Truck

Cirino destaca temporada de “muita evolução” e promete estratégia agressiva em Curitiba

Feliz com sua temporada 2018 até aqui, Wellington Cirino promete não dar espaço aos seus rivais para ficar com o título máximo da Copa Truck na Grande Final em Curitiba
Warm Up / VINÍCIUS PIVA, de São Paulo
 Wellington Cirino (Foto: Duda Bairros)
Wellington Cirino é um dos destaques desta segunda temporada da Copa Truck. O piloto da Mercedes apareceu com frequência na liderança durante os treinos, enfileirou pódios importantes e soma um título e um vice-campeonato em quatro copas regionais.
 
Em linhas gerais, foi bastante competitivo. São sete pódios conquistados, com duas vitórias - Cascavel e Guaporé - e três segundos. Além disso, vale destacar seu domínio aos sábados. Sempre veloz nos classificatórios, Cirino é o piloto com maior número de poles nesta temporada. São cinco em oito etapas.
 
Mas nem tudo foi um mar de rosas para o campeão da Copa Sul e vice da Mercosul. Ao mesmo tempo em que se mostrou rápido, sofreu com alguns problemas de confiabilidade. Em Interlagos, por exemplo, dominou os treinos, fez a pole, mas logo na primeira volta recolheu para os boxes e nem sequer largou na segunda prova. Também soma dois abandonos em Goiânia, além de um em Campo Grande.
Wellington Cirino com seu Mercedes (Foto: Duda Bairros)
Mesmo assim, na visão do piloto do Mercedes #6, o saldo da temporada até o momento é bastante positivo. "Muito boa. Uma temporada de muita evolução e desenvolvimento de todo o caminhão e equipe", afirma.
 
Depois da última pole em Curvelo, inclusive, Cirino disse que esse é o melhor truck que já pilotou em sua longa carreira na corrida de caminhões.
 
Olhando para trás, o piloto paranaense faz um balanço do que viveu no ano, e destaca a Copa Sul como o momento mais bacana. Também lembra a escolha equivocada que o atrapalhou no campeonato. 
 
"Ponto mais alto para mim até o momento foi a Copa Sul, onde saímos campeões, e as poles a partir de Goiânia, que mostraram uma evolução muito grande do caminhão em  velocidade nas curvas. O ponto baixo foi, sem dúvida, a escolha errada do set up do motor para as provas de São Paulo, Campo Grande e Goiânia, prejudicando muito no término das corridas", continua.
 
Focado no título máximo da Copa Truck, Cirino promete ir para cima em Curitiba. "A estratégia para a Grande Final é fazer a pole e ganhar as corridas", completa, sem rodeios.