Stock Car
06/09/2017 11:00

Shell Racing renova parceria com TMG e segue com Átila e Zonta para temporada 2018 da Stock Car

Bastante satisfeita com o trabalho feito pela TMG Motorsport, a Shell Racing renova sua parceria com a equipe chefiada por Thiago Meneghel para a temporada 2018 da Stock Car. Átila Abreu e Ricardo Zonta, ambos com vitória neste ano, continuam no time no ano que vem, mantendo uma estrutura sólida e cada vez mais competitiva. De quebra, a Academia Shell Racing também acerta a permanência de Gaetano di Mauro por mais um ano no Brasileiro de Turismo
Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
 Átila Abreu e Ricardo Zonta (Foto: José Mario Dias/Shell Racing)

2018 já começou para a Shell Racing. A maior plataforma de patrocínio ao esporte a motor no Brasil se antecipa e anuncia nesta quarta-feira (6) os planos para a próxima temporada na Stock Car e no Brasileiro de Turismo. Na esteira de um ano sólido e com muitas vitórias, a Shell Racing ampliou por mais um ano a aliança com a TMG Motorsport, equipe com base em Americana, interior de São Paulo, e chefiada por Thiago Meneghel. A dupla de pilotos para 2018 está mantida, com Átila Abreu e Ricardo Zonta mais um ano juntos. De quebra, a Academia Shell Racing confirma a permanência de Gaetano di Mauro, atual líder da temporada do Brasileiro de Turismo e tetracampeão nacional de kart, por mais um ano na categoria de acesso à Stock Car.
 
Às vésperas da oitava de 12 etapas da temporada 2017 da Stock Car neste fim de semana, em Londrina, a Shell Racing destaca o fato de que boa parte dos objetivos traçados ao lado da TMG foram atingidos, o que justifica a permanência de toda a estrutura pelo menos por mais um ano. 
 
Foram duas vitórias, uma com Zonta — conquistada na rodada dupla de abertura da temporada, em Goiânia — e outra com Átila, na última prova disputada até então, no circuito do Velo Città. O sorocabano ocupa o terceiro lugar no campeonato, com 167 e sete top-5, sendo um dos postulantes ao título em 2017. Ao lado de Abreu, Zonta, 13º na disputa até o momento, vem ajudando a Shell Racing/TMG a se posicionar entre as equipes de ponta do grid, sendo a terceira no certame, com 249 pontos, a apenas cinco da segunda melhor colocada.
A Shell Racing renova sua aliança com a TMG e mantém Átila e Zonta para 2018 na Stock Car (Foto: José Mário Dias/Shell Racing)
Metas alcançadas, novos objetivos e planejamento para 2018
 
Com exclusividade ao GRANDE PRÊMIO, Vicente Sfeir, gerente de motorsport e patrocínio da Raízen, responsável pela marca Shell no Brasil, salientou a grande evolução obtida pela Shell Racing neste primeiro ano de parceria com a TMG. 
 
Além disso, Sfeir destacou que um dos motivos que levaram à antecipação da renovação com equipe americanense e a permanência de Átila e Zonta na equipe para 2018 é dar toda a tranquilidade para cumprir com as metas estabelecidas até o fim da temporada: lutar pelo título de pilotos e chegar pelo menos ao vice-campeonato entre as equipes. E daí, partir ainda mais forte para o próximo campeonato.
 
“O anúncio vem para reforçar a evolução que a Shell Racing conquistou do último ano para cá. Foi um ano de muitas mudanças, aprendizados e de muita pressão, também, para a equipe e pilotos. A gente vinha de uma sequência de temporadas sem uma competitividade esperada pela marca, pela companhia, e fizemos uma mudança para uma nova equipe, uma equipe que vinha de bons resultados, de bom entrosamento com o Átila, de um vice-campeonato em 2014, mas um modelo de equipe que ainda não tínhamos experimentado, um modelo de equipe exclusiva com dois carros”, destacou o executivo, lembrando a união bastante promissora entre Meneghel e Átila nos trabalhos na antiga equipe AMG, hoje TMG, casa da Shell Racing.
Átila Abreu faz grande temporada na Stock Car e está na briga pelo título (Foto: Victor Eleutério)
Sfeir ressaltou toda a estrutura formada a partir desta temporada, dentro e fora das pistas, como uma das fortalezas da Shell Racing/TMG nesta temporada. “E a gente resolveu se fechar. Uma equipe bem compacta, com dois carros, com assessoria de imprensa exclusiva, com fotógrafo exclusivo, então tentamos nos fechar ao máximo para que não tivéssemos influências externas de um ambiente tão competitivo como é a Stock Car, onde isso acontece bastante. Então, começamos o ano com algumas metas estabelecidas. Metas de evolução, de performance”, explicou.
 
“Metas de voltar a vencer, como aconteceu na primeira etapa; de voltar a ser competitivo, como nesse formato de classificação poder fazer parte do Q3; são metas que colocamos para equipe e pilotos em toda etapa. Pensando um pouco em campeonato, a gente tinha metas de chegar na primeira metade do campeonato entre os três primeiros na tabela de pilotos, e isso aconteceu com o Átila”, comentou Vicente, que também ressaltou o trabalho feito por Ricardo Zonta e lembrou que sua colocação na temporada não reflete o que o paranaense vem apresentando na pista nesta temporada.
 
“A posição do Zonta, a gente acredita que não condiz com a competitividade que ele alcançou neste ano. Foram inúmeros problemas, que não são de performance, como uma falha no rádio, que fez com que ele fosse na pista e fosse desclassificado em uma etapa, como estourar um extintor no grid de largada, problemas de safety-car na última etapa, onde ele já estava entre os dez e iria se beneficiar de uma inversão no grid. Então, o Ricardo Zonta é um piloto com experiência inquestionável, contribui demais com a equipe, tremendo acertador de carros, e isso faz com que a gente consiga realmente ter uma equipe”, complementou.
 

Com toda a base mantida e já definida para a próxima temporada, a Shell Racing/TMG já começa a pensar na reta final de 2017 na Stock Car com objetivos bem definidos. “É um anúncio para que a gente possa passar tranquilidade aos pilotos e à equipe e focar 100% na competição. Nós agora temos três metas ajustadas para o fim da temporada. A primeira é chegar à última etapa com o Átila Abreu disputando o título; a segunda é trazer o Ricardo Zonta para o top-10 do campeonato, e isso a gente tem total condição de conseguir; e a terceira meta é o vice-campeonato de equipes, mostrando uma grande evolução nos últimos anos”, declarou.
 
Outra razão para a antecipação do anúncio é de evitar qualquer envolvimento em rumores que normalmente acontecem nesta época de fim de temporada, tempo de definição de equipes, pilotos e patrocinadores para o próximo ano na Stock Car, bem como em outras categorias do automobilismo brasileiro e internacional.
 
“Então, o motivo do nosso anúncio é reforçar a evolução, metas atingidas nesta temporada, e principalmente o foco na segunda metade do campeonato, onde as especulações vão começar a acontecer, e a Shell Racing certamente vai estar fora dessas especulações, com pacote 100% fechado para 2018. Então essa é a mensagem principal do nosso anúncio e, mais do que isso, a partir de Londrina a gente dá início à temporada 2018, onde vamos começar a definir nosso staff técnico, parte de engenharia, mecânicos, buscando garantir tudo isso da forma mais antecipada possível para que a gente não precise antecipar das negociações de fim de ano, e isso certamente vai inflacionar o mercado”, salientou.
Logo na primeira etapa do ano, Zonta colocou a Shell Racing/TMG no topo do pódio da Stock Car (Foto: José Mario Dias/Shell Racing)
“A Shell Racing está 100% definida para 2018, com a estrutura da TMG com o Thiago Meneghel, Átila Abreu e Ricardo Zonta como os dois pilotos oficiais do time e com metas mais agressivas para a temporada 2018, que com certeza é trazer o título inédito para a Shell Racing”, concluiu Vicente Sfeir.
 
 
Orgulho, honra e muito trabalho
 

O GRANDE PRÊMIO conversou também com Thiago Meneghel, experiente engenheiro responsável pela TMG. A equipe americanense vem se destacando pelo grande trabalho feito ao longo da temporada na esteira de temporadas que reforçam seu DNA vencedor. Depois de um 2016 de reconstrução ao assumir a condução da equipe após a saída de dois sócios e, mesmo diante de um cenário difícil, conseguiu bons resultados, Meneghel celebrou uma renovadora parceria com a Shell Racing a partir deste ano. Desde então, a TMG retomou o caminho das vitórias e figura entre as melhores equipes do cada vez mais competitivo mundo da Stock Car.
 
Meneghel não esconde o enorme orgulho e a honra por ver o time levar a marca Shell Racing. Honrado pela renovação de contrato, agora o engenheiro planeja uma reta final de temporada de muito trabalho para alcançar os objetivos derradeiros em 2017, e já pensando no ano que vem.
 
“A gente dá o sangue por essa equipe aqui, e é isso o que nos motiva a ir adiante. É um motivo de orgulho para todos nós, uma honra representar essa marca. Só pelo peso que tem uma marca como a Shell, isso já nos impulsiona a buscar uma evolução e melhorar cada vez mais. É a confirmação do bom trabalho que vem sendo feito”, destacou o chefe da TMG.
Thiago Meneghel destacou todo o trabalho feito pela equipe de Americana ao longo da temporada (Foto: José Mario Dias/Shell Racing)
“Neste ano, nós estamos perto ali da briga pelo campeonato, e se não fossem pela falta de sorte e por erros em dois finais de semana, nós estaríamos ainda mais à frente. Mas vamos continuar lutando até o fim e vamos fazer de tudo para corresponder ao que a Shell Racing espera e merece para o próximo ano também”, complementou.
 
 
Bases sólidas para o futuro
 
Além de antecipar o anúncio da renovação de toda a estrutura na Stock Car com a sequência da aliança com a TMG e a permanência de Átila e Zonta, a Shell Racing já começa a definir o planejamento para seus jovens talentos visando a próxima temporada. E o primeiro nome confirmado pela Academia Shell Racing para 2018 é Gaetano di Mauro. 
 
Grande nome do Brasileiro de Turismo e líder de uma acirrada temporada, com duas vitórias num total de cinco pódios, o paulista de 20 anos vai continuar por mais um ano na categoria de acesso à Stock Car.
 
Além de todo o trabalho no Brasileiro de Turismo, onde corre pela equipe W2 Racing, Gaetano também se destacou no kartismo na disputa de etapas do Campeonato Europeu na classe KZ2 e também pela conquista do tetracampeonato brasileiro na categoria Shifter, alcançada no último mês de julho no Kartódromo do Parque Beto Carrero em Penha, Santa Catarina.
Em grande momento da carreira, Di Mauro segue no Brasileiro de Turismo pela Academia Shell Racing em 2018 (Foto: José Mário Dias/Shell Racing)
Sfeir destacou a sequência do planejamento traçado para Gaetano com a Academia Shell Racing com as bases bem sólidas rumo ao objetivo maior: preparar o jovem piloto para ascender à maior categoria do automobilismo nacional em um futuro próximo.
 
“O Gaetano veio para o nosso time para representar a Shell no Brasileiro de Turismo. Já estreou com vitória, se manteve na ponta do campeonato durante o ano inteiro. E como desde o início, o estabelecido era um projeto de dois anos no Brasileiro de Turismo, uma categoria de aprendizado e, obviamente, vislumbrando uma chegada na Stock Car de forma mais competitiva”, disse Vicente.
 
“Então a gente já anuncia a renovação do Gaetano di Mauro dentro do programa para mais um ano de Brasileiro de Turismo, obviamente com foco no título para que ele chegue ainda mais preparado para a Stock Car em 2019”, encerrou.
 
Assim como a Stock Car, o Brasileiro de Turismo realiza mais uma etapa da temporada 2017 neste fim de semana, entre 8 e 10 de setembro, no Autódromo Internacional Ayrton Senna, em Londrina.
HAMILTON FAZ DEVER DE CASA E JOGA BOLA PARA VETTEL. QUE TEM OBRIGAÇÃO DE VENCER EM SINGAPURA