Contente no endurance, Chandhok afirma que volta à F1 desde que seja para correr

Com contrato com a equipe JRM, Karun Chandhok afirmou que ainda pensa em voltar à F1, mas apenas para competir. Para a reserva, o indiano disse que aceitaria a proposta, mas gostaria de dividir o tempo com o endurance

Giancarlo Fisichella, Alexander Wurz, Vitantonio Liuzzi e Lucas Di Grassi. Esses são alguns exemplos dos pilotos que encontraram no Mundial de Endurance uma forma de seguir a carreira após a F1. Com Karun Chandhok não foi diferente. Depois de ser companheiro de Bruno Senna na Hispania e reserva da Caterham, o indiano fechou com a equipe JRM – que conta com apoio de fábrica da Honda – para disputar o WEC.

Apesar disso, Chandhok ainda não esqueceu a F1. Mesmo focado nas corridas de longa duração, o asiático afirmou nesta quarta-feira (12) que ainda pensa em voltar à categoria máxima do automobilismo. Para isso, no entanto, impõe uma condição: competir. Do contrário, o piloto prefere continuar no endurance.

Karun Chandhok disputa a classe LMP1 pela equipe JRM (Foto: Facebook/Karun Chandhok)

“Eu quero voltar à F1, mas também penso em correr aqui. O mais importante é que eu quero estar em atividade, correndo. Se for para ser reserva novamente, eu aceito, mas quero continuar também no endurance”, declarou o indiano em exclusividade ao Grande Prêmio.

Quando perguntado se ainda havia alguma chance de participar do GP da Índia da F1 desse ano, marcado para dia o dia 28 de outubro, Chandhok foi categórico. “Não”, cravou. “Para esse ano não há mais tempo”, encerrou.

O GP cobre ‘in loco’ as 6 Horas de São Paulo com os repórteres Felipe Giacomelli e Renan do Couto.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube