Truck

Maior vencedor no ano, Giaffone avalia temporada como “muito boa” e prevê decisão acirrada pelo título

A considerar o que fez até aqui na temporada, Felipe Giaffone chega a Curitiba como forte candidato ao título nacional da Copa Truck. Com seis triunfos em 2018, o piloto da Volkswagen é o piloto que mais venceu no ano. Mesmo assim, Giaffone aposta numa briga acirrada entre os seis concorrentes
Warm Up / VINÍCIUS PIVA, de São Paulo
 Felipe Giaffone foi quem mais venceu na temporada 2018 (Foto: Duda Bairros)
Felipe Giaffone desembarca em Curitiba (PR) para a disputa do título máximo da Copa Truck como o maior vencedor do ano. Das quatro copas regionais disputadas nesta temporada, o piloto da Volkswagen foi o campeão em duas oportunidades: Copa Centro-Oeste e Copa Mercosul.
 
Ao todo, são doze aparições no pódio em catorze provas disputadas - ficou de fora apenas na segunda corrida de Cascavel e na primeira de Guaporé. 
 
São impressionantes seis vitórias: duas em Buenos Aires, duas em Curvelo, além de Guaporé e Campo Grande, e cinco segundos lugares. E os números poderiam ser melhores, caso tivesse disputado a prova em Interlagos, quando cedeu seu caminhão a Luciano Burti enquanto comentava na Band as 500 Milhas de Indianápolis.
 
Com resultados tão expressivos, o #4 não tem do que se queixar.
 
"A temporada até aqui foi muito boa, não posso reclamar de nada. Estive sempre entre os primeiros, são seis vitórias este ano e cinco segundos. O ponto baixo foi não participar da etapa de Interlagos, que machucou um pouco", conta Giaffone.
Felipe Giaffone com seu Volkswagen (Foto: Rodrigo Ruiz)
"O caminhão vem muito confiável, não é o mais rápido de classificação, mas vai muito bem nas corridas", acrescentou.
 
Na visão do campeão nacional da Copa Truck em 2017, a última prova deste ano vai evidenciar a verdadeira distribuição de forças das marcas.
 
"Em Curitiba, vamos saber qual é a real porque estaremos todos sem restritor, então saberemos quais sãos os melhores caminhões mesmo. O meu estará entre eles, devo estar rápido, mas o Mercedes vem bem. Vai ser decidido no finalzinho", aposta.
 
"Será um fim de semana bem atípico para mim. Meu filho estará no Mundial de Rotax no Recife, eu estarei com 500 Milhas na Granja. Vai ser um fim de semana maluco, mas espero que dê tudo certo."
 
Sobre o modelo de campeonato da Copa Truck, que define um campeão apenas na última corrida, Giaffone se mostra dividido.
 
"Esse formato de campeonato é legal porque traz bastante gente brigando até a última corrida, mas ao mesmo tempo pode ser injusto porque se acontecer algum problema posso ser o quinto ou sexto do campeonato, e não seria condizente com a performance durante o ano. Mas, faz parte, é para todo mundo. Às vezes você se beneficia, às vezes se prejudica", encerra.