Stock Car

Shell V-Power ressalta “domingo positivo” e cumpre meta com vitória em corrida 1 da etapa de Goiânia

Ao todo, a equipe chefiada por Thiago Meneghel venceu nada menos que seis vezes na temporada 2018. O triunfo de Ricardo Zonta na tarde de domingo em Goiânia foi perseguido há tempos: foi a primeira vez no ano que a Shell V-Power subiu no topo do pódio da corrida 1
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 Ricardo Zonta (Foto: José Mário Dias)
Com cinco vitórias em corridas 2 durante a temporada 2018 da Stock Car, a Shell V-Power foi para Goiânia com uma meta já estabelecida: triunfar na principal prova do fim de semana no Planalto Central. Para isso, o time chefiado por Thiago Meneghel sabia que seria preciso melhorar em ritmo de classificação para conseguir brigar mais à frente desde o começo. E foi o que aconteceu. Na esteira de uma classificação com muita chuva, Ricardo Zonta ficou perto da pole e largou em terceiro. No domingo (4), sem ter nada a perder, o paranaense atacou Felipe Fraga e Daniel Serra e venceu pela segunda vez na temporada, a primeira na corrida principal.
 
O domingo só não foi perfeito para a Shell V-Power porque Átila Abreu, que tinha nas mãos uma grande chance de vencer a corrida 2, sofreu uma punição enquanto liderava a prova. O sorocabano teve de cumprir um drive-through por ter queimado a largada. Mesmo com a melhor volta da corrida, o sorocabano, que foi um dos vencedores da eleição do Fan Push e ganhou um botão de ultrapassagem extra, finalizou a prova em 20º após a punição.
 
No geral, Thiago Meneghel entende que a equipe teve um fim de semana bom em Goiânia por ter conseguido mostrar performance e por conseguir cumprir as metas estabelecidas.
Ricardo Zonta venceu a corrida 1 da Stock Car em Goiânia (Foto: José Mário Dias)
“Foi um domingo positivo. O ano inteiro viemos trabalhando para melhorar o carro em classificação para brigar pela vitória na corrida 1. Sabíamos que o ritmo de prova já vínhamos apresentando havia algum tempo. Em Londrina já evoluímos, e aqui iria funcionar bem, mas acabou chovendo na classificação. Conseguimos classificar na frente com o Zonta, que fez uma corrida excepcional. Se alguém tinha alguma dúvida sobre nosso desempenho, foi 100% sanada”, avaliou o engenheiro.
 
“Com o Átila, fizemos uma corrida percebendo que não tinha ritmo para atacar os primeiros, pois ele ficou encaixotado na largada. Então adotamos uma estratégia de priorizar a segunda corrida e abastecemos mais do que a maioria dos adversários. Com certeza, ele disputaria a vitória na segunda corrida, já estava liderando até com uma certa folga, quase 3s de vantagem, quando chegou a notícia da punição”, lamentou Meneghel.
 
“O Átila foi pego de surpresa, o César [Ramos] acelerou antes da hora. O Átila puxou para dentro quando viu o espaço, mas a luz estava acesa ainda. Vamos para a próxima”, complementou.
 
Zonta voltou a vencer em Goiânia, o que já havia acontecido na primeira rodada dupla da temporada 2017. Desta vez, o paranaense voltou ao topo do pódio no Planalto Central com uma estratégia bastante agressiva. Ricardo só lamentou por não ter conseguido pontuar na corrida 2, já que teve de abandonar por conta de problemas na direção do carro.
Átila Abreu foi um dos vencedores do Fan Push em Goiânia (Foto: José Mário Dias)
“O Daniel [Serra] estava bem rápido e eu estava tentando me manter próximo dele. Ele usou bastante push para me segurar e ganhamos a posição no pit com um ótimo trabalho da Shell V-Power. Foi uma estratégia muito boa. Uma pena que, na segunda largada, na curva 3, alguém tocou comigo e pegou na roda esquerda, a direção começou a ficar pesada. Quando cheguei na curva 2 na outra volta, pesou demais o volante e vim para os boxes. Não tinha como pilotar desse jeito. A equipe tentou arrumar, mas não teve jeito”, contou o vencedor da corrida 1.
 
Ciente de que não tinha ritmo o bastante para lutar pelas primeiras colocações na primeira prova do domingo, Átila batalhou para ter uma boa posição no grid invertido para a segunda corrida e tentar faturar sua quinta vitória na temporada. Quase deu certo.
 
“Eu me preparei para a corrida 2 sabendo que largaria em décimo. A corrida 1 foi mais difícil, gastei mais pushes do que eu queria, mas consegui chegar em nono e estar bem posicionado para a segunda corrida, até porque o Fan Push que ganhei na votação ajudou muito, seria uma vantagem em relação aos meus adversários”, contou o sorocabano.
 
“Mas, na largada, o César [Ramos] acelerou muito antes e me desconcentrou. Acabei sendo punido quando já estava em primeiro e abrindo. Com a quantidade de pushes que eu tinha, com o pneu melhor que eu tinha, ia caminhar bem para a vitória na segunda corrida. Agora é concentrar para buscar o terceiro lugar no campeonato em Interlagos”, finalizou o #51.
 
Na esteira dos resultados em Goiânia, Átila soma agora 185 pontos e está em sexto lugar, 24 tentos atrás de Rubens Barrichello, o terceiro colocado do campeonato. Ricardo Zonta, com a vitória e os 30 pontos obtidos na corrida 1, passou Cacá Bueno e subiu para oitavo, agora com 174. No campeonato entre as equipes, a Shell V-Power manteve o terceiro lugar e soma 359 pontos.
 
A corrida final da temporada 2018 da Stock Car está marcada para 9 de dezembro, em Interlagos, com pontuação dobrada e a definição do título entre Daniel Serra e Felipe Fraga.