Serra vê volta de Barrichello no Q3 em Curitiba como ‘quase perfeita’: “Nem com todo potencial do meu carro eu seria pole”

Daniel Serra sai em segundo na corrida 1 da Stock Car em Curitiba. A pole de Rubens Barrichello, para o piloto da Eurofarma, foi merecida - pois, para ele, "a distância era razoavelmente grande"

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Daniel Serra chegou ao ano de 2018 como campeão da Stock Car e, na Corrida de Duplas, abertura da temporada, foi o vencedor ao lado de João Pauio de Oliveira. Como líder ele chegou a Curitiba e, neste sábado (7), garantiu boa colocação no grid da corrida 1: segundo. E sentiu que tirar a pole de Rubens Barrichello era impossível.

A "voltaça" de Rubinho, como o próprio elogiou, fez com que Serra revelasse entender que não tinha chances de largar na pole, em sua visão, durante conersa exclusiva com o GRANDE PRÊMIO.

"Minha volta foi boa, eu fiz uma primeira curva muita boa, mas meu primeiro setor foi ruim, mais por minha parte do que pelo carro. De qualquer maneira, se eu acertasse o que eu podia do potencial do meu carro eu não tirava a pole, eu ficaria mais próximo dele, ele conseguiu colocar uma diferença razoavelmente grande", avaliou o piloto da Eurofarma.

Daniel Serra recebe instruções antes de sua volta no Q3 em Curitiba (Foto; Felipe Noronha/Grande Prêmio)

Mesmo ainda com quase 24 horas para aprimeira corrida do final de semana, Serra observou que esses detalhes são importantes já na briga a longo prazo, em sua luta pelo bi consecutivo.

"Curitiba é uma corrida que sempre todo mundo anda muito perto. Amanhã são duas corridas, muito ponto em jogo. Pensando em campeonato, é lógico que estamos muito no começo, não dá para escolher adversário ainda, mas o Rubinho está em segundo no campeonato, está em primeiro aqui, então vamos ver", afirmou.

Serra, ao menos, viu evolução em seu carro, já que não havia andado bem nem na sexta-feira de treinos livres, nem no sábado pela manhã: "Essa reação que a gente está tendo que me deixa animado. Agora a gente precisa voltar a chegar sempre rápido, desde o primeiro treino, como no ano passado."

Por fim, observou suas chances de brigar por vitória no domingo: "Eu estou animado, o Rubinho sempre tem um bom carro de corrida mas eu estou animado, confiante, acho que a gente tem um bom trabalho de pit-stop, que vai ser essencial amanhã."

GRANDE PRÊMIO acompanha 'in loco' todo o fim de semana da etapa de Curitiba com os repórteres Felipe Noronha e Fernando Silva.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube