Stock Car

Pole por 0s026, Serra exalta “carro bom no seco e no molhado” e avisa: “Estamos bem confiantes”

Foi por muito pouco, no ‘limite da margem de erro’. Mas Daniel Serra venceu o aguardado duelo com Felipe Fraga pela pole-position da corrida 1 da etapa de Goiânia. Foi a sua quarta pole no Planalto Central, mas a primeira em que fez a classificação com a pista molhada
Warm Up, de Goiânia / FERNANDO SILVA, de Goiânia
 Daniel Serra (Foto: Duda Bairros/Stock Car)
Por mais que oito pilotos ainda tenham condições matemáticas de conquistar o título da Stock Car em 2018, está nítido que a grande batalha pela taça mais cobiçada do automobilismo brasileiro está mesmo entre Daniel Serra e Felipe Fraga nesta temporada. E a tensa batalha pela pole-position na encharcada tarde deste sábado (3), em Goiânia, foi mais uma amostra deste grande duelo. No fim das contas, o atual campeão e líder da temporada levou a melhor por uma diferença irrisória: por 0s026 e com uma volta ‘no limite’, Serra garantiu a pole-position para a corrida 1 da penúltima etapa do ano, com Fraga dividindo a primeira fila do grid.
 
Serra, que na sexta-feira já havia mostrado ter a confiança no seu carro, ratificou o sentimento depois de comemorar sua quarta pole-position em Goiânia e também a quarta no campeonato.
 
“Foi legal. A previsão já era essa, sabíamos que seria complicado. Ontem a gente deu umas voltas no segundo treino, na chuva, deu para ver que o carro era bom. A pista teve algumas poças, então é muito difícil falar qual é o carro bom ou não, é muito achar o pouquinho da linha, arriscar ou não. Deu certo, o carro era bom, estamos bem contentes e confiantes para amanhã”, destacou o piloto em entrevista coletiva depois de ter feito a festa com o filho, Lucas, e com a esposa.
Daniel Serra superou o temporal e Felipe Fraga para faturar a pole em Goiânia (Foto: Duda Bairros/Stock Car)
Daniel ainda vai planejar com a equipe RC Eurofarma, liderada por Rosinei Campos, o Meinha, como vai abordar a corrida. Mas, ao menos por enquanto, ainda não há uma estratégia definida para domingo, uma vez que tudo vai depender do clima. Mas a confiança de Serra é tamanha que o clima é o menor dos detalhes para a rodada dupla.
 
“Sabemos que temos um bom carro na chuva e no seco. Precisamos tomar as decisões certas durante a corrida, se for o caso de chover ou secar na corrida. Agora é sentar e planejar tudo”, disse o piloto do carro #29, que destacou também o bom retrospecto no circuito.
 
“Aqui em Goiânia a gente tem um retrospecto muito bom, só que a gente nunca tinha andado na chuva. E o carro estava muito bom numa pista difícil, manhosa, por causa de algumas poças. Mas a gente está feliz”, comemorou Daniel, que evita falar em definir o campeonato neste fim de semana. Seu objetivo para domingo é apenas um: “Marcar o máximo possível de pontos e aí pensar como vai ser a última”.
 
Perguntado pelo GRANDE PRÊMIO sobre a volta ‘no limite’ que lhe deu a chance de largar na pole-position neste domingo, Serra lembrou que precisava arriscar para poder ser mais rápido que Fraga. Por outro lado, também sabia que não poderia ser cauteloso ao extremo. Com esse equilíbrio constante que Daniel teve de lidar para comemorar mais uma vez a primeira posição do grid.
 
“A diferença é que, na chuva, se você dar uma erradinha, esse erro fica muito maior. Quando você perde o grip do carro, então você acaba escorregando, indo muito para fora, diferente do seco. E você tem uma volta só, uma chance, não dá para ir com tanto cuidado, senão você não vai ganhar nada... Mas, ao mesmo tempo, se arriscar muito e errar, aí você perdeu a volta. Então foi muito sobre balancear isso dentro do carro”, descreveu.
 
“Fiz uma curva 1 não muito boa, o que não é legal, já que você perde um pouco de confiança e tem de recuperar isso no resto da pista e aumentar o risco. Mas foi bom, os últimos dois setores conseguimos ser os mais rápidos, então estamos bem confiantes para amanhã”, acrescentou o piloto.
 
Para a corrida em si e a perspectiva de uma nova batalha com Fraga, Serra prefere, no momento, se concentrar nos próprios objetivos.
 
“A gente tem de correr e fazer a nossa corrida. O carro está bem constante. Se for no seco, estamos bem competitivos. Se for no molhado, também estaremos competitivos. Não dá para prever uma corrida. Acho que a gente tem de planejar lá, criar nossos cenários e tentar amanhã ir para a frente”, finalizou o pole-position em Goiânia.
 
O GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ a etapa de Goiânia da Stock Car neste fim de semana com o repórter Fernando Silva.