Stock Car

Por título, Cacá põe milhão em 2º plano: “É um caminhão de dinheiro, mas o campeonato vale mais”

Dependendo da vitória e da sorte para conquistar sexto título na Stock Car, piloto do carro #0 coloca importância do título à frente do milhão de reais em jogo neste fim de semana em Interlagos e torce por corrida caótica: “Se a corrida não for tumultuada, dificilmente um desses três caras não estará entre os seis primeiros, e aí não adianta vencer”

Warm Up, de Interlagos / HUGO BECKER, de Interlagos / RENAN DO COUTO, de Interlagos
 
Cacá Bueno chega a Interlagos com uma missão inglória na Corrida do Milhão, etapa que fecha a temporada 2013 da Stock Car e que define o dono do título deste ano: para alcançar o hexacampeonato, precisa não apenas vencer como também torcer para que nenhum dos três rivais à frente – Thiago Camilo, Daniel Serra e Ricardo Maurício – chegue entre os seis primeiros colocados.
 
Líder da classificação, Camilo conta com 185 pontos, enquanto Serra aparece com 181 e Maurício, com 178. Só então aparece o piloto do carro #0, com 160. Apesar da situação complicada, no entanto, o próprio Cacá crê que é possível chegar ao título.
 
"Eu já estive nessa posição em algumas outras vezes, também. Acho que não é fácil. Eu não me colocaria entre os favoritos nesse ano, mas não dá para desistir nem para abaixar a cabeça, nunca fui disso", disse Bueno em entrevista ao GRANDE PRÊMIO. "Em outros momentos eu corria com o regulamento, com a estratégia, para conseguir os títulos. Agora é diferente, mas não é impossível. Acho que faltou um pouquinho de sorte este ano, mas tomara que a sorte que faltou no ano inteiro, quem sabe, não venha a aparecer agora."
Cacá Bueno não conseguiu segurar Sérgio Jimenez (Foto: Duda Bairros/Vicar)
O milhão de reais em disputa no próximo domingo (15), aliás, está longe de ser a meta principal de Cacá – ao menos diretamente, já que para ter chances de conquistar mais um título, será obrigado a vencer e, por consequência, levar a alta cifra para casa.
 
"Se você falasse agora 'cara, o que você prefere: o título ou o milhão?', é muito mais plausível agora ganhar o milhão do que o título, porque mesmo a vitória não me garante o título. Mas eu preferiria de novo o título", enfatizou, convicto. "Esse ano, fatalmente o título passa pela vitória do milhão. Se eu não ganhar a Corrida do Milhão, dificilmente eu vou ganhar o título. É a corrida mais importante do ano, a corrida que todo mundo quer ganhar. É um caminhão de dinheiro. Mas o campeonato continua valendo mais."
 
As 'pedras no caminho' do representante da Red Bull rumo ao sexto título mereceram elogios de Cacá. Contudo, o experiente piloto apontou a falta de sorte nas últimas etapas como um dos fatores principais para não ter chegado a São Paulo na liderança.
 
"Eles foram fortes o ano inteiro", disse, em referência a Camilo, Maurício e Serra. "Eu acho que eu poderia estar perfeitamente ali, três ou quatro pontos ou à frente ou atrás deles, mas, realmente, essas últimas corridas não foram das melhores para mim. Uma desclassificação em Cascavel, uma batida minha no Velopark, um furo de pneu na última volta da corrida de Brasília... Foram pontos importantíssimos jogados fora e que me levaram à essa situação", lamentou, realista. "Por isso mesmo, acho difícil. É muito improvável que nenhum dos três consiga uma boa colocação, mas... Corridas são corridas, ainda mais em Interlagos. Se há uma corrida em que tudo pode acontecer, é exatamente Interlagos, então ainda há esperança", acrescentou, mantendo a confiança em alta.
 
E para concretizar sua esperança, nada melhor do que uma corrida caótica no santuário do automobilismo brasileiro. "Torço pelo tumulto! Se a corrida não for tumultuada, dificilmente um desses três caras não estará entre os seis primeiros e aí, não basta minha vitória para o título. Mas o mais importante é que estou extremamente feliz. Mais uma vez eu cumpri minha meta, que é chegar à última etapa brigando pelo título. Quem consegue chegar na última etapa brigando pelo título, um ano vai ganhar, no outro não...", comentou. 
 
"A meta é essa e continua sendo essa para os próximos anos. Tenho certeza de que se o hexa não vier domingo, ele ainda vai vir. Ainda tenho muita lenha para queimar e muito ânimo para ganhar campeonatos", encerrou Cacá.