Stock Car

Sem favorito claro, Stock Car abre ano festivo com aposta em valorização do grid após mudanças de comando

A Stock Car chega para sua abertura no Velopark com grid um pouco mais enxuto do que em 2018, mas com a mesma força em termos de qualidade - o que torna impossível prever quem seria o favorito ao título. Ótimo para a categoria, que tem no que se fortalecer em ano com mudanças importantes nos bastidores

Grande Prêmio / FELIPE NORONHA, de São Paulo
A principal mudança da Stock Car para 2019 pode não ser reparada pelo público - nem na sua abertura, a partir desta sexta-feira (5) no Velopark, nem durante todo o ano de disputa, que vai até dezembro, com a final em Interlagos.

É que ela aconteceu nos bastidores: assim que a temporada 2018 foi encerrada, a Vicar, promotora da categoria, demitiu Rodrigo Mathias, então diretor-executivo, e promoveu Carlos Col para presidente do conselho que toma as decisões.

Desta forma, busca recuperar finaceiramente a categoria, que perdeu patrocinadores e equipes (a Hero como exemplo principal) - apesar da manutenção de outras que quase optaram por sair, como a Shell
Átila Abreu (Foto: Beto Issa)
Outras saídas incluem a de Lucas Di Grassi, que fez parte do "grid mais forte da história da categoria", algo de consenso entre os envolvidos com a categoria, e a da Carlos Alves, que sem o patrocínio de uma marca de cervejas não conseguiu alinhar carros para a primeira etapa.

O grid, porém, continua muito forte: dos 28 carros listados, há a manutenção de estrelas: as equipes que vêm liderando nos últimos anos ou se reforçaram, ou fizeram trocas para manter o nível, ou se mantiveram com a mesma qualidade em termos de talento humano.

Ou seja: a Stock Car comemora seus 40 anos (incluindo etapa especial na abertura, em corrida única, em vez das tradicionais duplas) com 28 pilotos de bom nível - e sem favorito claro não só para a corrida inicial, como também para a temporada.
Rubens Barrichello (Foto: Beto Issa)
Claro, é possível prever que RC Eurofarma, Cimed e Full Time começam na frente pela tendência do último ano. Mas é impossível afirmar que a A. Mattheis, por exemplo, não se recuperou de um ano cambaleante e voltará à briga. Ou que a Prati-Donaduzzi não se manterá bem colocada, como conseguiu com ao menos um carro em 2017.

Mesmo equipes menores, como a KTF, vêm com novidades interessantes: Marcos Gomes, que já foi campeão, se mudou para a KTF; e a Hot Car, uma das que mais cresceram no último ano, apostou na evolução de Rafael Suzuki. E a forte Shell V-Power segue com Ricardo Zonta e Átila Abreu, os "reis" das corridas 2 em 2018. Será que a qualidade no final das etapas passa a durar por todo o final de semana?
Daniel Serra (Foto: Fernanda Freixosa/Stock Car/Vipcomm)
Daniel Serra, atual bicampeão, entra na temporada como candidato. Mas não há nenhum indício de que Rubens Barrichello, Max Wilson, Julio Campos, Thiago Camilo, Felipe Fraga e Cacá Bueno, entre outros, não tenham a mesma força que aquele que dominou a Stock Car nos últimos dois anos.

Essa é a força da Stock Car: nos treinos livres de sexta-feira, uma equipe pode liderar; depois, tudo mudar no sábado; na classificação, uma estratégia alvancar alguém que não apareceu no topo anteriormente; e, na corrida, o push pode influenciar de maneira inimaginável.

A força da Stock Car é essa: se nos bastidores há dúvidas, no grid elas são extremamente positivas. Quase qualquer um pode vencer. É o que categorias como a F1 sonham. E a Stock entrega. Que aproveite para crescer.
Felipe Fraga (Foto: Duda Bairros/Stock Car/Vipcomm)

Pilotos para a abertura:
Blau: Allam Khodair e Cesar Ramos
Cavaleiro: Denis Navarro e Felipe Lapenna
Cimed: Cacá Bueno e Felipe Fraga
Crown Racing: Gabriel Casagrande e Marcel Coletta
RC Eurofarma: Daniel Serra e Ricardo Maurício
Shell Full Time: Galid Osman e Gaetano Di Mauro
Full Time: Rubens Barrichello e Nelsinho Piquet
Hot Car: Rafael Suzuki e Pedro Cardoso
A. Mattheis/Ipiranga: Bia Figueiredo e Thiago Camilo
KTF Sports: Marcos Gomes e Diego Nunes
Prati-Donaduzzi: Julio Campos e Valdeno Brito
RCM: Bruno Baptista e Max Wilson
Shell V-Power: Ricardo Zonta e Átila Abreu
Vogel Motorsport: Guga Lima e Lucas Foresti

A Stock Car chega para a etapa inicial com treino de classificação no sábado (6), às 13h30; a corrida de abertura começa às 11h de domingo (7). O GRANDE PRÊMIO cobre com o repórter Felipe Noronha in loco.