Truck

Cirino aproveita falha dos rivais, vence tranquilo corrida 1 e se aproxima do título da Copa Sul

Wellington Cirino aproveitou a quebra de Roberval Andrade antes da largada e a punição dada a Felipe Giaffone para vencer a corrida 1 de Guaporé. Beto Monteiro e Adalberto Jardim completaram o pódio
Warm Up / VINÍCIUS PIVA, de São Paulo
 Wellington Cirino (Foto: Duda Bairros)
Wellington Cirino foi competente e contou com a sorte para vencer a primeira corrida do fim de semana em Guaporé, que definirá o primeiro campeão do ano. O piloto da Mercedes aproveitou a quebra do motor de Roberval Andrade ainda antes da largada e a punição a Felipe Giaffone para receber a quadriculada com sobras.

Beto Monteiro chegou em segundo depois de ver Boessio rodar e bater na última volta. O piloto da Iveco chegou com 9s721 de atraso para Cirino. Adalberto Jardim apareceu logo atrás e completou o pódio. 
 
Débora Rodrigues fechou em quinto com Felipe Giaffone em sexto. Giuliano Losacco apareceu em sétimo, Renato Martins em oitavo, Boessio em nono e Rogério Castro em décimo. 
Wellington Cirino (Foto: RR Media/Rodrigo Ruiz)
Saiba como foi a corrida 1 da Copa Truck em Guaporé
 

Antes da largada, a temperatura ambiente estava em 21°C e 24°C na pista. O tempo estava estável, sem chuvas. Mesmo alinhado no grid, Roberval Andrade, o pole-position, acusou um problema no motor de seu Scania. Roberval ainda participou da volta de apresentação, mas antes da largada, acompanhou o safety-car e foi em direção aos boxes. Fim de prova para ele.
 
Wellington Cirino então herdou a primeira posição e se manteve ali na primeira curva após o sinal verde, trazendo junto Felipe Giaffone. Régis Boessio e Beto Monteiro vinham logo atrás. Witold Ramasauskas, o 15º, recebeu uma punição porque seus mecânicos mexeram em seu caminhão depois do tempo permitido. E outras duas punições se confirmaram logo em seguida. Giaffone e Boessio, segundo e terceiro, ultrapassaram o limite do radar e também foram penalizados.
 
Luiz Renato Lührs rodou sozinho e ficou atravessado na pista. A Direção de Prova paralisou a prova para a retirada do Scania. A corrida foi reiniciada minutos depois com a ordem inicial do grid. Na nova largada, Giaffone tentou a manobra por dentro, chegou a pegar grama, mas Cirino fechou a porta. O #4 tentou então por fora, mas não conseguiu a liderança na primeira volta.
 
Giaffone manteve-se agressivo tentando de todas as formas assumir o primeiro lugar. Cirino foi perfeito na defesa e conseguiu respirar um pouco. A briga pelo terceiro lugar também estava intensa. Beto Monteiro pressionava muito Boessio.

A insistência de Giaffone deu resultado. Na final da reta colocou por dentro e conseguiu, enfim, a manobra. O problema é que quase simultaneamente veio a confirmação da punição ao piloto da Volkswagen por excesso de velocidade. Não só ele, mas Boessio também.
 
Restando 10 minutos para o fim, a lista dos dez primeiros tinha Giaffone, Cirino, Boessio, Monteiro, Jardim, Marques, Rodrigues, Fabiano, Losacco e Castro.
 
Giaffone foi cumprir o drive-through e voltou em sétimo. Assim, deixou o caminho livre para Cirino, que tinha mais de 2s de vantagem para Boessio.

Largada da Copa Truck (Foto: Duda Bairros)
”O IMPORTANTE NÃO É SÓ LEVAR DINHEIRO”

SETTE C MARA TRAÇA F1 COMO META E MIRA CARREIRA SÓLIDA