa de Santa Cruz do Sul por conflito de datas com o eP de Berlim da Fórmula E —, certamente vai dar muito trabalho aos seus competidores no primeiro ano completo de Stock Car. Foi assim no treino classificatório em Interlagos e foi assim também na rodada dupla deste domingo, quando terminou a primeira corrida em sexto e triunfou na segunda. Lucas é um dos destaques do GP in loco deste domingo.
 
Ainda que Lucas seja um piloto extraclasse, sua adaptação rápida ao carro da Stock Car é de se ressaltar, ainda mais que Nelsinho Piquet, seu grande rival e que está no mesmo patamar de qualidade e também de experiência na Stock Car, ainda está se aclimatando à categoria e ao carro ‘manhoso’ da categoria. Desta forma, não é exagero algum dizer que Lucas já desponta como um novo ‘player’ em meio a tantos outros grandes pilotos capazes de lutar por vitórias e sonhar pelo título.
 
Fraga provou sua grande forma ao longo do fim de semana com uma vitória categórica e estratégica na principal corrida do fim de semana, que tinha toda a expectativa sobre Rubens Barrichello. O pole-position, no entanto, despencou da ponta para 24º na primeira volta, enquanto Rafael Suzuki fez o inverso: subiu de 27º para décimo. O destaque negativo da corrida 1 foi o acidente envolvendo Valdeno Brito e Guilherme Salas, que fez com que a prova terminasse sob regime de safety-car.
 
A corrida 2 trouxe ainda mais alternativas em razão do grid invertido, que trouxe Rafael Suzuki na pole-position. Mas foi César Ramos e, depois, Marcos Gomes os pilotos que tomaram a ponta. Só que ambos tiveram muito azar e abandonaram. Pior até para o gaúcho da Blau, que despontava para sua primeira vitória. Azar de uns, sorte — e competência — de Di Grassi, que liderou a corrida daí até o final provando que tinha potencial para ir além se precisasse: Lucas terminou a disputa com quatro botões de ultrapassagem ainda não acionados.
 
Cacá Bueno, depois da boa exibição em Interlagos, faturou seu primeiro pódio no ano, assim como Gabriel Casagrande, que teve atuação bem-sucedida nas duas corridas do fim de semana. Suzuki terminou em sexto e é um dos poucos pilotos com top-10 em todas as três corridas do ano até agora, mostrando que se encaixou bem ao carro da Hot Car.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A classificação do campeonato mostra Serra como líder e 49 pontos somados. Di Grassi vem em segundo, com 35. Barrichello, quarto colocado na corrida 2 deste domingo, fecha o top-3 com 32 tentos, mesmo número de Max Wilson. Gabriel Casagrande, Felipe Fraga, Cacá Bueno, Rafael Suzuki, Júlio Campos e Ricardo Zonta completam o rol dos dez primeiros após três corridas.

 
No desfecho da cobertura deste fim de semana em Curitiba, Fernando Silva e Felipe Noronha, jornalistas do GRANDE PRÊMIO, ressaltam também o resultado da corrida 2 da Stock Light, vencida pelo jovem estreante Enzo Bortoletto, enquanto Vicente Orige confirmou o favoritismo e triunfou com sobras na prova complementar do Brasileiro de Marcas com seu Chevrolet Cruze.
CEDO DEMAIS?

ALONSO ENTRA NO ‘MODO EMPOLGOU’ ANTES DO TEMPO

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube