Redução de custos, pessoas e briefing virtual: as ideias da Stock Car para sobreviver a 2020

Em entrevista exclusiva ao GRANDE PRÊMIO, o chefe da Stock Car, Carlos Col, explicou como mantém planos vivos para caso a categoria consiga voltar ainda este ano

No momento, o plano da Stock Car, em meio à pandemia do coronavírus, é conseguir começar sua temporada 2020 no início de julho. Caso consiga, porém, é muito provável que a situação no Brasil não esteja controlada por completo. Então, como realizar corridas em autódromos de forma segura?

Ao GRANDE PRÊMIO, o chefe da categoria, Carlos Col, explicou como se planeja para que tudo funcione – mas deixa claro: é impossível saber se teremos prova na data prevista – se trata, claro, de um planejamento prévio necessário.

Entre os destaques, estão a necessidade de redução de custos, de pessoas nos autódromos e situações obrigatórias de uma etapa realizadas virtualmente.

"Todo o plano e cenário que temos trabalhado tenho discutido com as equipes. Nos reunimos online dia sim, dia não, e discutimos todos os detalhes. A princípio diminuímos de 12 para oito pessoas permitidas por box, o que na média da área do boxes pelo Brasil dá uma densidade de 0,25 pessoa por m², uma pessoa a cada 4m². Imaginamos que assim cumpriremos as recomendações das autoridades de saúde no distanciamento social."

"Com relação a outras atividades, vamos evitar pontos de aglomeração, como lanchonetes e até mesmo sala de imprensa, vamos trabalhar com esse distanciamento recomendado. Não faremos o briefing da maneira normal, mas sim virtual, por vídeo", seguiu.

Carlos Col (Cauê Moalli/Grande Prêmio)
Paddockast #59
DUPLA IMPLACÁVEL: Daniel Serra e Ricardo Maurício

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

De qualquer forma, isso não corta a presença de muitas pessoas no evento. Se essa situação for permitida então, a Stock Car ainda planeja outras medidas de prevenção.

"Vamos seguir a recomendação de máscara por todos os mecânicos e profissionais envolvidos. Vamos disponibilizar álcool gel em todas as dependências. Por meio do nosso sistema médico, vamos fazer o controle da temperatura corporal no acesso aos boxes, e também, se tivermos a disponibilidade, o acesso a testes rápidos, aplicaremos a todos os envolvidos na operação antes de começarmos o final de semana."

"Ou seja: imaginamos, mas ninguém pode ter certeza, é que essas regras que estarão vigentes na economia, e queremos nos enquadrar nessas regras. Se isso ainda for insuficiente, faremos mais adequações. Se tivermos que diminuir mais o número de pessoas, a gente diminuirá. As atividades serão restritas a dois dias, sábado e domingo. Programação mais enxuta. E colocando sempre em primeiro lugar a saúde das pessoas."

Stock Car em Cascavel, 2019 (Foto: Vanderley Soares)

utro ponto abordado na entrevista foi o financeiro: como sobreviver a uma temporada mais curta – ou seja, com menos exposição de marcas?

"A Stock Car não está imune aos efeitos econômicos da pandemia. Todos os setores foram afetados e a Stock Car também. Por isso, desde o começo de março, iniciei o desenho de alguns cenários possíveis e comecei a discuti-los com as equipes. Não adianta eu fazer um plano para a Vicar, tenho que fazer para a Stock Car como um todo. E precisamos que todos estejam viabilizados para passar esse ano."

 "E as equipes, evidentemente, ficaram muito preocupadas. Elas vivem a base de patrocinadores, que estão sendo afetados também. E nós, de maneira sensível, entendemos, e trabalhamos em um plano de contenção de custos para essa temporada – uma redução de custos em vários pontos: desde a quilometragem percorrida em cada final de semana ser menor, como o uso de menos pneus, como o uso de menos peças de reposição, com a necessidade da redução da densidade de pessoas, então, portanto, menos despesas com viagem, hotel, refeição, transporte… A programação terá início na pista apenas no sábado, retardando a chegada de todas essas pessoas."

"Algumas renegociações com provedores, fornecedores da categoria, estão acontecendo, no sentido de todos darem sua contribuição na redução de custos. E, desta maneira, permitir que todas equipes consigam se viabilizar para fazer um campeonato cumprindo o calendário de 12 etapas. Obviamente, se for possível", finalizou Col.

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

assine agora