Citroën divide estratégias em rápida e sinuosa pista de rua em Portugal e faz poles com López e Qing Hua

José María López pole na primeira, Ma Qing Hua pole na segunda: a Citroën conseguiu colocar dois pilotos nas primeiras filas de ambas as provas do WTCC em Portugal. Prova acontece em um rápido circuito de rua em Vila Real

Duas corridas, dois carros na primeira fila de cada uma delas. Foi isso que a Citroën conseguiu garantir na classificação realizada neste sábado (11) para a rodada dupla de Portugal do Mundial de Carros de Turismo (WTCC).

As pole-positions ficaram nas mãos do argentino José María López, que domina o campeonato até aqui, e do chinês Ma Qing Hua. Cada um terá ao lado, respectivamente, os colegas de time Sébastien Loeb e Yvan Muller.

Pechito López marcou a pole-position no WTCC em Portugal (Foto: Facebook/WTCC)

No WTCC, o grid da segunda corrida é invertido em relação ao da primeira. Assim sendo, Muller e Qing Hua, nono e décimo, ficam com a pole da prova 2. A marca francesa claramente abriu mão dos tempos de volta com estes dois pilotos, com o chinês sendo 1min mais lento que López.

Entre os mais rápidos, a volta de 'Pechito' ficou na casa de 1min58s515. Segundo, Loeb foi 0s575 mais lento. 0s8 acima da marca do atual campeão, o francês Hugo Valente larga na terceira posição com o Chevrolet da Campos, seguido pela dupla da Honda, Norbert Michelisz e Gabriele Tarquini.

Este é o desafiador traçado de Vila Real no WTCC( (Foto: FIA WTCC)

Esta é a primeira vez que o WTCC passa por Vila Real, retornando a Portugal dois anos após correr em um circuito de rua em Boa Vista. Na cidade do norte da pátria-mãe, foi montado um extenso e veloz circuito de rua. A cidade tem tradição de corridas urbanas desde a década de 1930, sendo que, na época, muros de pedra definiam os limites da pista. No entanto, houve uma pausa nos eventos desde um acidente fatal em 1991.

O traçado tem 24 curvas e mais de 7 km. Tiago Monteiro, piloto da casa, definiu a pista como uma mistura de Macau e Nürburgring Nordschleife.

Os pilotos chegaram a reclamar no briefing de duas chicanes ridiculamente lentas, que serão mudadas, mas apenas para o próximo ano. Uma delas, os carros chegam a reduzir a 41 km/h para contornar. "Fora isso, é uma pista fantástica. Rápida, sinuosa, empolgante, um desafio de verdade. O problema é só que toda volta você quase para", falou Rob Huff.

determinarTipoPlayer(“15535635”, “2”, “0”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube