Stock Car

Serra ressalta histórico em “Interlagos que gosto bastante”, mas diz: “A concorrência também é forte”

Dono de duas poles — sendo a primeira logo na estreia na Stock Car — e duas vitórias em Interlagos, Daniel Serra volta ao templo do automobilismo para buscar o bicampeonato neste fim de semana ciente que não vai ter uma batalha fácil, mas sabedor também do seu potencial
Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
 Daniel Serra durante disputa da corrida final da Stock Car em Interlagos (Foto: Fernanda Freixosa/Vicar)
 
Foi em Interlagos que, no ano de 2007, Daniel, na sua estreia como piloto da Stock Car, garantiu de cara a pole-position da prova, terminando a disputa em terceiro lugar. Ou seja, o histórico do #29 correndo em casa é de muito respeito.
 
Neste fim de semana, Serra vai decidir, novamente em Interlagos, o título da Stock Car. Contudo, diferente do ano passado, quando chegou à grande final na disputa com Thiago Camilo, desta vez o piloto vai batalhar pelo bi contra Felipe Fraga. O piloto da equipe chefiada por Rosinei Campos, o ‘Meinha’, precisa de um quarto lugar, independente do resultado de Fraga, para festejar mais uma conquista.
Daniel Serra volta ao palco que o consagrou como campeão da Stock Car em 2017 (Foto: Duda Bairros/Vicar)
Ao GRANDE PRÊMIO, Serrinha ressaltou o enorme apreço que tem por Interlagos, fato que os números comprovam ao longo da sua carreira. Porém, o atual campeão e líder do campeonato lembrou que o circuito também é ‘quintal’ de boa parte do grid da Stock Car por ser o autódromo mais tradicional do Brasil, o que torna o jogo muito mais equilibrado.
 
“Interlagos é uma pista que gosto bastante, já tive bons resultados lá. Mas é uma pista que todo mundo conhece bem, todo mundo já andou muito em Interlagos, todas as equipes, todos os pilotos”, salientou o líder do campeonato, 25 pontos à frente de Fraga.
 
Questionado se tem a receita para andar bem em São Paulo, Daniel confirmou, mas recordou que a maioria dos pilotos costuma ter um bom acerto no circuito e, por isso, as forças se equivalem.
 
“É uma etapa onde todo mundo anda muito perto, todo mundo tem uma receita boa ali. Então realmente um detalhezinho pode fazer a diferença, conseguir ganhar um pouquinho, um décimo. É uma pista que gosto, me dou bem, mas a concorrência é forte lá também”, pontuou.
 
Assim como Serra, Fraga também já conquistou seu único título na Stock Car tendo Interlagos como palco, em 2016. Duas temporadas antes, o piloto tornou-se o mais jovem da história da categoria a vencer, com 18 anos, sete meses e 20 dias. E como Daniel, o #88 da Cimed acumula dois triunfos em Interlagos, sendo um no seu ano de estreia e outro na Corrida do Milhão do campeonato em que chegou ao título.
 
O tira-teima entre os dois postulantes ao título de 2018 o fã do automobilismo vai ver no próximo domingo com a disputa da grande final da Stock Car em Interlagos, com largada prevista para 11h (horário brasileiro de verão) e transmissão ao vivo pela Rede Globo e pelo canal por assinatura SporTV.
 
O GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ a etapa decisiva da temporada 2018 da Stock Car em Interlagos com Felipe Noronha, Fernando Silva e Rodrigo Berton.