Stock Car

Sem chance de título por “pequenos problemas do carro”, Campos vê top-3 como “virada muito boa”

Julio Campos virou para cima de Rubens Barrichello na corrida derradeira da temporada 2018 da Stock Car e conseguiu alcançar o sonhado top-3. Ele só lamenta que o carro da Prati-Donaduzzi tenha tido série de “pequenos problemas” durante o ano que impediram sua presença na briga pelo título
Warm Up / FELIPE NORONHA, de São Paulo / FERNANDO SILVA, de Sumaré
 Julio Campos (Foto: Duda Bairros/Stock Car)
Antes da pausa para a Copa do Mundo, Julio Campos falou ao GRANDE PRÊMIO que tinha como plano se colocar no top-5 da classificação da Stock Car para chegar ao final do ano com chances de título. "Pequenos problemas" no carro impediram sua presença ao lado de Daniel Serra e Felipe Fraga, mas a aterceira colocação ainda foi possível. E o sentimento, segundo o piloto da Prati-Donaduzzi, foi de "missão cumprida".

É o que ele disse ao GP em Interlagos, após o final da temporada da maior categoria brasileira do esporte a motor. "Com certeza. A gente sabia que, na segunda ou terceira corrida, já estávamos mais de 40, 50 pontos atrás do Serra (que acabou campeão). Goiânia, na Corrida do Milhão, a gente teve uma quebra... Campo Grande tamvbém a gente teve problema. Esses pequenos problemas acabam tirando a gente da matemática do campeonato e ano que vem a gente vai brigar para não ter isso", explicou o piloto paranaense.

Mas, ao menos, ele conseguiu ainda virar o jogo para cima de Rubens Barrichello e, na corrida derradeira da temporada, alcançar o top-3. E pôde celebrar isso: "Foi uma virada muito boa para a gente. Colocamos de meta isso e foi bacana que a gente conseguiu cumprir."
Júlio Campos (Foto: Duda Bairros/Vicar/Vipcomm)
"O carro está muito rápido, em todas as últimas corridas largamos entre os cinco primeiros. A gente tem um pouquinho de problema de ritmo na corrida. Isso precisa mudar bastante durante as férias para que a gente não tenha esses problemas ano que vem."

"A gente sabe que Stock Car não treina, não testa, então a gente tem muito medo de colocar algo novo no carro e acabar andando para trás. E a gente já está bem para a frente", continuou Campos.

Ele acabou o ano com 252 pontos, 10 a mais que Barrichello. Agora, está focado em glórias maiores em 2019: "Nosso título vai vir quando a gente ganhar o campeonato, mesmo."

"A gente está na Mattheis, uma equipe gigante e que merece estar brigando por vitórias e títulos. Estamos crescendo, melgorando juntos, eles estão vendo o que é necessário para voltar a brilhar e vou estar aqui para brilhar junto com eles", finalizou.