Truck

Monteiro brilha mais uma vez, supera Giaffone e vence segunda corrida da Copa Truck em Goiânia

Após vitória na corrida 1, Beto Monteiro foi soberano mais uma vez e faturou a segunda corrida do dia em Goiânia. Felipe Giaffone terminou em segundo e Luiz Carlos Zapellini foi o terceiro

Warm Up / VINÍCIUS PIVA, de São Paulo
Beto Monteiro repetiu a dose e venceu mais uma em Goiânia. Depois de levar a corrida 1, largando na quarta posição, o #88 foi mais uma vez impecável e, saindo de P8, foi ganhando terreno até assumir a liderança.
 
A vitória, porém, não foi fácil. Monteiro precisou de muita paciência e técnica para superar Felipe Giaffone, que vendeu caro a liderança . O #4, porém, teve de se contentar com o segundo lugar.
 
Luiz Carlos Zapellini superou André Marques na última volta e cruzou em terceiro. O piloto da Mercedes, que liderou o início da prova, acabou mesmo em quarto. O último lugar do pódio ficou com Débora Rodrigues em seu primeiro fim de semana com o caminhão Mercedes.
 
Rogério Castro foi o sexto e Jadson Zini, em seu retorno à categoria, acabou em sétimo. O estreante Clodoaldo Monteiro foi o oitavo, com Leandro Totti em nono e Hiro Yano em décimo.
Pódio da segunda corrida em Goiânia (Foto: Vanderley Soares)
Saiba como foi a segunda corrida da Copa Truck em Goiânia
 
O pole-position Rogério Castro, oitavo colocado na corrida 1, perdeu espaço logo que veio o sinal verde e caiu para terceiro. Luiz Carlos Zapellini assumiu a liderança, seguido de André Marques.
 
Só que Marques não perdeu tempo e tomou a ponta ainda na primeira volta. Felipe Giaffone vinha crescendo e aparecia em quarto. Já Leandro Totti, quinto colocado, acabou rodando, mas conseguiu voltar à pista.
 
Giaffone vinha em sua crescente e deixou Zapellini e Castro para trás, saltando para segundo. Até que Marques acabou errando, abrindo caminho para o Iveco de Giaffone e o Volkswagen de Monteiro.
 
O #88 parecia mais veloz e iniciou os ataques a Giaffone, que tentava se defender como era possível. Marques era terceiro, com Zapellini em quarto e Castro em quinto.
 
No parte interna do circuito, Giaffone conseguia se manter à frente. Só que na reta principal, o Volkswagen era mais rápido. Giaffone dava a linha de fora para Monteiro, que colocava de lado, mas não conseguia efetivar a manobra.
 
Com sete voltas completadas, apenas doze caminhões permaneciam na pista. Sete nem sequer conseguiram largar.
 
A disputa pela vitória se restringia a Giaffone e Monteiro. Marques, o terceiro, já estava 4s atrás. Giaffone ganhou um respiro com uma leve escapa do #88. Mas a paz do #4 durou pouco. Duas voltas depois, Monteiro já estava colado novamente.
 
Com cinco minutos para o final da prova, enfim, veio a ultrapassagem, depois de muita insitência. Giaffone brigou o quanto pôde, mas não conseguiu se segurar na liderança. Tão logo veio o a ultrapassagem, Monteiro já abriu vantagem para seguir tranquilo para mais uma vitória.
 
Na última volta, Zapellini ainda superou Marques cruzou em terceiro.