Stock Car

“Sentindo energia muito boa”, Fraga chega confiante à decisão da Stock Car: “É não desistir nunca e ter fé”

Felipe Fraga chega à decisão do título da Stock Car neste fim de semana, em Interlagos, na posição de desafiante. O mais jovem campeão da história da categoria precisa vencer e torcer para que Daniel Serra chegue de quinto lugar para trás para festejar o bi. Fraga sabe que não será fácil, mas lembra que nada é impossível
Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
 Felipe Fraga (Foto: Duda Bairros/Vicar/Vipcomm)
Daniel Serra e Felipe Fraga vão decidir o título da principal categoria do automobilismo brasileiro neste fim de semana em Interlagos. No próximo domingo (2), a Stock Car vai conhecer o campeão da sua 40ª temporada no confronto entre os dois melhores pilotos dos últimos anos. Serrinha é o atual dono do título com a RC Eurofarma, enquanto Fraga, o mais jovem campeão da história da Stock Car, em 2016, chega a São Paulo para desafiar o rival na esteira de uma grande arrancada desde a Corrida do Milhão.
 
A diferença entre os dois postulantes à taça é de 25 pontos. Na teoria, trata-se de uma vantagem até confortável para Serra, que precisa apenas de um quarto lugar, independentemente da posição de Fraga em Interlagos, para conquistar o bicampeonato. A Fraga, não basta apenas vencer, mas também torcer para que seu principal adversário ao longo do ano chegue de quinto para baixo.

 
Na prática, contudo, a história recente da Stock Car mostra que nada é impossível. A mesma Interlagos foi palco de uma decisão dramática em 2016 entre Fraga e Rubens Barrichello, no desfecho de um incrível duelo de gerações. A diferença entre os dois antes da grande final era de 36 em favor do piloto da Cimed. 
Felipe Fraga chega a Interlagos confiante em superar Serra e faturar o bi da Stock Car (Foto: Fernanda Freixosa/Stock Car)
Fraga largou na pole e manteve a liderança nas primeiras voltas. Contudo, a chuva chegou a dar as caras em Interlagos e levou a Cimed a ser mais conservadora, chamando Fraga para trocar os slicks pelos pneus de chuva. Barrichello lembrou o GP da Alemanha de 2000 na F1 e se manteve na pista com os pneus para pista seca. A estratégia quase deu certo. Rubens cruzou a linha de chegada em segundo, mas Fraga assegurou o título ao terminar em décimo, fechando o ano com 14 pontos de frente.
 
 
Ao GRANDE PRÊMIO, Fraga lembra a batalha final na conquista do seu título em 2016 para basear a confiança de que o título ainda é possível. 
 
“Em Interlagos, contra o Barrichello, eu estava ganhando a corrida, aí teve um problema no pit-stop e cheguei em décimo, e ele em segundo. Se não tivesse tanta diferença, ele teria sido campeão na última corrida”, disse o piloto pouco depois de ter marcado dois pódios em Goiânia.
 
A terceira colocação obtida nas duas corridas da etapa de novembro e a redução da vantagem para 25 pontos em relação a Serrinha deixou Fraga confiante de que é possível chegar ao bicampeonato no próximo domingo.
 
“É não desistir nunca, ter muita fé. Estou sentindo uma energia muito boa de todo mundo que está torcendo por mim. Estou muito feliz pelo que estou alcançando na Stock Car e, se Deus quiser, vai ser nosso”, complementou.
 
O GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ a grande final da temporada 2018 da Stock Car em Interlagos com Felipe Noronha, Fernando Silva e Rodrigo Berton.