Stock Car

Na espera por “loteria” em Goiânia, Cacá define meta para 2018: top-3 do campeonato e título de equipes

Cacá Bueno ficou fora do Q2 do treino classificatório em Goiânia por meros 0s010, mas acredita que tudo pode acontecer neste domingo, ainda mais com o clima instável que é previsto. O pentacampeão acredita que tem condições para fechar o ano entre os três primeiros colocados
Warm Up, de Goiânia / FERNANDO SILVA, de Goiânia
 Cacá Bueno (Foto: Duda Bairros/Stock Car)
São oito os pilotos que têm chances matemáticas de conquistar o título da Stock Car em 2018. O oitavo e último desta lista é Cacá Bueno, que precisa de uma combinação pra lá de improvável para faturar o hexacampeonato. Ciente disso e também da força que Daniel Serra e Felipe Fraga vêm demonstrando ao longo do ano — e também neste fim de semana, em Goiânia —, o maior campeão em atividade no grid busca uma meta realista: terminar a temporada em terceiro lugar.
 
Apenas 25 pontos separam Rubens Barrichello, atual terceiro colocado, de Cacá, o oitavo. O piloto da Cimed, aliás, fechou a etapa do Velo Città justamente em terceiro, mas problemas de acionamento do câmbio na última etapa, em Londrina, prejudicaram o pentacampeão.
 
Na rodada dupla deste domingo (4), em Goiânia, a expectativa é por clima instável e pela chuva que pode desabar a qualquer momento. Assim, Cacá espera por uma loteria na pista. E uma loteria que seria bem-vinda até para as pretensões de alcançar as metas estabelecidas para o fim da temporada. O dono do carro #0 da Cimed ficou no limite da passagem para o Q2 não avançou para a segunda fase da classificação por meros 0s010. Cacá vai largar em 16º lugar logo mais.
Cacá Bueno já está de olho nas metas para o fim da temporada 2018 da Stock Car (Foto: Fernanda Freixosa/Stock Car)
“A loteria, talvez, neste momento, até que seria boa para mim [risos]”, disse Cacá ao GRANDE PRÊMIO neste fim de semana em Goiânia. “Bom, agora estou meio fora da disputa pelo título mesmo, teria de ter um resultado muito improvável: ganhar a primeira bateria, chegar entre os cinco da segunda e que o Daniel não fizesse pontos. Estou numa loteria tão grande que agora a gente está correndo corrida por corrida”, comentou.
 
“Mas, ao mesmo tempo, o Fraga tem condições [de lutar pelo título], a gente está em segundo lugar no campeonato entre as equipes, o terceiro colocado [Barrichello] não está longe de mim, 20 e poucos pontos, e uma vitória [na corrida 1] vale 30. E eu era o terceiro do campeonato até a última etapa, quando quebrei, e saí em oitavo. Posso voltar para terceiro agora”, lembrou o pentacampeão.
 
No campeonato entre as equipes, a RC Eurofarma, do líder Daniel Serra e de Max Wilson, ocupa a ponta do campeonato com 446 pontos. E a Cimed Chevrolet Racing, com Cacá e Felipe Fraga, está em segundo, com 405. A Shell V-Power aparece em terceiro e soma 320.
 
“Então acho que chegar em terceiro no campeonato e ser campeão por equipes acho que é uma meta não tão audaciosa, é muito possível. E é o que eu gostaria de entregar no fim do ano: estar em terceiro, o que é, digamos assim, entregar um campeonato ‘a la Cacá Bueno’, que é estar entre os três, quatro, cinco primeiros todos os anos e, quem sabe, com mais uma vitória até o fim do campeonato”, complementou.
 
“O pensamento é esse e, quem sabe, uma loteria não seria bem-vinda?”, finalizou o piloto mais vitorioso em atividade no grid da Stock Car.
 
A largada da corrida 1 está marcada para 13h (horário brasileiro de verão), enquanto a última prova do fim de semana tem largada prevista para 14h10. O GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ a etapa de Goiânia da Stock Car neste fim de semana com o repórter Fernando Silva.