Stock Car
06/08/2018 10:55

Zonta festeja reação com sexto lugar e Átila lamenta problema antes da largada do ‘Milhão’

Ricardo Zonta se mostrava satisfeito por ter conquistado o sexto lugar na prova depois de ter largado em 14º. Mas Átila Abreu ficou parado na volta de apresentação e conseguiu alinhar na sua posição original, décimo, antes da largada. Mas foi punido com drive-through
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 Zonta fez grande corrida de recuperação e somou pontos importantes (Foto: Fábio Davini)
Foi misto o sentimento nos boxes da Shell V-Power após o desfecho da Corrida do Milhão, disputada na quente tarde deste domingo (5), em Goiânia. Por um lado, Ricardo Zonta destacava a grande recuperação em meio a uma jornada difícil e, após partir de 14º lugar, ganhou posições bastante importantes para terminar na sexta colocação. Átila Abreu tinha o décimo lugar no grid, mas enfrentou um problema na partida da volta de apresentação e ficou parado. O #51 conseguiu fazer seu carro ligar de novo, acelerou e voltou à posição original. Mas o procedimento foi considerado irregular pela direção de prova, que o puniu com um drive-through. O sorocabano fechou a disputa em 21º.
 
A maior frustração de Átila foi porque o ritmo do carro na corrida foi muito bom. O problema na saída para a volta de apresentação foi que o carro entrou em modo de segurança. Abreu ainda conseguiu ligar o #51 para realinhar em décimo, e desde a largada conseguiu avançar boas posições, travando disputas com Cacá Bueno e Felipe Fraga, da Cimed. Mas após o pit-stop, a direção de prova anunciou a punição ao piloto, que acabou por perder uma volta, o que foi determinante para seu resultado final.
 
Átila não escondeu a chateação por sentir que tinha condições até de lutar pelo prêmio milionário em Goiânia. “Perdemos a corrida para nós mesmos. Uma pena, porque eu brigaria pela vitória. Paguei um drive-through, voltei um pouco atrás de onde estava, mas mesmo assim eu tinha um bom ritmo no fim. A estratégia estava boa, o carro estava bom. Vencer, não sei se venceria, mas certamente chegaria ao pódio. Uma pena perder para você mesmo”, lamentou.
Átila mostrou bom ritmo de corrida e lamentou por não ter conseguido resultado melhor (Foto: Fábio Davini)
O experiente piloto sorocabano explicou como foi o momento que acabou por resultar na punição imposta pela direção de prova minutos depois. “Quando saí, vim acelerando para recuperar a posição porque o Antonio Pizzonia também não alinhou, e diz a regra que, se você não é ultrapassado pelo último colocado, pode retomar a posição, e no meu entendimento ele era o último”, disse.
 
“Daí larguei certinho, ganhei posições, mas aí avisaram que se o outro carro ficou parado, não conta”, lastimou.
 
Em contrapartida, Zonta, que já venceu uma vez a Corrida do Milhão, em 2013, usou e abusou da sua experiência na Stock Car para fugir dos incidentes ao longo da prova e, com um bom ritmo e boa estratégia traçada pela equipe chefiada por Thiago Meneghel, faturou uma muito boa sexta colocação, ganhando oito posições em relação à largada.
 
“Tive um carro muito bom na corrida. Pena ter quebrado o capô. Com isso, estava tampando a entrada de ar para a injeção e eu perdia muito de reta, não sentia diferença nenhuma acionando o botão de ultrapassagem porque não entrava ar para a injeção. Perdemos nesse ponto, mas a pena maior foi a posição de classificação. Se tivéssemos o carro que tive na corrida, teríamos brigado entre os seis primeiros, aí seria outra estratégia de corrida”, analisou.
 
“Mas não posso reclamar. Fui atrapalhado algumas vezes, escapei de alguns acidentes, o que foi importante. O sexto lugar na Corrida do Milhão é bastante importante", ressaltou Zonta, que deu um bom salto no campeonato e agora ocupa a oitava colocação e soma 71 pontos. Átila não pontuou, mas permanece fechando a lista dos dez primeiros, com 65 tentos.
Zonta fez grande corrida de recuperação e somou pontos importantes (Foto: Fábio Davini)
Thiago Meneghel descreve bem o gosto agridoce pelo resultado positivo de Zonta e o problema que determinou o resultado de Átila na busca pelo R$ 1 milhão como prêmio pela vitória em Goiânia.
 
“Foi uma pena. Almejávamos o pódio com os dois carros. O Zonta tomou um toque, soube evitar a batida, mas aquilo estragou todo o capô direito. Isso dificultou muito o pit-stop porque o pneu não encaixava, já que o capô estava todo amassado, e o Zonta perdeu uns 3s, dava para ter ganho uma ou, no máximo, duas posições. Dadas as circunstâncias, porque ele foi muito hábil para sair do acidente, o Zonta marcou bons pontos, foi positivo”, detalhou o chefe da Shell V-Power.
 
“Já o Átila foi uma pena muito grande porque ele tinha uma performance para vir para o pódio. Havia uma dúvida porque outro carro ficou parado atrás dele, e o regulamento fala que se o carro fica por último e não consegue dar a partida, não pode retomar a posição no grid, mas ele não era o último. Então ele voltou para a posição no grid, largou, estava bem em sexto, indo para cima dos primeiros. Fatalmente brigaria pelo pódio, mas tomou um drive-through”, lamentou o engenheiro.
 
A próxima etapa da temporada 2018 da Stock Car está marcada para 19 de agosto em Campo Grande, Mato Grosso do Sul.