De olho no título do Mundial de Superbike, Davies projeta mudança para MotoGP e vê 2018 como “momento perfeito”

Titular da Ducati na temporada 2017 do Mundial de Superbike, Chaz Davies ainda não desistiu do sonho de competir na MotoGP. O britânico avaliou que 2018 é o momento perfeito para fazer a mudança

 

Chaz Davies não faz mais segredo de seu desejo de mudar para a MotoGP. Titular da Ducati no Mundial de Superbike, o britânico afirmou que 2018 seria o “momento perfeito” para passar para a classe rainha do Mundial de Motovelocidade.

 
No Mundial de Superbike desde 2012, Davies passou a integrar a Ducati em 2014 e fechou a temporada passada no terceiro posto da classificação depois de Jonathan Rea facilitar o caminho de Tom Sykes ao vice-campeonato na prova final do Catar.
 
Ano passado, Davies já tinha manifestado interesse em uma mudança para a MotoGP com a Pramac, com quem disputou três corridas em 2007.
Chaz Davies segue sonhando em correr na MotoGP (Foto: Ducati)

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 3
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

“Se eu atingir a minha meta de me tornar campeão do Mundial de Superbike, acho que agora seria o momento perfeito para ir para a MotoGP, porque tenho quase 30 anos”, disse Davies. “Não quero sair tarde demais e, obviamente, uma coisa importante para mim como piloto é que você quer se desafiar e eu sinto que sou o piloto mais rápido na Superbike”, seguiu.
 
“O próximo desafio é pilotar na MotoGP. Talvez eu seja uma merda [em comparação com eles], eu não sei”, reconheceu. “Todos olham para os jovens na MotoGP, mas agora eu sou um piloto muito melhor do que eu era há dois anos — imagine há cinco ou dez anos. Eu adoraria a oportunidade e acho que estes são os melhores anos da minha carreira”, encerrou.
 
A mudança entre as séries não é tão incomum. Cal Crutchlow, Loris Baz e Eugene Laverty chegaram à MotoGP tendo passada pela série das motos de produção, enquanto Nicky Hayden e Stefan Bradl, por exemplo, começaram nos protótipos antes de mudarem para o Mundial de Superbike.
PADDOCK GP #64 RECEBE FELIPE GIAFFONE E DEBATE CRISE NA F-TRUCK

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube