Maurício ‘soluciona equação’ para vencer corrida 2 e entra na “briga embolada” por título da Stock Car

Ricardo Maurício entrou de vez na briga pelo título da Stock Car - disputa, essa "muito embolada", como ele mesmo disse. Vencedor da corrida 2 em Londrina, o piloto da RC Eurofarma analisou como solucionou o problema de equação para pontuar bem nas duas provas no Paraná

Após um ano de dificuldades na Full Time, Ricardo Maurício voltou à RC Eurofarma para 2019. E a mudança de casa fez bem ao bicampeão da Stock Car: em quatro etapas, parece ser quem melhor 'solucionou' a questão complexa da pontuação em duas corridas e, com a primeira vitória do ano, em Londrina, entrou de vez na disputa pelo título.

Como havia falado ao GRANDE PRÊMIO no último sábado, o #90 pensava que seria difícil "conquistar uma pontuação alta", para qualquer piloto, na abrasiva pista de Londrina. Quem entendesse como fazer isso se daria bem, e foi seu próprio caso.

Maurício foi a 116 pontos com a vitória na corrida 2, mais a sétima colocação na primeira prova (38 pontos conquistados no final de semana), e se firmou em terceiro, apenas dois pontos atrás de Rubens Barrichello e nove de Daniel Serra, o líder. Ainda há Thiago Camilo, com 109, mas que pode ir além se recuperar os pontos pelos quais briga na justiça, em julgamento na próxima terça-feira.

"Encostei no Daniel, ficou tudo embolado", comentou Maurício ao GP. "Tem a decisão do Thiago na próxima terça-feira, se a pontuação dele volta ou não, e isso mexe bastante no campeonato. Ele pode virar líder, Rubinho perder pontuação, Daniel também, tudo meio embolado. O importante é pontuar nas duas. Não é fácil", continuou.

Ricardo Maurício (Foto: Duda Bairros/Vicar)
Paddockast #21
A primeira vez a gente nunca esquece: as vitórias dos maiores nomes do esporte

Em seguida, o piloto comentou como conseguiu vencer a corrida 2, mesmo saindo em quarto: "É depois da classificação que a gente consegue ter um mapa da corrida, ver qual que é a estratégia ideal. Pensamos em diversas formas, mas o fator que nos deixou em dúvida era o desgaste dos pneus. O desgaste é excessivo para duas corridas, e eu gosto de trocar um pneu em cada corrida. Ano passado desgastou demais, e esse ano temos menos tempo na prova."

"Ficamos monitorando o tempo todo nossa vantagem para o nono, o 10°, na corrida 1, tentamos colocar o máximo de combustível possível para que a gente não caísse fora dos 10 na inversão do grid, focado na somatória da pontuação. Não valia a pena gastar o push por um, dois pontos a mais. É muito difícil você ter a melhor equação. Então foquei em fazer a maior pontuação possível nas duas. Graças a Deus deu certo."

"Mas é isso, é achar a equação certa para o final de semana. Não é fácil, porque você não sabe a estratégia dos outros pilotos que estão na pista", concluiu o terceiro colocado na temporada e, agora, dono de um triunfo.

Agora, o campeonato para até o fim de semana dos dias 20 e 21 de julho, quando corre em Santa Cruz do Sul em nova rodada dupla.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube